terça-feira, 31 de março de 2015

A Face do Pecado

"E Pedro lhes disse: 'Vocês sabem muito bem que é contra a nossa lei um judeu associar-se a um gentio ou mesmo visitá-lo. Mas Deus me mostrou que eu não deveria chamar impuro ou imundo a homem nenhum.'" (Atos 10:28)

É muito fácil falar contra alguém que pecou até que você, pessoalmente, o conheça. É fácil dizer que certas coisas são pecado até que você conheça alguém que esteja preso por esse pecado. Talvez você tenha um amigo próximo, até mesmo um membro da família, que seja gay ou que lute contra o vício do álcool ou das drogas. Talvez você conheça alguém com uma criança que se perdeu. Talvez o seu próprio filho tenha se perdido. De repente, quando o pecado está a sua porta, não é o mesmo, porque agora você está cara a cara com o pecado.

Não estou dizendo que um pecado seja maior ou menor que outro. Estou dizendo que quando é com alguém que conhecemos, passamos a ver este pecado de outra maneira. Há um pouco mais de compaixão por aquela pessoa. Você quer ajudar, ao invés de simplesmente condenar.

Foi o que aconteceu com o apóstolo Pedro, que era judeu. Judeus foram ensinados desde a juventude a evitar o convívio com os gentios. Eles nunca comiam refeições preparadas pelos gentios. Um perfeito judeu nunca seria convidado para ir à casa de um gentio nem nunca convidaria um gentio para ir em sua casa. Isso fazia parte da cultura judaica e Pedro se sentia assim. Ele não queria sair de sua zona de conforto e ir para a presença dos não-judeus levando a mensagem do evangelho. No entanto, Deus amoleceu seu coração e Pedro começou a ver as coisas de forma diferente.

Como crentes, também podemos escrever para grupos de pessoas com as quais não concordamos. Muitas vezes os cristãos adotam a filosofia de "nós quatro e ninguém mais." Alguns não dividem nada e, como resultado, desperdiçam o que Deus pode fazer. Perdem assim, grandes oportunidades.

Nenhum comentário:

Postar um comentário