terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Compartilhe Sempre

"Como, pois, invocarão aquele em quem não creram? E como crerão naquele de quem não ouviram falar? E como ouvirão, se não houver quem pregue?" (Romanos 10:14)

Há críticos da evangelização em massa, ou cruzadas evangelísticas, que dizem não serem eficazes. Dizem que é muito melhor compartilhar o evangelho pessoa por pessoa, porque tentar reunir uma multidão em grandes estádios não é uma maneira eficaz de atingir as pessoas.

Discordo. Primeiro, porque encontramos as duas formas de evangelismo no Livro de Atos. Vemos o evangelismo em massa e também vemos exemplos de evangelismo pessoal.

Em segundo lugar, verificou-se que 85% das pessoas que vêm para a frente num evento de Cruzada Cristã foram trazidas por um amigo. Então, basicamente, a evangelização pessoa por pessoa (evangelismo pessoal) acompanha o evangelismo de larga escala.

Portanto, um evento de Cruzada Cristã pode ser um catalisador para um crente utilizar em seus esforços evangelísticos. Afinal de contas, há um grande número de descrentes que não vão à igreja quando são convidados pelos cristãos. Qualquer coisa relacionada a ir à igreja os intimida.

Mas ficarão mais propensos a aceitar o convite, quando forem convidados para ir a um estádio. É claro que um evento de Cruzada Cristã também é igreja. Na verdade, é uma igreja maior do que a que eles iriam com seus amigos cristãos. Mas independentemente do motivo que leve um descrente até um evento de Cruzada Cristã, o importante é que ele vai ouvir o evangelho.

Deus pode usar tanto o evangelismo de larga escala quanto o evangelismo pessoal para levar o evangelho adiante. Ambos são importantes.

É vital compartilharmos a nossa fé com as pessoas. Mas também é importante que espalhemos as sementes do evangelho para o maior número de pessoas que pudermos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário