quinta-feira, 2 de junho de 2016

O Segredo do Crescimento Espiritual

“Permaneçam em mim, e eu permanecerei em vocês. Nenhum ramo pode dar fruto por si mesmo, se não permanecer na videira. Vocês também não podem dar fruto, se não permanecerem em mim.” (João 15:4)

Imagine se eu plantasse uma árvore no meu jardim em frente a minha casa, mas depois de um tempo eu decidisse que ela ficaria melhor na parte dos fundos. Passam-se alguns meses e eu volto a plantar a árvore na parte da frente da casa. Esta árvore não somente teria dificuldades para crescer como lutaria para sobreviver.

Algumas pessoas são assim com Deus. Decidem ir a igreja, ler a Bíblia e orar regularmente. Fazem isso por um mês e depois se retiram e desaparecem por alguns meses. Então voltam. Depois de um tempo, mais uma vez retiram-se para a vida que levavam anteriormente. Eventualmente elas voltam. Mas, procedendo assim, nunca irão crescer espiritualmente.

Jesus falou “Permaneçam em mim, e eu permanecerei em vocês. Nenhum ramo pode dar fruto por si mesmo, se não permanecer na videira. Vocês também não podem dar fruto, se não permanecerem em mim” (João 15:4). Este é o segredo do crescimento espiritual: permanecer. E permanecer significa ficar num mesmo lugar. Para os que creem, significa manter uma relação inabalável com Deus. Significa regularidade, consistência. E resulta na produção de frutos que permanecem.

Outra maneira de permanecer é andar com Deus. 1 João 2:6 diz “aquele que afirma que permanece nele, deve andar como ele andou.” Andar significa estar em constante movimento, e isto significa ter tempo para a Palavra de Deus e para oração diária. Se você está muito ocupado, acorde mais cedo. Vá para a cama mais cedo. Você encontrará tempo para o que é importante.

A verdadeira marca da conversão é o teste do tempo e dos frutos em nossas vidas. Você tem produzido frutos espirituais?

Um comentário:

  1. Nossa! Verdade... Por muito tempo pude perceber isso em minha vida. Vivi um relacionamento intenso com Deus quando me converti. Foi incrível. Sinto como se a maior parte daquilo que aprendi de conhecimento bíblico e até mesmo de maturidade cristã (embora nesse ponto, acredito que algumas experiências recentes foram mais significativas) vieram desse período. Depois de alguns anos, tive uma grande decepção e fiquei parecendo essa árvore. Com dificuldades para sobreviver na fé. Demorou para querer verdadeiramente voltar. E, quando quis, não foi fácil estabelecer um relacionamento genuíno com Deus. Obrigada pelo texto!

    ResponderExcluir