quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Bondade em Todas as Coisas

"Naqueles dias, crescendo o número de discípulos, os judeus de fala grega entre eles queixaram-se dos judeus de fala hebraica, porque suas viúvas estavam sendo esquecidas na distribuição diária de alimento." (Atos 6:1)

Quando no início a igreja primitiva crescia constantemente, quando milagres eram realizados em profusão e quando muitos estavam sendo salvos, as pessoas começaram a reclamar.
Isso lhe parece familiar?

O diabo tentou parar a igreja através da perseguição. Mas em vez de interromper o seu desenvolvimento, ele ajudou a igreja a continuar com o trabalho de ser o que Deus a chamou para ser. Ao invés de se encolher de medo, a igreja tornou-se uma máquina de evangelização. Em seguida, Satanás tentou se infiltrar na igreja através de dois hipócritas, Ananias e Safira. Nós sabemos como Deus lidou com eles (Atos 5:1-11). Então o diabo tentou parar a igreja através da divisão - dividir e conquistar. Assim as pessoas começaram a reclamar sobre coisas pequenas.

Diferenças culturais estavam em evidência na igreja do primeiro século. A cultura grega prevalecia, por causa das conquistas de Alexandre, o Grande. E depois que os romanos conquistaram os gregos e subjugaram o mundo, passaram a adotar grande parte da cultura grega - sua língua, e até mesmo um pouco de sua religião. Portanto, a influência grega foi muito forte no mundo antigo do Novo Testamento.

Algumas viúvas na igreja eram judias que falavam grego e provavelmente tinham sido levadas para fora de Jerusalém. Tendo retornado à Terra Santa, elas estavam se misturando com o que poderia ser descrito como a antiga escola hebraica. Então, praticamente, a igreja teve um choque cultural.

Ainda temos o mesmo problema hoje. Cada geração tem estilo musical e roupas de sua preferência. As pessoas têm certos costumes culturais que acham que são importantes. Às vezes, são baseados em um conceito bíblico, outras vezes são apenas preferências pessoais. Mas a igreja nunca deve causar divisões sobre essas coisas. Como o teólogo Philipp Melanchton declarou: "No essencial, unidade; no não-essencial, liberdade; em todas as coisas, bondade."

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Instrumentos Improváveis

"Estêvão, homem cheio da graça e do poder de Deus, realizava grandes maravilhas e sinais entre o povo." (Atos 6:8)

Estêvão, o primeiro mártir da igreja, morreu ainda jovem. Alguns podem olhar para a forma como ele morreu e pensar: “Que desperdício!” Mas nas palavras de Jim Elliot, outro jovem mártir da fé: “Não é tolo, de forma alguma, aquele que dá o que não pode manter para ganhar o que não pode perder”.

Que tipo de pessoa Deus procura para usar para Sua glória? O que qualifica uma pessoa a ser selecionada por Deus para ser Seu instrumento? Será que é um grande intelecto ou a quantidade de diplomas dependurados na parede? Você precisa ser fisicamente atraente? Precisa ter nascido um líder? O que dizer de uma pessoa que é tímida? O que dizer de uma pessoa que não é fisicamente atraente? O que dizer de pessoas que muitas vezes são classificadas como “comuns”? Há um lugar para pessoas como essas?

Eu acho que sim. Isso porque uma das coisas que se sobressaem nas Escrituras é o uso de Deus de pessoas, que amais imaginaríamos pudessem ser usadas por Ele.
E se minha vida pode usada como exemplo de alguma coisa, essa é uma delas.

Então, porque Deus faz isso?
Achamos a resposta em 1 Coríntios 1:27-29:
Mas Deus escolheu as coisas loucas do mundo para envergonhar os sábios, e escolheu as coisas fracas do mundo para envergonhar as fortes. Ele escolheu as coisas insignificantes do mundo, as desprezadas e as que nada são, para reduzir a nada as que são, para que ninguém se vanglorie diante dele.

Deus busca pessoas “inesperadas” para serem usadas para a Sua glória.
- Você está disposto a ser uma dessas pessoas?

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Uma Vida Plena

"Mais do que isso, considero tudo como perda, comparado com a suprema grandeza do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor, por cuja causa perdi todas as coisas. Eu as considero como esterco para poder ganhar a Cristo" (Filipenses 3:8)

Hoje em dia as pessoas pensam sobre como prolongar suas vidas, quer seja por meio de pesquisas com células-tronco, clonagem, criogenia, ou a mais recente "poção". Acho graça nos produtos que prometem ajudar a viver mais tempo. Percebo que as pessoas podem comer todo o tofu e gérmen de trigo que quiserem, mas suas vidas acabarão quando chegarem ao fim, inexoravelmente.

No entanto, algumas pessoas tornam-se obcecadas com o conceito de viver mais tempo. De acordo com uma reportagem de capa da revista Life, existem alguns cientistas que sugerem que podemos e vamos parar de envelhecer. Mas o artigo passou a perguntar se realmente queremos parar de envelhecer. Em outras palavras, será que realmente queremos viver para sempre? Acho que tudo se resume ao tipo de vida que você leva. A ciência médica pode procurar acrescentar anos à sua vida, mas só Deus pode acrescentar vida aos seus anos e dar-lhe uma vida que valha a pena ser vivida.

Nosso objetivo como cristãos não deveria ser viver apenas viver uma vida longa; o nosso objetivo deve ser o de viver uma vida plena, uma vida significativa e com propósito.

Jim Eliot é um exemplo de um cristão que fez isso. Quando jovem, sentiu que Deus estava chamando-lhe para levar o evangelho a uma tribo no Equador, conhecida como os Auca. Tragicamente, Jim foi martirizado junto com outros quatro missionários em sua tentativa de compartilhar o evangelho. Jim uma vez escreveu em seu diário: "Eu não procuro uma vida longa, mas plena. Como Você, Senhor Jesus." Eis um ótimo pensamento: A vida não é uma questão de anos; é uma questão do que fazer com eles.
- O que você tem feito com os anos que Deus lhe deu?

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Escolhas Certas

"Lembre-se do seu Criador nos dias da sua juventude, antes que venham os dias difíceis e antes que se aproximem os anos em que você dirá: 'Não tenho satisfação neles.'" (Eclesiastes 12:1)

Um provérbio francês diz: "Quarenta anos é a velhice dos jovens; cinquenta é a juventude dos velhos." De acordo com os franceses, ainda sou uma pessoa jovem, relativamente falando.

No entanto, minha esposa e eu fomos ao cinema um outro dia, quando soubemos que eles davam descontos para idosos. Perguntei sobre o desconto para um funcionário jovem, esperando ser questionado sobre o assunto. Mas, sem qualquer hesitação, o jovem empregado só me deu o meu bilhete.

Estou num ponto da vida chamado “meia-idade”, no qual eu não me importaria muito se conhecesse apenas mais algumas pessoas de 100 anos. Quando você está na meia-idade, você começa a se perguntar quem coloca areia movediça na ampulheta do tempo, porque os seus dias, meses e anos passam muito rapidamente.

Então eu lhe pergunto: qual é a história que a sua vida está contando?
A minha história é simples: sou a prova viva de que Deus pode pegar uma vida cheia de problemas e salvá-la. Essa é a minha história.
- Qual é a sua?
Todos temos uma história para contar. E tudo o que precisamos para fazer um balanço de nossas vidas é perguntar: “No que a minha vida se resume? Qual é o legado que eu vou deixar? Como vou ser lembrado?”

É muito importante não pensar nisso somente quando você estiver mais velho. É fundamental refletir quando você ainda é jovem, quando você traça o curso que a sua vida vai tomar. É quando você desenvolve hábitos e toma decisões, como a carreira que você vai seguir e com qual pessoa vai se casar.

Você vai decidir a noite da sua vida, na manhã dela, ou o fim pelo começo.
Por isso, faça hoje as escolhas certas.
Link para o texto original

O Pecado Imperdoável

"Como escaparemos nós, se negligenciarmos tão grande salvação? Esta salvação, primeiramente anunciada pelo Senhor, foi-nos confirmada pelos que a ouviram. Deus também deu testemunho dela por meio de sinais, maravilhas, diversos milagres e dons do Espírito Santo distribuídos de acordo com a sua vontade." (Hebreus 2:3-4)

De vez em quando sou questionado sobre o significado da "blasfêmia contra o Espírito Santo", a qual Jesus disse que era um pecado imperdoável. Ele disse: "[...] Todo pecado e blasfêmia serão perdoados aos homens, mas a blasfêmia contra o Espírito não será perdoada." (Mateus 12:31).

Quando Deus está tentando trazer uma pessoa à fé e essa pessoa diz não, ela está resistindo ao Espírito Santo. Este é um pecado que só um incrédulo pode cometer. A obra do Espírito Santo, como Jesus disse, é "convencer o mundo do pecado, da justiça e do juízo" (João 16:8). E quando alguém se recusa a aceitar Cristo, está negando a própria missão do Espírito Santo, ao afirmar que não precisa de salvação, dizendo: "Não só estou dizendo não para isso. Também estou dizendo que não ligo para a morte de Jesus. E se Ele morreu, Sua morte foi em vão. Eu não me importo se Ele derramou Seu sangue. Isso não significa nada para mim."

Isto insulta o Espírito Santo, porque a Bíblia diz: "Quão mais severo castigo, julgam vocês, merece aquele que pisou aos pés o Filho de Deus, que profanou o sangue da aliança pelo qual ele foi santificado, e insultou o Espírito da graça?" (Hebreus 10:29).

Portanto, a blasfêmia contra o Espírito Santo é quando um incrédulo nega o trabalho do Espírito em mostrar-lhe a sua necessidade de Jesus e em levá-lo à fé. Ao resistir e virar as costas para a oferta graciosa de perdão de Deus, pode-se insultar (e até mesmo blasfemar) o Espírito Santo, entrando num caminho sem volta.
Resistir ao apelo do Espírito Santo é insultar a Deus e eliminar totalmente a esperança de salvação.

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

O Joio e o Trigo

"Jesus lhes contou outra parábola, dizendo: 'O Reino dos céus é como um homem que semeou boa semente em seu campo. Mas enquanto todos dormiam, veio o seu inimigo e semeou o joio no meio do trigo [...]'" (Mateus 13:24-25)

Jesus contou uma história conhecida como a parábola do joio e do trigo. Nessa história, ele falou de um fazendeiro que plantou uma seara de trigo. Durante a noite, um inimigo seu (talvez até um concorrente) veio e semeou joio, que é espécie de erva daninha, no meio do trigo.

O joio que Jesus descreveu nessa parábola também é conhecido em alguns lugares como "falso trigo" [nome científico: Lolium temulentum], e é quase igual em aparência ao trigo nas primeiras etapas de crescimento. Depois que cresce um pouco mais, contudo, torna-se evidente que é uma erva daninha, que até sufoca o trigo.

Um dos trabalhadores do fazendeiro perguntou-lhe: "Vamos arrancar o joio?" E ele respondeu: "Não, assim você vai machucar o trigo. Vamos deixar crescer os dois até a colheita. Aí eu direi aos ceifadores que separem o joio e o queimem e que ponham o trigo no celeiro".

Jesus contou essa história para mostrar que há na igreja pessoas infiltradas em nossas fileiras. Embora haja trigo, também há joio. Não sabemos necessariamente quem é quem. Encontram-se os dois sentados lado a lado nos bancos nos cultos, respirando o mesmo ar e cantando os mesmos hinos. Um pode ser crente e o outro descrente. Um pode ser trigo e o outro joio.

Sempre teremos pessoas infiltradas em nossas fileiras, os Ananias e as Safiras e os Judas Iscariotes - plantas satânicas que minam a Palavra de Deus. Mas não é trabalho nosso arrancar essas pessoas. Não vemos o coração de ninguém. Não é da nossa conta quem sejam os hipócritas. Mas sim, que não sejamos nós mesmos hipócritas. Nosso trabalho é cuidar de nós mesmos, atentar e garantir que sejamos crentes fiéis.  

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

Sem Fingimento

"Então perguntou Pedro: 'Ananias, como você permitiu que Satanás enchesse o seu coração, a ponto de você mentir ao Espírito Santo e guardar para si uma parte do dinheiro que recebeu pela propriedade?'" (Atos 5:3)

Atos 5, conta a história de Ananias e Safira, um casal que mentiu para o Espírito Santo, fingindo ser algo que não eram. Ananias e Safira queriam que os outros pensassem que eram mais voltados para Deus do que na verdade eram.

Ironicamente, o nome Ananias significa "Deus é misericordioso", mas Ananias também descobriu que Deus é santo. Safira significa "bonito", mas ela descobriu o quanto o pecado pode ser feio.

Naquele momento a igreja vivia junta, em comunidade, porque havia uma grande perseguição contra os crentes. Alguns tinham perdido as suas casas e a sua renda. Então outros crentes que tinham recursos e meios, os ajudavam. Todos tinham a opção de fazer o que bem quisessem. De fazer o que Deus os levasse a fazer; e, alguns estavam vendendo suas propriedades e dando - tudo ou em parte - à igreja. Ananias e Safira venderam uma propriedade, mas agiram de má fé retendo parte do dinheiro e doando somente a outra parte, dizendo que era o valor total da propriedade. A questão aqui não era sobre dar ou não dar. A questão aqui é a mentira. A questão é a de ter dito uma coisa, quando na verdade fizeram outra diferente.

Jesus advertiu sobre isso: "Tenham o cuidado de não praticar suas ‘obras de justiça’ diante dos outros para serem vistos por eles. Se fizerem isso, vocês não terão nenhuma recompensa do Pai celestial. [...] que você preste a sua ajuda em segredo. E seu Pai, que vê o que é feito em segredo, o recompensará" (Mateus 6:1-4)

Todos temos feito isso. Já tentamos parecer mais espirituais do que realmente somos. Melhor é um pecador assumido do que fingir ser algo que você realmente não é. Este foi o problema de Ananias e Safira. Eles foram atores, hipócritas; mas a Deus não se pode enganar.

terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

Cuidado Com as Críticas

"Em sua viagem, quando se aproximava de Damasco, de repente brilhou ao seu redor uma luz vinda do céu. Ele caiu por terra e ouviu uma voz que lhe dizia: 'Saulo, Saulo, por que você me persegue?'" (Atos 9:3-4)

Sempre me espanto com a forma pela qual as pessoas que se dizem crentes podem estar cheias de ódio, críticas e mesquinharias. Quando nos tornamos cristãos, passamos a ser identificados pelo nosso amor. Claro, podemos corrigir e reprovar uns aos outros. Sim, devemos ser cuidadores e exigentes, mas podemos fazer isso de uma forma amorosa.

