quinta-feira, 17 de abril de 2014

Uma Fé Inabalável

"O Senhor me livrará de toda obra maligna e me levará a salvo para o seu Reino celestial. A ele seja a glória para todo o sempre. Amém." (2 Timóteo 4:18)

Uma das coisas que mais me impressionam no apóstolo Paulo é que parece que ele sempre conseguia erguer-se acima de qualquer situação e aproveitar todas as oportunidades para pregar o evangelho.

Lemos no livro de Atos que quando Paulo e Silas foram jogados na prisão, começaram a cantar louvores a Deus à meia-noite. Sobreveio um terremoto, caíram os muros e, de uma hora para outra, o carcereiro que era responsável por acorrentá-los e açoitá-los estava perguntando: "Que devo fazer para ser salvo?"

Depois, quando Paulo foi levado a diversos dignatários de Roma, dominou todas as situações. Por exemplo, quando estava perante Félix, argumentou acerca da justiça, do domínio próprio e do julgamento por vir. Quando esteve diante de Festo e de Herodes Agripa II, disse: "Por que vocês haveriam de achar inacreditável que Deus ressuscite os mortos?" Fez esta pergunta a Herodes Agripa II: "Você acredita nos profetas? Sei que acredita".
Ele foi ainda prisioneiro num navio, e logo a tripulação, o capitão, os soldados e o centurião romano recebiam ordens suas - e todos lhe davam ouvidos!

Paulo era ousado. Não parecia ter medo de nada. Nunca parecia abater-se. E a sua vida nem sempre era fácil. Na verdade, foi muito difícil. Mas as palavras que ele escreveu aos crentes de Filipos pareciam sempre verdadeiras: "[...] aprendi a adaptar-me a toda e qualquer circunstância" (Filipenses 4:11).

Ele estava inteiramente convicto da fidelidade de Deus e era sustentado por essa convicção.

Nenhum comentário:

Postar um comentário