quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

Conhecer as Suas Estratégias

"[...] porque não ignoramos as suas maquinações." (2 Coríntios 2:11)

Billy Sunday certa vez disse: "Uma das razões pelas quais o pecado floresce é que o tratamos como se fosse um docinho em vez de uma cascavel".

Nós não precisamos apenas reconhecer o poder da tentação, mas também perceber que o nosso adversário, o diabo, é poderoso. Não convém subestimá-lo. Ele é um espírito poderoso com uma rede bem organizada de potências demoníacas pronta a obedecer as suas ordens. O apóstolo Paulo disse que não era ignorante "de suas maquinações", ou - literalmente - de suas estratégias e enganações (ver 2 Coríntios 2:11).

Jesus disse que o plano final do diabo é este: "O ladrão vem apenas para furtar, matar e destruir [...]" (João 10:10). Mas aí, em contraste, acrescentou: "eu vim para que tenham vida, e a tenham plenamente".

Cristo quer que tenhamos vida e em maior abundância (isto sem falar da vida eterna, para além do túmulo). O diabo quer roubar-nos da proteção de Deus. Ele quer destruir-nos. Quer matar-nos.

Não devemos subestimar o poder do diabo, mas também não devemos superestima-lo. Não devemos fraquejar diante do que ele pode fazer ou exagerar o conceito de quem ele é. Como está escrito em 1 João 4:4, "[...] aquele que está em vocês é maior do que aquele que está no mundo".

Deus pôs uma cerca de proteção em torno de cada um de Seus filhos. Isso não quer dizer que Ele não permita dificuldades, tampouco que Ele nos manterá livres de toda a tentação. Mas quer dizer que Deus nunca permitirá que sejamos tentados além daquilo que podemos suportar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário