segunda-feira, 28 de abril de 2014

O Cristo Crucificado

"Os judeus pedem sinais miraculosos, e os gregos procuram sabedoria; nós, porém, pregamos a Cristo crucificado, o qual, de fato, é escândalo para os judeus e loucura para os gentios mas para os que foram chamados, tanto judeus como gregos, Cristo é o poder de Deus e a sabedoria de Deus." (1 Coríntios 1:22-24)

Talvez sintamos até um pouco de inveja dos cristãos do primeiro século, que pareciam ter milagres como parte diária de suas vidas. Sim, certamente milagres dramáticos ocorreram durante aquele tempo.

Lemos grandes coisas que aconteceram naquela época, como o homem aleijado na Porta Formosa no templo em Jerusalém, o qual começou a andar (Atos 3). Pedro foi libertado da prisão por um anjo. Uma mulher foi ressuscitada dentre os mortos. Podemos olhar carinhosamente para aquele tempo e dizer: "Aqueles é que eram bons tempos".

Porém, para sermos mais realistas é necessário atentar para o fato de que o livro de Atos é um registro do que Deus fez ao longo de um período aproximado de 30 anos. À medida que o lemos, parece-nos que os milagres aconteciam a cada 10 minutos. Mas, na verdade trata-se de um registro de milagres ocorridos durante um longo período de tempo.

Alguns de nós cristãos, podemos pensar que, se pudéssemos realizar um sinal ou milagre para algum incrédulo mais achegado, eles iriam acreditar. Mas, eis aqui o sinal que eles precisam: ​​o que Jesus realizou na cruz.

É a palavra da cruz que vai fazer a diferença. "Nós pregamos a Cristo crucificado", disse Paulo. Essa é a nossa mensagem. Isso é o que temos a dizer.

Paulo disse: "Pois decidi nada saber entre vocês, a não ser Jesus Cristo, e este, crucificado." (1 Coríntios 2:2)

Apesar de acreditar em milagres e esperar poder vê-los em maior número ao longo da minha vida, uma coisa nunca vai mudar: a mensagem simples que devemos anunciar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário