quarta-feira, 16 de setembro de 2015

Um Obstáculo à Oração

"Portanto, se você estiver apresentando sua oferta diante do altar e ali se lembrar de que seu irmão tem algo contra você, deixe sua oferta ali, diante do altar, e vá primeiro reconciliar-se com seu irmão; depois volte e apresente sua oferta." (Mateus 5:23-24)

Um cristão que não perdoa é uma contradição. Se você é cristão, tem de perdoar, pois quem foi perdoado perdoa. Por isso, você não pode ser um cristão que não perdoa - e se quiser que suas orações sejam respondidas com um sim, você tem de perdoar os outros. Jesus deu este mandamento: "se você estiver apresentando sua oferta diante do altar e ali se lembrar de que seu irmão tem algo contra você, deixe sua oferta ali, diante do altar, e vá primeiro reconciliar-se com seu irmão; depois volte e apresente sua oferta" (Mateus 5:23-24).

Jesus nos ensinou também a orar assim: "Perdoa-nos os nossos pecados, pois também perdoamos a todos os que nos devem [...]" (Lucas 11:4). Precisamos aprender a perdoar, pois todos somos imperfeitos. Pecamos contra as pessoas e as pessoas contra nós. Os maridos ofendem as esposas e as esposas ofendem os maridos. Os pais ofendem os filhos, e os filhos os pais. Familiares se ofendem uns aos outros. Amigos se ofendem uns aos outros. Então temos de escolher perdoar. Temos de decidir não deixar que essas ofensas nos afastem da comunhão e proximidade com Deus.

Talvez alguém tenha lhe magoado muito e pode ser que você até tenha razão de estar com raiva e amargura. Mas sabe quem mais se fere quando você cultiva raiva, hostilidade e pensamentos de vingança contra alguém? Você mesmo. E não é só isso: você se afasta da comunhão com Deus. Efésios 4:32 manda: "Sejam bondosos e compassivos uns para com os outros, perdoando-se mutuamente [...]"

Quando Deus lhe perdoou, você fez por merecer? A pessoa que magoou você não merece ser perdoada? Perdoe-a assim mesmo. Com base na graça e no amor de Deus, deveríamos perdoar sempre.

Nenhum comentário:

Postar um comentário