sexta-feira, 18 de setembro de 2015

O Que é Bom?

"Bom e justo é o Senhor; por isso mostra o caminho aos pecadores." (Salmos 25:8)

Muitas pessoas apontam para o problema da existência do mal e do sofrimento, mais do que qualquer outro motivo, como sua razão para não acreditar em Deus. Mas, esse não é apenas o motivo dessas pessoas. É também o seu grande problema pessoal.

Olhamos para o nosso mundo atual e nos perguntamos: Se Deus é bom, por que isso aconteceu? Por que o terremoto? Por que o tsunami? Por que essa tragédia? Por que a doença? Por que perdas de vida? As perguntas são diversas e ilimitadas.

A implicação é que: ou Deus é todo-poderoso, mas não todo bom e por isso o mal não tem fim; ou Ele é todo bom, mas não é todo-poderoso; e, portanto, não pode parar o mal. O problema com a questão de "Se Deus é bom, então porque..." é que acreditamos que sabemos o que é bom e o que não é. A própria natureza da questão sugere que Deus não seja bom.

Mas quem sou eu ou quem é você para dizer o que é bom e o que não é? Quando foi que nos tornamos o centro moral do universo? Deus não é bom porque eu acho que Ele é bom ou porque você acha que Ele é bom. Ele não é bom porque votamos nele, e 98 por cento de nós acreditamos que Ele seja bom. Não. Deus é bom porque Ele assim o disse. Não há autoridade maior do que o próprio Deus. Jesus disse: "[...] Não há ninguém que seja bom, a não ser somente Deus" (Lucas 18:19).

Portanto, Deus é bom, quer acreditemos nisso ou não. Deus, e só Deus, é o supremo tribunal de arbitragem. Como o apóstolo Paulo disse: "Seja Deus verdadeiro e todo homem mentiroso [...]" (Romanos 3:4).

A grande questão é o que é bom, porque às vezes a nossa definição de bom e a definição de Deus não são as mesmas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário