terça-feira, 30 de abril de 2013

De Outro Mundo

"Disse Jesus: 'O meu Reino não é deste mundo. Se fosse, os meus servos lutariam para impedir que os judeus me prendessem. Mas agora o meu Reino não é daqui'." (João 18:36)

Muitas vezes os cristãos são mal interpretados. São tiradas conclusões erradas porque as pessoas nunca têm tempo para ouvir a mensagem do Evangelho com atenção e carinho. Jesus disse: "O meu Reino não é deste mundo. Se fosse, os meus servos lutariam para impedir que os judeus me prendessem. Mas agora o meu Reino não é daqui." (João 18:36)

Os primeiros cristãos foram insultados e criticados pelo que fizeram, sendo inclusive acusados de traição. Foram acusados até de defender a queda de César, quando na verdade não era nada disso. Os verdadeiros objetivos dos cristãos não eram compreendidos. Qualquer um que ouvisse com cuidado e atenção o que eles diziam, iria perceber que eles não buscavam estabelecer um reino convencional na terra. Eles não estavam tentando derrubar César ou mesmo Roma.

Os cristãos do primeiro século não tentaram derrotar o paganismo através da força bruta. Ao contrário, eles oraram muito e simplesmente compartilharam o seu modo de viver com os incrédulos. Suas armas foram positivas e não negativas. Eles oraram, pregaram e proclamaram a mensagem do Evangelho.

Como resultado, aqueles cristãos afetaram o mundo de uma forma muito intensa. E, no final das contas, eles acabaram se sobressaindo.
Se fizermos uma retrospectiva:
- Onde está Roma hoje? Já não é mais uma potência mundial.
- Ainda nos lembramos dos nomes dos grandes imperadores romanos? Da maioria deles, não.

Houve inúmeras tentativas de destruir a fé cristã ao longo da história. Mas todas elas sempre falharam; e, por uma razão muito simples: o cristianismo é Cristo. Ele vai prevalecer no final e estabelecerá o Seu Reino. E, porque estamos com Ele, também venceremos no final.
Link para o texto original

segunda-feira, 29 de abril de 2013

Um De Cada Vez

"Quando ouviram sobre a ressurreição dos mortos, alguns deles zombaram, e outros disseram: 'A esse respeito nós o ouviremos outra vez'". (Atos 17:32)

O apóstolo Paulo foi provavelmente o maior comunicador que a igreja já teve. Como orador brilhante e grande estudioso da Bíblia, da história e da cultura, ele sabia exatamente qual a abordagem se deveria usar em cada situação. Isso fica claro quando se lê qualquer texto que o Espírito Santo inspirou-lhe a escrever. No entanto, até mesmo a pregação do evangelho feita pelo brilhante e aplicado Paulo foi rejeitada por muitas pessoas.

Isto deve servir para nós como lembrete de que mesmo se você for a maior testemunha, um comunicador eficaz, mesmo que viva uma vida verdadeiramente piedosa e que geralmente tenha resposta para as perguntas difíceis que normalmente surgem, ainda assim, nem todos serão convencidos.

Em Jesus Cristo temos o exemplo perfeito dessa realidade. Ele nunca deslizou, nem uma única vez sequer. Ele era Deus em forma humana. Ele foi absolutamente perfeito e impecável. Contudo, apesar de tudo isso, Judas Iscariotes o vendeu por 30 moedas de prata.

Isso derruba o argumento frequentemente utilizado por aqueles que se justificam como não cristãos em função da hipocrisia existente na igreja. Jesus nunca foi um hipócrita. Mas Judas o traiu assim mesmo. Mesmo que sejamos pessoas piedosas, não conseguiremos convencer a todos. Até mesmo o grande apóstolo Paulo não conseguiu isso em suas pregações.

Então, o que devemos fazer? Precisamos começar pelo mundo ao nosso redor. Devemos procurar viver uma vida voltada para Deus e compartilhar o evangelho com aqueles que mantemos contato. Precisamos lembrar que o processo nem sempre será fácil. Mas, assim como foi nos dias de Paulo, Deus continua trabalhando na mudança de vida das pessoas - uma de cada vez.

sexta-feira, 26 de abril de 2013

Sobre o Que Não Devemos Orar

"Esta é a confiança que temos ao nos aproximarmos de Deus: se pedirmos alguma coisa de acordo com a sua vontade, ele nos ouve." (1 João 5:14)

Num sentido genérico, podemos orar sobre todas as coisas. Mas, há certas coisas sobre as quais não devemos orar. Por exemplo: se alguém disser: "Greg, estou orando sobre roubar um banco. Quer orar comigo?" Vou orar por essa pessoa, mas não para que Deus abençoe os seus esforços. Por que? Porque a Bíblia diz: "Não furtarás" (Êxodo 20:15). Então, não devemos orar sobre isso.

No entanto, há certas coisas sobre as quais Deus nos diz que podemos orar. Ele nos diz que podemos orar por sabedoria: "Se algum de vocês tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá livremente, de boa vontade; e lhe será concedida." (Tiago 1:5).

Podemos orar por sua provisão. Filipenses 4:19 diz: "O meu Deus suprirá todas as necessidades de vocês, de acordo com as suas gloriosas riquezas em Cristo Jesus."

Podemos orar por proteção. Salmo 91:5-7 diz: "Você não temerá o pavor da noite, nem a flecha que voa de dia, nem a peste que se move sorrateira nas trevas, nem a praga que devasta ao meio-dia. Mil poderão cair ao seu lado, dez mil à sua direita, mas nada o atingirá."

A chave para a oração eficaz está em alinhar a nossa vontade à vontade de Deus, porque 1 João 5:14 nos diz: "Esta é a confiança que temos ao nos aproximarmos de Deus: se pedirmos alguma coisa de acordo com a sua vontade, ele nos ouve."

Nada está fora do alcance da oração, exceto o que está fora da vontade de Deus. Deus só responde as solicitações que ele aspira.

quinta-feira, 25 de abril de 2013

Um Modelo de Oração

"Certo dia Jesus estava orando em determinado lugar. Tendo terminado, um dos seus discípulos lhe disse: 'Senhor, ensina-nos a orar, como João ensinou aos discípulos dele'". (Lucas 11:1)

Para uma oração ser poderosa e eficaz, é preciso que - pelo menos em alguns momentos - reconheçamos com quem estamos falando.

"- Como assim? Toda oração não é dirigida a Deus?", alguém poderia perguntar.
Não necessariamente. Acho que é possível sim, orar sem sequer pensar-se em Deus. Acho que podemos nos apressar para estar na presença do Senhor, para simplesmente expor os nossos desejos e necessidades, como se fosse uma “lista de supermercados”; ou, como se estivéssemos falando com o Papai Noel, sem sequer termos um momento de contemplação a respeito de com quem estamos falando e para quem estamos pedindo essas coisas. Muitas vezes quando oramos, pensamos muito pouco no próprio Deus. Ao contrário, nossa mente é tomada pelas coisas que queremos.

Jesus nos deu um modelo de oração que chamamos de Pai Nosso. Na verdade a Bíblia não a chama assim. O nome seria melhor traduzido como "A Oração do Discípulo", porque um dia um discípulo veio a Jesus e disse: “Senhor, ensina-nos a orar, como João ensinou aos discípulos dele". Note que ele não disse: “Senhor, ensina-nos uma oração.” Pelo contrário, ele disse: “Ensina-nos a orar...”

Algumas pessoas atribuem um significado místico para a reprodução desta oração. Elas a vêem como uma espécie de arma a ser sacada quando tudo o mais falhar. Mas ela não é bem uma oração, que nos foi dada por Jesus para ser simplesmente repetida. É muito mais um modelo, uma estrutura para ser seguida quando orarmos. Não há nada de errado em rezar-se o Pai Nosso exatamente como está escrito. Isso pode ser bom, desde que venha do seu coração. Mas, o mais importante é que ela seja muito mais um guia para todas as outras orações que fazemos a Deus.

quarta-feira, 24 de abril de 2013

Faça Cada Dia Valer a Pena

"Ensina-nos a contar os nossos dias para que o nosso coração alcance sabedoria." (Salmo 90:12)


É difícil acharmos uma explicação quando a vida de uma pessoa muito jovem é abreviada. Espera-se que os jovens vivam muito mais; mas, quem pode dizer que a morte de um jovem não foi na hora certa? Quem pode dizer que aquela hora não era a duração exata de vida que Deus havia determinado desde o princípio para aquela pessoa?

É por isso que devemos fazer cada dia valer a pena. A Bíblia diz: "Ensina-nos a contar os nossos dias para que o nosso coração alcance sabedoria" (Salmos 90:12). Parafraseando: "Senhor, ajude-nos a perceber que nossas vidas podem terminar a qualquer momento e que, por isso, temos que aproveitar cada um de nossos dias sabiamente". Nenhum de nós sabe quando chegará o seu dia.

Quando Deus nos chama para ir pra casa, a gente vai e pronto. Podemos até viver tomando vitamina C, zinco, ervas, chá verde e evitar todas as toxinas possíveis e imaginaveis. Mas, quando for chamada a nossa "senha", terá chegado a nossa vez.

Em contrapartida, ficaremos por aqui enquanto Deus quiser. Ninguem irá antes da hora. Sendo ou não, as pessoas mais saudáveis do mundo, viveremos exatamente o tempo que Deus nos designou.

Preocupar-nos não vai prolongar as nossas vidas. E é claro que também não devemos correr riscos à toa, tentando ao Senhor, nem descuidar dos cuidados com o nosso corpo.

Mas, podemos ter a certeza de que estaremos por aqui enquanto Deus quiser. Como disse o apóstolo Paulo: "para mim o viver é Cristo e o morrer é lucro" (Filipenses 1:20).
Então, aproveitemos ao máximo a vida que Deus nos deu.
Vamos viver as nossas vidas plenamente.

terça-feira, 23 de abril de 2013

Ouvindo a Sua Voz

"O pastor abre a porta e as ovelhas ouvem a sua voz. Ele chama as suas ovelhas pelo nome e as leva para fora." (João 10:3)

À medida em que você começa a conhecer o seu Pastor, aprende que quando ele chama, vale a pena obedecer. Quando Ele diz algo, é para o seu próprio bem. Se Ele diz: "Vá por esse caminho", é porque Ele tem pastos verdejantes e águas tranquilas esperando por você. Se Ele diz: "Pare! Não faça isso", é porque Ele quer lhe proteger do perigo iminente, de algo que possivelmente traria risco a sua vida.

Deus falar conosco é um fato concreto e é mostrado claramente ao longo das Escrituras. Para alguns, como Moisés, Deus falou de forma audível. Para outros, como o profeta Elias, Ele falou silenciosamente em pelo menos uma oportunidade.

Muitas vezes esperamos por grandes acontecimentos, por enormes circunstâncias por meio das quais Deus fale conosco. Mas, na maioria das vezes, Ele fala conosco com uma voz mansa e calma. Só que é preciso desligar a TV, o som e tudo mais que possa distrair a nossa atenção para apenas ouvir. Com tanto barulho no mundo, com tantas informações que nos bombardeiam a todo momento, podemos ouvir tudo isso deixando de escutar a voz mais importante de todas. Talvez uma razão para não ouvirmos Deus, seja o fato de nunca pararmos para fazer isso. Devemos prestar atenção às palavras do Salmo 46:10, que diz: "Parem de lutar! Saibam que eu sou Deus!"

Uma vez que ouçamos a voz de Deus, precisamos segui-la. Jesus disse: "As ovelhas o seguem, porque conhecem a sua voz" (João 10:4). A palavra "seguir" significa decidir deliberadamente obedecer a algo. É uma escolha deliberada das ovelhas seguirem o pastor. Precisamos decidir seguir o nosso Pastor, para fazer o que Ele nos diz para fazer.

Quando o Deus Todo-Poderoso fala com você, com aquela voz mansa e calma, você ouve? Você O segue?
Link para o texto original

segunda-feira, 22 de abril de 2013

Por Que Orar é Essencial?

"Pedro, então, ficou detido na prisão, mas a igreja orava intensamente a Deus por ele." (Atos 12:5)

Você já esteve em alguma situação em que parecia não haver saída alguma? Tudo vai indo muito bem, quando, de repente, algo acontece e vira a sua vida de pernas pro ar. Obstáculos intransponíveis parecem surgir a cada minuto e você fica se perguntando: o que fazer?

Em Atos 12, encontramos uma história de como Deus pegou uma situação trágica, sem esperança e a transformou. Isso foi feito pelo poder da oração - o tipo de oração que chega ao trono de Deus e recebe  resposta.

Pedro e Tiago estavam na prisão. Tragicamente, Tiago foi condenado à morte. Mas Pedro continuava vivo. Apesar de todas as portas fechadas, uma permaneceu aberta: a porta da oração. A igreja reconheceu que "As armas com as quais lutamos não são humanas: são poderosas em Deus para destruir fortalezas." (2 Coríntios 10:4).

A oração era e é a arma secreta da igreja. Embora o diabo tivesse desferido um golpe contra a igreja, a igreja ganhou a vitória através da oração, com Pedro milagrosamente libertado.

Infelizmente, não oramos o suficiente. No entanto, é essencial que os cristãos aprendam mais sobre a oração eficaz, porque vamos enfrentar dificuldades. Vamos enfrentar momentos difíceis e vamos enfrentar problemas. Portanto, temos que aprender o que Deus pode fazer através da oração. Oração para o cristão, deve ser uma necessidade instintiva, tal como respirar. Devemos orar automaticamente, levar as nossas necessidades e solicitações na presença do Senhor constantemente. Jesus disse que devemos orar sempre e não desanimar. (cf. Lc 18:1).

A oração é algo que nunca devemos cansar de fazer e que nunca devemos nos esquecer.
Pelo contrário: devemos fazer isso constantemente.

sexta-feira, 19 de abril de 2013

Longe de Jesus?

"Aquele que não está comigo é contra mim..." (Lucas 11:23)

Depois de Jesus expulsar os demônios do homem que vivia entre os sepulcros, eles entraram em uma manada de porcos e se lançaram sobre um penhasco. Quando as pessoas viram o que havia acontecido, em vez de alegria, começaram a suplicar para que Ele fosse embora daquela região (Marcos 5:17).

Aquele episódio resume bem a reação de toda a humanidade com relação a Jesus Cristo.
Ou dizemos:: - Jesus, quero estar perto de ti.; ou
- Jesus, vai embora. Não te quero na minha vida."

Talvez você não concorde com essa afirmação e me diga:
- Espere aí. Até admito que ainda não tenha um compromisso firme com Cristo, mas é que eu estou ainda "me decidindo".
O fato é que se você não disser sim a Jesus, você está simplesmente dizendo-lhe para ir embora. Pois, conforme Ele próprio disse: "Aquele que não está comigo é contra mim" (Lucas 11:23). Ou você tem fé e confiança em Cristo ou tem incredulidade. Não há outra opção.

Você pode pensar: "Longe dEle?" Mas, eu nunca lhe pedi para ir embora. Só que -indiretamente - é isso que você tem feito. Ao não querer desistir de algumas coisas em sua vida que você sabe que são erradas; ao justificar-se que está sempre muito ocupado (tendo tempo para tudo, exceto para Jesus), você está na verdade resistindo à obra de Deus em seu coração. 

Tudo portanto, se resume essencialmente  à maneira como você tem se relacionado com Jesus.
- E o que você vai dizer agora?
- Dá um tempo, Jesus!"; ou vai convidá-lo para fazer parte da sua vida?
Ele sempre oferece o Seu perdão. Aceite-o. A escolha é só sua.
Não jogue fora essa oportunidade!

quinta-feira, 18 de abril de 2013

Sem Questionamentos

“Um anjo do Senhor disse a Filipe: 'Vá para o sul, para a estrada deserta que desce de Jerusalém a Gaza'” (Atos 8:26

Filipe foi usado para guiar outros a Jesus, simplesmente porque era obediente. Em atos 8:26 lemos que o Senhor disse-lhe: “Vá para o sul...” Filipe poderia ter questionado o anjo quanto as instruções que recebera. Filipe estava na cidade de Samaria, quando apareceu-lhe o anjo que disse: "Vá para o sul, para a estrada que desce de Jerusalém a Gaza".

Um pouco de geografia nos ajuda a entender  melhor a situação. O anjo estava dizendo a Filipe para viajar cerca de 130 quilômetros. Se algum de nós tivesse que fazer esta viagem hoje, bastaria pegar um carro e estaríamos lá em pouco mais de uma hora. Mas Filipe tinha que ir a pé. E 130 quilômetros, a pé, é uma longa caminhada, que levava dias para ser completada.

Repare que o Senhor não disse: “há pessoas esperando para ouvir o evangelho”. Ele simplesmente disse: “vá para a estrada deserta”.

Filipe poderia ter dito:
- Desculpe-me, mas os apóstolos e outros crentes de Jerusalém estão pelo menos 50 quilômetros mais próximos que eu. Você não poderia chamar um deles? ou,
- Estou ocupado aqui. E eu não sou o único cristão que pode ser chamado. Dá para chamar outra pessoa?”
Não, não lemos nada sobre Filipe falando coisas desse tipo.

Às vezes, Deus nos manda fazer coisas que não fazem sentido para nós no momento.
- Mas, quem somos nós para questionar a sabedoria de Deus?
Foi por isso que Filipe era um homem com quem Deus podia contar. Filipe reconhecia que Deus sabia exatamente o que estava fazendo.
- E você: reconhece isso também?

quarta-feira, 17 de abril de 2013

Achando as Ovelhas Perdidas

"[...] 'Alegrem-se comigo, pois encontrei minha ovelha perdida.'" (Lucas 15:6)

O diabo tentava impedir Jesus e os apóstolos de alcançarem uma pobre alma torturada: um homem possuído pelo demônio que morava entre os sepulcros. Jesus disse aos discípulos: "Vamos atravessar para o outro lado" (Marcos 4:35). Então eles embarcaram num barquinho e foram cruzar o Mar da Galiléia. De repente, caiu uma tempestade e as ondas batiam o barco de tal jeito que até aqueles pescadores mais experientes acharam que iam se afogar.

Mas Jesus não iria deixar que o detivessem. Ele explicou o por quê no Evangelho de Lucas, dizendo:

"Qual de vocês que, possuindo cem ovelhas, e perdendo uma, não deixa as noventa e nove no campo e vai atrás da ovelha perdida, até encontrá-la? E quando a encontra, coloca-a alegremente sobre os ombros e vai para casa. Ao chegar, reúne seus amigos e vizinhos e diz: ‘Alegrem-se comigo, pois encontrei minha ovelha perdida’" (Lucas 15:4-6).

O diabo está sempre em serviço. Não descansa nem durante o dia, nem durante a noite. Está sempre alerta. Ele quer destruir você e tornar a sua vida infeliz. Aquele homem atormentado era a ovelha atrás da qual Jesus queria ir. Jesus não ia permitir que as águas O impedissem de atingir o seu objetivo.

