segunda-feira, 13 de outubro de 2014

O Deus Que Sofre

"Foi desprezado e rejeitado pelos homens, um homem de tristeza e familiarizado com o sofrimento [...] Certamente ele tomou sobre si as nossas enfermidades e sobre si levou as nossas doenças [...]" (Isaías 53:3-4)


Quando pensamos em Deus, geralmente consideramos o fato de que Ele é justo, santo, amoroso e bom. Mas há algo a mais para ser considerado: Ele é o Deus que sofreu.

Não é natural pensar-se em um Criador perfeito experimentando características humanas como a dor e o sofrimento humano. Afinal, por que sofrer se não precisa?

Mas Deus sofreu. E, mais profundamente do que algum de nós poderia imaginar.

No livro A Cruz de Cristo, John Stott disse: "Nosso Deus é um Deus sofrido". E eu acho que ele tem razão.

Escute a descrição de Isaías daquilo por que Jesus (que era Deus) passaria (e passou) no Calvário:
Foi desprezado e rejeitado pelos homens, um homem de tristeza e familiarizado com o sofrimento... Certamente ele tomou sobre si as nossas enfermidades e sobre si levou as nossas doenças, contudo nós o consideramos castigado por Deus, por ele atingido e afligido. Mas ele foi transpassado por causa das nossas transgressões, foi esmagado por causa de nossas iniquidades; o castigo que nos trouxe paz estava sobre ele, e pelas suas feridas fomos curados.

"Um homem de sofrimento". Esse era Jesus.

Mas por que Deus sofreu? Porque amava e ama. Isso quer dizer que Ele entra em nosso sofrimento também.

Hebreus 2:17-18 nos diz: "Por essa razão era necessário que ele se tornasse semelhante a seus irmãos em todos os aspectos, para se tornar sumo sacerdote misericordioso e fiel com relação a Deus e fazer propiciação pelos pecados do povo. Porque, tendo em vista o que ele mesmo sofreu quando tentado, ele é capaz de socorrer aqueles que também estão sendo tentados."

Você hoje não está sozinho em seu sofrimento. Jesus passou por isso, esteve na sua pele e está aqui para ajuda-lo agora mesmo. Chame por Ele. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário