terça-feira, 6 de janeiro de 2015

Caminhando Junto

“Duas pessoas andarão juntas se não tiverem de acordo?” (Amós 3:3)

Há tempos atrás eu tinha problemas com o meu pastor alemão sempre que saíamos para uma caminhada. Se outro cachorro chegasse perto dele, ele enlouquecia e investia contra o cão, mesmo que não estivesse lhe incomodando.

Quando comentei isso com as pessoas que nos deram o cão, perguntaram-me como eu estava passeando com ele. Eu disse-lhes então o quanto eu gostava de tirá-lo de casa, de soltá-lo e de deixá-lo ir para onde ele bem quisesse. Ele brincava, perseguia coelhos, interagia com outros cachorros, etc... Quando tivesse feito tudo o que quisesse, eu o levava para casa.

Eles me disseram então que eu não poderia mais fazer isso, porque estava deixando-lhe correr solto demais.
-“O problema é que ele é muito ‘filhote’.”
Explicaram que ele precisava ser sempre lembrado quem era o seu mestre. Disseram inclusive que o ideal seria conduzi-lo sempre numa coleira e usar uma focinheira.

Fiz isso e funcionou. Bastava puxar um pouco o focinho e ele não conseguia mais perseguir o coelho. Ele teve que ir aonde eu quisesse que ele fosse.

Depois de um tempo, tirei a focinheira. Agora ele já não precisa mais dela. Eu sou o mestre e ele é o cão. Ele só vai para onde eu vou.

Podemos nos comportar assim com Deus.
Vivemos dizendo: “Eis o que eu quero fazer, Senhor. Você vem comigo.”
Mas Deus diz: “Não é assim que funciona. Quero que você seja mais parecido Comigo. Quero que você fique em sintonia Comigo. Quero que você vá para onde Eu estou indo.”

Quando fizermos isso, viveremos uma vida cristã na sua plenitude.

Nenhum comentário:

Postar um comentário