segunda-feira, 11 de maio de 2015

Quase Cristão

"Então Agripa disse a Paulo: 'Você acha que em tão pouco tempo pode convencer-me a tornar-me cristão?'" (Atos 26:28)

Quase é uma palavra interessante. Uma palavra que usamos, às vezes, quando estamos atrasando alguma coisa, quando não estamos completamente prontos para um comprometimento. Talvez você tenha ido a um restaurante, onde o menu fosse do tamanho de uma pequena agenda telefônica. Quando o garçom chegou à sua mesa e perguntou se você já havia decidido o que iria pedir, você tenha dito: "Bem, quase."
Usamos esta palavra quando não temos certeza sobre alguma coisa.

Também usamos "quase" quando estamos atrasados. Por exemplo, se o marido e a mulher estão saindo para jantar e ele pergunta se ela está pronta para sair, ela vai dizer: "Bem, quase."

Usamos "quase" para uma série de situações, mas existem certas palavras que não combinam com ela, como em "quase grávida." A mulher está grávida ou não está. Outra palavra que não funciona com quase é "vencer". Ou você vence ou não vence. O vencedor é o vencedor, então você não pode quase vencer.

Mais uma palavra que não combina com a palavra quase é "cristão". Ou você é um cristão ou não é. Você pode estar bem no seu caminho para se tornar um cristão, olhar para as reivindicações de Cristo e investigá-las. Mas você não pode ser um quase cristão.

Quando o apóstolo Paulo apresentou o evangelho a Herodes Agripa, ele disse: Você quase me persuadiu a tornar-me cristão (Atos 26:28). Quase. Ele estava perto, mas não o suficiente. Aparentemente, Herodes Agripa foi movido pela apresentação poderosa e persuasiva de Paulo do evangelho; mas, em seguida, ele se virou e afastou-se dela. Ele foi o quase cristão.

Acho que há um monte de gente como Herodes Agripa nos dias de hoje: quase cristãos que pensam que são cristãos, quando na verdade não o são.
Link para o texto original
Receber os Devocionais Diários por email

Nenhum comentário:

Postar um comentário