segunda-feira, 30 de novembro de 2015

Um Pecado Muito Real

"Não cobiçarás a casa do teu próximo. Não cobiçarás a mulher do teu próximo, nem seus servos ou servas, nem seu boi ou jumento, nem coisa alguma que lhe pertença." (Êxodo 20:17)

Enquanto os primeiros nove dos Dez Mandamentos lidam com ações externas, o último trata de uma ação do coração: a cobiça. Na verdade, trata-se de algo que podemos nem mesmo perceber. No entanto, Deus claramente especifica essa como um das dez coisas mais importantes que Ele quer que saibamos.

O que significa cobiçar? Não significa que seja errado ver algo que você goste e desejar tal objeto. Isso não é necessariamente cobiça. Deus disse: "Não cobiçarás a casa do teu próximo. Não cobiçarás a mulher do teu próximo, nem seus servos ou servas, nem seu boi ou jumento, nem coisa alguma que lhe pertença" (Êxodo 20:17, ênfase nossa). Observe que o contexto é algo que pertence a outra pessoa. 

O Novo Testamento traduz a palavra hebraica para "cobiça" como a palavra "luxúria". Então como é que a cobiça funciona? Os olhos olham para um objeto. A mente o admira. A vontade vai até ele. E o corpo se move para possuí-lo.

Vamos dizer que seu amigo acaba de comprar um carro novo. Você diz: "Nossa! Que carro legal!" Depois, no dia seguinte, você compra o mesmo carro, na mesma cor. Isso não é cobiçar; isso é copiar. Mas digamos que você pegue o carro novo do seu amigo para dar uma volta em torno da quadra e nunca mais volte. Isso é a cobiça que deu lugar ao roubo. Cobiçar é querer algo que pertence a outra pessoa e determinar que você vai buscá-lo, custe o que custar.

A cobiça pode infiltrar-se em muitas áreas de nossas vidas, e pode destruí-las. Casamentos são destruídos. Carreiras são destruídas. Famílias são destruídas. Acontece o tempo todo. A cobiça é um pecado muito real - e pagaremos um preço também muito real por ela.

Nenhum comentário:

Postar um comentário