Tenho visto crentes criticarem duramente outros cristãos e suas ações mas, em contrapartida, nada fazem pelo reino de Deus. São rápidos para criticar os esforços dos outros, mas eles mesmos não fazem nada além disso.

Como Warren Wiersbe disse: "A impaciência com Deus muitas vezes leva à impaciência com o povo de Deus... Se começarmos a usar foices uns contra os outros, vamos perder a colheita." Tenho visto cristãos se dividirem sobre questões menores, ao invés de se unirem para o bem do evangelho.

A Bíblia conta a história de um homem religiosamente devoto chamado Saulo, que afirmava ter a crença em Deus, mas ele sentiu que era seu papel erradicar uma nova seita de crentes que seguiam a um tal Jesus de Nazaré. Saulo saiu do seu caminho para encontrar os cristãos, e ele não estava satisfeito em apenas prender aqueles que estavam em Jerusalém. Ele obteve ordens de extradição que lhe permitiam ir tão longe como a Damasco que fica a 140 km de Jerusalém, para lá encontrar mais crentes para prender. 

Saulo era um homem religioso, mas era um homem sem Deus. Ele estava fugindo de Deus. Estava atacando cristãos. Estava pensando que iria destruir com sucesso a fé cristã. Mas ele teve uma surpresa na estrada para Damasco e mal sabia que estava prestes a ter um encontro pessoal com o próprio Jesus Cristo.

Pecar Contra o Espírito Santo

"Não entristeçam o Espírito Santo de Deus, com o qual vocês foram selados para o dia da redenção." (Efésios 4:30)

Algumas vezes podemos pensar no Espírito Santo mais como sendo “algo” do que sendo “Alguém”. Mas Jesus falou sobre o Espírito Santo: “Quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, da justiça e do juízo” (João 16:8). O Espírito Santo é Deus, isso quer dizer que pecados podem ser cometidos contra Ele.

Um crente pode pecar contra o Espírito Santo entristecendo-lhe. Efésios 4:30 diz: “Não entristeçam o Espírito Santo de Deus, com o qual vocês foram selados para o dia da redenção”. A palavra “entristecer” significa “afligir”. Quando permitimos que amargura, indignação, raiva, palavras duras, ou difamação façam parte de nossas vidas, entristecemos o Espírito Santo.

Também podemos pecar contra o Espírito Santo extinguindo-O. O apóstolo Paulo escreveu para os crentes de Tessalônica: “Não apaguem o Espírito.” (1 Tessalonicences 5:19). A palavra “apagar” traz a ideia de extinguir um fogo. É possível que estejamos apagando ou extinguindo o trabalho que o Espírito Santo tem feito em nossas vidas. Quando Deus que trabalhar mas encontra descrença, isso dificulta o Seu trabalho, pois Deus trabalha através da fé que há em nossas vidas quando cremos n’Ele.

Você abriga ressentimento contra alguém nesse momento? Você tem caluniado alguém ou até mesmo transmitido informações que ouviu, mas ainda não sabe se são realmente verdadeiras? Você está possuído por acessos de raiva? Tem dito: “Bem, Deus pode nunca usar uma pessoa como eu”, ou “Deus nunca escuta as minhas orações”?
De acordo com as Escrituras, isto entristece o Espírito Santo.
Se hoje você entristece o Espírito Santo, é tempo de parar. É tempo de ficar limpo.

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

Vale o Risco

"Depois de orarem, tremeu o lugar em que estavam reunidos; todos ficaram cheios do Espírito Santo e anunciavam corajosamente a palavra de Deus." (Atos 4:31)

Às vezes só damos um passo de fé se houver um plano B, se houver uma rede de segurança.
É claro que em tudo se deve ter cuidado, cautela e até deve-se buscar conselho daqueles que viveram mais do que nós. Mas, deve-se deixar também lugar para a fé. Lugar para aventurar-se, para correr riscos. 

À medida que envelhecemos, ficamos menos dispostos a fazer isso. Queremos tudo bem esclarecido, bem definido. Queremos saber o que vai acontecer depois disso e depois daquilo. Mas, às vezes Deus diz: "Não vou lhe dizer. Quero que você simplesmente obedeça." É por isso que eu prefiro tentar e fracassar em vez de nunca tentar. E se você tentar e no fim fracassar, aprenderá algo com o fracasso. Eu me arriscaria a dizer que toda pessoa de sucesso no ministério cristão, nos negócios ou em qualquer outro empreendimento, teve muitos fracassos e aprendeu algo com cada um deles. Como diz o ditado: "Chega-se à porta do sucesso pelo corredor do fracasso". Então, se você não tiver sucesso de primeira, sossegue. Você é como todos nós.

Então, arrisque-se e faça algo para Deus. Se você anda pensando em começar um pequeno estudo bíblico no trabalho mas não sabe se alguém vai aparecer, vá fundo. Se anda pensando em compartilhar o evangelho com alguém mas não sabe como esse alguém irá reagir, vá em frente. Tente. Ore sobre isso. Peça orientação ao Senhor, mas corra o risco. Arrisque-se e veja o que Deus faz.

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

Muito Longe Ainda Para Ir

"Não que eu já tenha obtido tudo isso ou tenha sido aperfeiçoado, mas prossigo para alcançá-lo, pois para isso também fui alcançado por Cristo Jesus." (Filipenses 3:12)

Sou careca e não tenho muito orgulho disso. Quando comecei a perder cabelo com meus 30 anos, comecei a encontrar formas criativas para tentar adiar o inevitável. Enquanto estive relutante em admitir isso, tentei usar peruca. Eu não poderia usá-la quando estivesse falando publicamente, mas um dia decidi levá-la para um teste. Vamos dizer que, uma rajada de vento acabou me ajudando a tomar uma decisão. Acredito que a descrição do autor Peggy Noonan, de que uma peruca é como uma mentira sobre sua cabeça, é bastante precisa.

Não acho que qualquer um de nós queira ter uma mentira sobre sua cabeça, ou em qualquer outra área de sua vida. Queremos ser honestos. Queremos ser verdadeiros. Não queremos ser hipócritas, porque uma das desculpas mais comuns que os descrentes nos dão sobre o por quê não querem ir à igreja, é a de que lá existem muitos hipócritas.
O problema é que onde existirem pessoas, haverá hipocrisia.

Mas, vamos entender o que é realmente um hipócrita. Um hipócrita não é alguém que crê em algo e fica aquém disso. Este é chamado de cristão. Temos padrões aos quais procuramos seguir, mas ficamos aquém deles porque somos pessoas imperfeitas tentando servir a um Deus perfeito.

Isto não significa no entanto, que devemos nos contentar com a nossa existência. Devemos buscar ser homens e mulheres de Deus. E quanto mais avançamos na vida cristã, mais percebemos que devemos avançar. Quanto mais crescemos espiritualmente, mais descobrimos o quanto ainda temos por crescer nessa área.
Link para o texto original

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Desqualificados?

"Mandaram trazer Pedro e João diante deles e começaram a interrogá-los: 'Com que poder ou em nome de quem vocês fizeram isso?'" (Atos 4:7)

Quando Pedro e João foram levados perante os líderes religiosos de sua época, causaram grande surpresa, pois como simples pescadores não tinham como conhecer tanto as Escrituras e, mais importante ainda: não tinham como entender tão profundamente o seu significado. Eles pareciam ter mais compreensão da Palavra de Deus do que até mesmo os rabinos, que eram os profissionais treinados para isso. Como isso era possível?
"Eles haviam estado com Jesus" (Atos 4:13)

Há uma garotada em nossa igreja que faz parte do que chamamos de ECUT, que é um acrônimo para Estudantes Com Um Testemunho. Já vi esses adolescentes, ao compartilhar o evangelho, darem grandes respostas para perguntas difíceis que os descrentes lhes fazem. Como podem fazer isso? É que eles estiveram com Jesus e Deus pode usar pessoas comuns que passam muito tempo em Sua presença.

A Bíblia inclui vários exemplos de pessoas usadas por Deus que poderíamos descrever como "desqualificadas", mas elas foram poderosamente usadas pelo Senhor. Noé era um grande homem de fé que construiu a arca, mas ele ficou bêbado. Abraão foi um mentiroso em mais de uma ocasião. Jacó foi um trambiqueiro metido a esperto. Raabe era uma prostituta. Jeremias e Timóteo foram considerados muito jovens. Davi cometeu adultério. Moisés era um assassino. Elias quase tirou a própria vida. Jonas fugiu de Deus. Pedro negou a Cristo. Os discípulos adormeceram enquanto oravam. A mulher samaritana era divorciada mais de uma vez. Timóteo tinha uma úlcera. João Batista comia gafanhotos. E Lázaro, chegou mesmo a estar morto por uns dias.

Isso não é para desculpar o que essas pessoas fizeram, mas para dizer que, se formos honestos, temos que reconhecer que Deus usou cada uma dessas pessoas.
Por que Ele não pode usar você?

terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

Como Serpente

"De fato, todos os que desejam viver piedosamente em Cristo Jesus serão perseguidos." (2 Timóteo 3:12)

O pastor britânico Charles Spurgeon disse, "Satanás nunca chuta um cavalo morto". Ele só atacará alguém que seja uma ameaça para ele. Se você me dissesse: "Greg, não me lembro da última vez que fui perseguido ou a última vez que sofri qualquer tipo de ataque espiritual", então eu teria que conferir se você realmente ainda está vivo. Porque, francamente, se você está andando com Deus, deve haver algum tipo de perseguição para você enfrentar - alguma forma de ataque.

Como 2 Timóteo 3:12 diz, "De fato, todos os que desejam viver piedosamente em Cristo Jesus serão perseguidos." Perseguição é uma realidade e o diabo irá abordá-lo principalmente de duas maneiras: para fora e para dentro. Às vezes ele vem contra nós como um leão. Ele vai atacar externamente sob a forma de ameaças físicas, calúnia e assim por diante. Porém, muitas vezes, ele vem como uma serpente, rastejando pela porta dos fundos.

Quando criança, eu tinha um grande fascínio por cobras, tanto que eu aspirava ser um herpetologista. Eu colecionava cobras, lia tudo sobre cobras e sabia muita coisa a respeito delas. E eu também aprendi que as cobras possuem a capacidade de entrar e sair dos lugares mais difíceis. Tive inclusive, algumas cobras que conseguiram fugir.

Você pode ter todas as suas defesas e pensar: o diabo nunca irá penetrar nesta fortaleza. Estou pronto! Mas então, ele virá rastejando através de uma pequena abertura. É por isso que a Bíblia nos adverte: "Sejam sóbrios e vigiem. O diabo, o inimigo de vocês, anda ao redor como leão, rugindo e procurando a quem possa devorar" (1 Pedro 5:8). Então lembre-se: sempre que Deus estiver trabalhando, o diabo vai se opor.

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

Comece a Cantar

"Pôs um novo cântico na minha boca, um hino de louvor ao nosso Deus. Muitos verão isso e temerão, e confiarão no Senhor." (Salmos 40:3)

Existem dois elementos que devem estar sempre presentes na adoração: reverência e alegria. Ambos são importantes. Na igreja primitiva, havia uma alegria explícita que os crentes expressavam em seu culto ao Senhor (Atos 2:46). Mas havia também reverência. Atos 2:43 diz que "Todos estavam cheios de temor, e muitas maravilhas e sinais eram feitos pelos apóstolos."

A igreja cheia do Espírito Santo será uma igreja de adoração e o cristão cheio do Espírito Santo será um cristão adorador. E quando você se junta com o povo de Deus em adoração, algo maravilhoso acontece. Deus manifesta a Sua presença de uma maneira única quando o Seu povo se reune para honrar o Seu nome. Como Jesus disse: "Pois onde se reunirem dois ou três em meu nome, ali eu estou no meio deles" (Mateus 18:20). A Bíblia também diz que Deus habita nos louvores de Seu povo (Salmo 22:3).

Deus é onipresente, o que significa que Ele está em toda parte. Mas quando você se reune com outros crentes e exalta o Seu nome em louvor, Deus abençoa isso de uma maneira especial e manifesta a Sua presença, a Sua glória. Não há nada melhor do que a adoração com pessoas reunidas - um vínculo especial que sentimos, a bênção de Deus, uma sensação de realização quando fazemos o que fomos criados para fazer, que é glorificar a Deus.

A fé cristã é uma fé de canto e isso não é necessariamente verdade em outras religiões. Elas podem cantar, gemer e podem ter suas várias formas musicais, mas não há fé que seja cheia de canto vibrante e alegre como o cristianismo. Temos canções melhores que qualquer outra religião na terra, e Deus simplesmente continua dando-nos mais e mais. Por que? Porque temos algo pelo que cantar. Então, comece a cantar!

A Igreja e os Novos Crentes

"O generoso prosperará; quem dá alívio aos outros, alívio receberá." (Provérbios 11:25)

Lembro-me da primeira vez que levamos a nossa neta Stela para a Disney. É muito divertido ir a Disney com as crianças. Quando se vai com adultos, não é a mesma coisa.
Nós, adultos, temos a tendência de começar a reclamar logo de cara. Reclamamos das filas muito longas, que estamos cansados, ou que está muito quente. Como adultos, vemos as coisas de forma diferente. Mas quando você vai para a Disney com uma criança, tudo muda. Você passa a ver as coisas através dos olhos dela.

É a mesma coisa quando você passa um tempo com novos crentes e os vê descobrir, pela primeira vez, o que significa conhecer Jesus. Isso pode reaviva-lo. A Bíblia nos diz que "quem dá alívio aos outros, alívio receberá " (Provérbios 11:25). Passar um tempo com novos crentes vai reabastecê-lo em sua caminhada com Cristo.

A igreja primitiva tinha novos crentes chegando constantemente e hoje também precisamos deles. Como pastor não peço desculpas por enfatizar a Bíblia, pela adoração, pelo discipulado, por ajudar pessoas que estão em necessidade e por pregar o evangelho. Esta é a maneira que Deus quer que a igreja seja.

A igreja primitiva tinha um crescimento regular e mesmo diário. Sua evangelização não era uma coisa ocasional ou esporádica; era algo que acontecia o tempo todo. Eles estavam envolvidos na evangelização contínua. É isso que cada igreja deveria fazer. Toda semana, devemos dar às pessoas uma oportunidade para vir a Cristo, não apenas fazendo um evento periódico aqui e ali.

Mostre-me uma igreja que não tem um fluxo constante de novos crentes entrando, e eu lhe mostrarei uma igreja estagnada. A igreja precisa de novos crentes para lembrá-la de seu significado. E os novos crentes precisam da igreja para estabilizá-los.

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

Adorar é Testemunho

"[...] e o Senhor lhes acrescentava todos os dias os que iam sendo salvos." (Atos 2:47)

Há uma conexão direta entre adorar e testemunhar. Somos observados pelo mundo. E este mundo se maravilha quando um Cristão ora a Deus no momento em que passa por dificuldades. É um poderoso testemunho.

Algumas vezes este mundo até se junta a nós em orações. Então, que tipo de adorador é você? Que tipo de testemunha você é? Você pode pensar que isso não importa, mas importa sim, pois aqueles que não creem estão sempre “avaliando” as coisas. Talvez alguém sentado ao seu lado nunca tenha estado em uma igreja antes. Mas enquanto o culto acontecia, você se preocupava. Você conversava com um amigo, tinha um devaneio, ou escrevia uma mensagem de texto pelo celular. É importante prestar atenção e se envolver durante o culto. Os incrédulos podem estar lhe observando.

Posso falar de cadeira sobre isso, pois cheguei à fé através de um grupo de Cristãos que adoravam. Ninguém me convidou para a reunião, ninguém abriu o evangelho e me explicou como conhecer Jesus Cristo. Mas quando vi aquele grupo de Cristãos sentados em frente à minha universidade, cantando músicas de louvor para Jesus Cristo, observei-os e pensei “eles têm algo que eu não tenho”. Isso abriu o meu coração para ouvir e crer na mensagem que fora passada naquele dia.

Há uma conexão entre adorar e testemunhar. Então, vamos fazer do jeito certo. Vamos nos certificar que nosso coração está no lugar correto, com Deus.

Como foi animador este grupo da antiga igreja. Num mundo perdido que observava, eles aprenderam, amaram, cuidaram, adoraram, oraram, e ajudaram os outros. O mundo assistiu e prestou atenção e algumas pessoas vieram para a fé.
Então testemunho não é apenas algo que fazemos. É algo que somos.

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

O Sacrifício de Louvor

"Por meio de Jesus, portanto, ofereçamos continuamente a Deus um sacrifício de louvor, que é fruto de lábios que confessam o seu nome." (Hebreus 13:15)

Há momentos em que não sentimos vontade de louvar a Deus. Mas os crentes do primeiro século sempre sentiam vontade de louvar a Deus? Eles foram perseguidos. Eles foram espancados. Eles foram ridicularizados. E isso tudo foi antes do café da manhã. Todavia, ainda assim eles adoravam ao Senhor.

A Bíblia não diz para dar graças ao Senhor porque você se sente bem. Ao contrário, a Bíblia diz, "Dêem graças ao Senhor porque ele é bom; o seu amor dura para sempre" (Salmo 106:1). A Bíblia também nos diz para oferecer, através de Jesus, um contínuo sacrifício de louvor a Deus, que é fruto de lábios que confessam o seu nome (Hebreus 13:15). Sim, louvor e adoração às vezes podem ser um sacrifício. Há momentos quando estamos para baixo, ou deprimidos, ou quando as coisas não vão lá muito bem; ou, quando ainda, há uma grande dificuldade ou tragédia, nas quais não queremos agradecer a Deus.

Mas o que você acha que Jó sentiu louvando a Deus quando perdeu tudo? Ele perdeu a sua família, a sua casa, as suas posses, a sua saúde - e tudo de uma única vez. Mas o que a Bíblia diz que ele fez? Ele "prostrou-se no chão em adoração" e disse: "Saí nu do ventre da minha mãe, e nu partirei. O Senhor o deu, o Senhor o levou; louvado seja o nome do Senhor" (Jó 1:20-21).
Este sim, é o sacrifício de louvor.

O sacrifício de louvor é também algo que devemos verbalizar. Observe que Hebreus 13:15 diz que oferecer um sacrifício contínuo de louvor a Deus inclui "lábios que confessam o seu nome". Precisamos verbalizar o nosso louvor a Deus. Não que Deus precise de nossos elogios, mas  - mesmo assim - Ele os quer. E é Ele que nos diz para proclamar o nosso louvor.

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

Uma Autoridade Maior

"Não se amoldem ao padrão deste mundo, mas transformem-se pela renovação da sua mente, para que sejam capazes de experimentar e comprovar a boa, agradável e perfeita vontade de Deus." (Romanos 12:2)

Tive uma conversa há tempos atrás com uma jovem mulher que estava tendo um caso com um homem casado. Ela havia se identificado como cristã, então lhe perguntei: "Você se considera uma pessoa cristã?"

-"Sim, me considero", disse ela.

Então, perguntei-lhe: "Você acredita que a Bíblia é a Palavra de Deus?" Para minha surpresa, ela disse que sim. Então eu continuei e tentei explicar por que suas escolhas estavam erradas. Indiquei passagens da Escritura que deixavam isso claro. Sua resposta foi que essa era a minha opinião, enquanto ela, por outro lado, sentia que estava agindo de maneira correta. Não é que ela estivesse usando outra Escritura para refutar o meu ponto. Ela simplesmente sentiu que eu tinha a minha opinião e ela a dela.

A letra de um sucesso musical dos anos 1970, "You Light Up My Life", dizia, "não se pode estar errado quando nos sentimos tão bem". Isso não é assim. Podemos estar errados sim quando nos sentimos bem, porque nossas emoções podem nos enganar. Nossos sentimentos são perigosos. Você não pode basear suas decisões somente por se sentir bem ou parecer bom. Você deve ter uma autoridade superior; e, é claro que essa autoridade é a Palavra de Deus.

Alguém me perguntou certa vez sobre o que eu faço quando vejo uma passagem na Bíblia com a qual não concordo. Minha resposta foi que, neste caso, devemos mudar de opinião, porque estamos errados. É simples assim. Você não deve discordar da Bíblia e deve aceitar o que ela ensina a respeito de Deus. Esse é o caminho mais fácil. Mas, você também pode descobrir as respostas da maneira mais difícil. É você quem deve decidir qual o caminho a seguir.
Receber os Devocionais Diários por email

terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

Por Que Comunhão?

"Nós lhes proclamamos o que vimos e ouvimos para que vocês também tenham comunhão conosco. Nossa comunhão é com o Pai e com seu Filho Jesus Cristo." (1 João 1:3)

Os cristãos tendem a usar bastante a palavra "comunhão", tipo: "Vamos ter comunhão"; ou: "Vamos nos reunir no Salão da Comunhão".
- Mas o que essa palavra quer realmente dizer?

Quando Atos 2:42 diz que os primeiros fiéis "se dedicavam ao ensino dos apóstolos e à comunhão" (grifo nosso), usa a palavra grega koinonia, que pode ser traduzida por "comunhão", "parceria" ou "camaradagem". Também significa "generosidade". Então a comunhão engloba todas essas ideias; é bem mais do que relações sociais.

Qualquer um pode ter relações sociais. Quaisquer pessoas podem juntar-se e agrupar-se em torno de suas paixões, seja no que for que estejam interessadas. Mas a comunhão da qual a Bíblia fala não é esse tipo de reunião ou interação social. É inteiramente diferente. São pessoas juntando-se para falar das coisas de Deus.

Comunhão é orar juntos. É servir juntos. É doar juntos. É envelhecer juntos. Essas são as nervuras da comunhão. E a comunhão com Deus e com o Seu povo andam juntas. À medida que conhecemos Deus por meio de Sua Palavra, vamos querer comunhão com outros fiéis. Quanto mais forte for sua comunhão no plano vertical, mais forte será a comunhão no plano horizontal. Como 1 João 1:3 diz: "Nós lhes proclamamos o que vimos e ouvimos para que vocês também tenham comunhão conosco. Nossa comunhão é com o Pai e com seu Filho Jesus Cristo". Se você se achar sem comunhão com Deus, logo vai encontrar-se sem comunhão também com outros fiéis.

Então, se você quiser ser como um daqueles primeiros fiéis da igreja do primeiro século, precisará não só amar a Deus e estudar a Sua Palavra, mas também precisará passar tempo em comunhão com o Seu povo.

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

Deus Pode Ser Conhecido?

"Visto que, na sabedoria de Deus, o mundo não o conheceu por meio da sabedoria humana, agradou a Deus salvar aqueles que crêem por meio da loucura da pregação." (1 Coríntios 1:21)

Deus pode ser conhecido - esta é a mensagem da igreja. Deus pode ser conhecido e dado a conhecer através da pregação. A pregação é a principal maneira de Deus para alcançar pessoas perdidas. Estamos anunciando um Deus conhecido para um mundo que não O conhece.

Isso não quer dizer que não tenhamos dúvidas pessoais, que não tenhamos nossas próprias lutas internas.
Nosso trabalho é direcioná-los corretamente apontando para Cristo.

Deus tem chamado a igreja para pregar aos perdidos. Jesus era um pregador da Palavra. Lemos em Mateus 4, que quando Ele começou Seu ministério, pregou: "O Reino de Deus está próximo. Arrependam-se e creiam nas boas novas!" (Marcos 1:15) Então, Ele enviou os seus discípulos a pregar também.

No entanto, a tendência hoje é que os pregadores compartilhem suas dúvidas em vez de sua fé. Precisamos ensinar a Palavra, sem desculpas. Falando aos gregos, o apóstolo Paulo não se levantou e disse: "Bem, eu vejo que vocês adoraram a um deus desconhecido. Ei, eu também adoro a um Deus desconhecido. Estamos todos em um mesmo barco. Vamos discutir... Onde está o cafezinho?" Não. O que Paulo dizia era: "Ora, o que vocês adoram [o 'Deus Desconhecido'], apesar de não conhecerem, eu lhes anuncio." (Atos 17:23). Deus pode ser conhecido.

Então, não me diga que Deus é um mistério, que Ele não pode ser conhecido e que na verdade é arrogante dizer o contrário. Deus pode ser conhecido, Deus deve ser conhecido e isso vai acontecer quando a Sua Palavra for proclamada com autoridade.