terça-feira, 15 de dezembro de 2015

Da Alegria à Tristeza

"Pensei comigo mesmo: Vamos. Vou experimentar a alegria. Descubra as coisas boas da vida! Mas isso também se revelou inútil. Concluí que o rir é loucura, e a alegria de nada vale." (Eclesiastes 2:1-2)

Salomão, que experimentou numa escala épica praticamente tudo o que este mundo tem para oferecer, chegou a esta conclusão: "Pensei comigo mesmo: Vamos. Vou experimentar a alegria. Descubra as coisas boas da vida! Mas isso também se revelou inútil." (Eclesiastes 2:1). E acrescentou: "O riso é bobagem. O que ele faz para buscar o prazer?"

Há um lugar para o riso. E também há um lugar para a tristeza. Jesus disse: "Bem-aventurados os pobres em espírito [...]" (Mateus 5:3), aqueles que se vêem como realmente são e, em seguida, tomam atitudes. A Bíblia diz: "Porque a tristeza segundo Deus opera arrependimento para a salvação, da qual ninguém se arrepende; mas a tristeza do mundo opera a morte" (2 Coríntios 7:10). A verdadeira tristeza vai levar a alegria, porque você vê o seu verdadeiro estado, decide fazer algo sobre isso, e se arrepende. Mas sem esta tristeza, não haverá alegria.

Às vezes lamentamos as repercussões do que temos feito. Se você está dirigindo muito rápido e vê a viatura da Polícia Rodoviária pelo retrovisor, com luzes piscando, você se arrepende. Só que você provavelmente não se arrependeu porque ultrapassou o limite de velocidade, mas sim por não ter notado a viatura. Você também pode lamentar pelo valor do seguro que irá subir em função disso. A questão é: na próxima vez, você vai andar mais devagar ou vai continuar acelerando? Às vezes lamentamos as consequências, mas não pedimos desculpas pelos atos. Não pedimos desculpas o suficiente para pararmos de fazer algo.

Bem-aventurados os pobres em espírito, as pessoas que se vêem como realmente são. Felizes os que choram; eles querem fazer algo sobre essa condição. Essas pessoas se entristecem sobre a situação delas e se arrependem. Como Romanos 4:8 diz: "Como é feliz aquele a quem o Senhor não atribui culpa." Assim, nossa tristeza conduz à alegria.

Nenhum comentário:

Postar um comentário