segunda-feira, 10 de março de 2014

Quando Louvar a Deus é Um Sacrifício

"Por meio de Jesus, portanto, ofereçamos continuamente a Deus um sacrifício de louvor, que é fruto de lábios que confessam o seu nome." (Hebreus13:15)

Falando francamente, há momentos em que louvar a Deus se torna um sacrifício, porque nós realmente não queremos. Há momentos em que estamos para baixo ou deprimidos, ou momentos em que as coisas não vão muito bem. Realmente não sentimos vontade de louvar ao Senhor.

Contudo, a Bíblia está repleta de admoestações para se dar glória, louvor e gratidão a Deus. O Salmo 106:1 diz: "Aleluia! Deem graças ao Senhor porque Ele é bom; o seu amor dura para sempre."

Observe que a Bíblia não diz: "Deem graças ao Senhor, quando vocês estiverem se sentindo bem." Em vez disso, ela diz: "Deem graças ao Senhor, porque Ele é bom." Eu não louvo a Deus porque tenho vontade. Eu louvo a Deus porque Ele é digno, independentemente de como eu esteja me sentindo.

Louvor pode ser um sacrifício às vezes. Descobri que quando, por obediência, eu começo a louvar ao Senhor, a emoção na hora começa a se ligar ao meu ato de obediência. A questão é que eu devo fazer isso porque Deus assim me diz.

No Evangelho de Lucas, encontramos a história de dez homens que foram milagrosamente tocados por Jesus. Pelo fato de terem lepra, estes homens estavam postos à margem da sociedade. No entanto, Jesus também se colocou à margem da sociedade para ir ao encontro deles, para tocá-los e curá-los dessa terrível doença. Apenas um, um samaritano, voltou e deu graças e louvores a Deus.

Jesus então fez uma pergunta provocativa: "Não se achou nenhum que voltasse e desse louvor a Deus, a não ser este estrangeiro?" (Lucas 17:18).
De diferentes maneiras, acho que Ele ainda faz esta pergunta hoje.

Nenhum comentário:

Postar um comentário