O diabo procurou deter Jesus, mas fracassou. E é sempre assim que acontece.
Link para o texto original

terça-feira, 16 de abril de 2013

Satanás, Sociedade ou o Salvador?

"Portanto, se o Filho os libertar, vocês de fato serão livres." (João 8:36)

Naquele episódio do homem possuído pelo demônio, havia tres forças atuando sobre ele (ver Marcos 5). A primeira era Satanás. Como um leão que ruge, Satanás já tinha entrado naquele homem, com a intenção de destruí-lo (ver 1 Pedro 5:8).

A segunda era a sociedade. O que a sociedade havia feito por ele? Eles o acorrentaram e ele simplesmente destruiu as correntes. O que mais poderiam fazer? A sociedade não conseguia resolver o problema, pois a causa estava no coração dele. Ninguém podia ajudá-lo e a sua situação era desesperadora.

Mas então o Salvador, como terceira força, entrou em sua vida. O que Jesus fez por ele? Ele foi até o local obscuro onde aquele homem vivia. Jesus viu a sua alma sofrendo, torturada e ofereceu esperança. Aquilo que a sociedade não conseguia fazer para libertar aquele homem de Satanás e do pecado, Jesus fez com poucas palavras. "Pois Jesus lhe tinha dito: 'Saia deste homem, espírito imundo!'" (Marcos 5:8).

Os demônios saíram daquele homem e entraram em uma manada de porcos. Jesus transformou sua vida. Ele era agora realmente livre. Foi dito por Jesus: "Portanto, se o Filho os libertar, vocês de fato serão livres." (João 8:36)

Não é engraçado que, com todas as nossas realizações e conquistas de hoje, as pessoas ainda não consigam lidar com os problemas causados por Satanás e pelo pecado? Não podemos vencer o diabo com nossas próprias forças. Nós não sabemos o que fazer. A sociedade não tem as respostas. Também precisamos de um Salvador para nos ajudar.

Jesus Cristo também pode transformar a sua vida e torná-lo livre. Sabemos que isso é verdade, porque Ele já fez isso por muitos de nós. Venha até Ele. Deixe que Ele o liberte. Deixe que Ele seja também o seu Salvador.
Link para o texto original

segunda-feira, 15 de abril de 2013

O Homem Aprisionado por Satanás

"[...] vindo o inimigo como uma corrente de águas, o Espírito do SENHOR arvorará contra ele a sua bandeira." (Isaías 59:19)

Em Marcos 5, a Bíblia nos fala de um homem que, possuído por demônios tinha uma força sobre-humana e era capaz de quebrar suas correntes com as próprias mãos. Este homem vivia entre os túmulos e nos montes. Era um homem assustador e perigoso.

Mas debaixo desse horrendo exterior havia uma alma torturada. Esse é o retrato do objetivo final de Satanás para com a humanidade. O que realmente o diabo quer é destruir a sua vida. Embora seja verdade que Deus ama você e que tem um plano maravilhoso para a sua vida, também é verdade que Satanás odeia você e que tem um plano terrível para a sua vida. O diabo sabe que sua condenação é certa. Ele sabe que Jesus realmente voltará em breve. Por isso ele está retirando todas as barreiras e está redobrando os seus esforços.

A boa notícia é que, embora o diabo esteja trabalhando com afinco, Deus também está realizando o seu trabalho. A Bíblia diz: "[...] vindo o inimigo como uma corrente de águas, o Espírito do SENHOR arvorará contra ele a sua bandeira" (Isaías 59:19).

Essa história referida acima teve um final muito feliz. Jesus entrou na vida desse pobre homem torturado e fez dele uma pessoa completamente nova. Jesus expulsou dele a legião de demônios que o atormentavam. A legião entrou numa vara de porcos que estava por ali e acabou se atirando precipício abaixo. Foi uma transformação dramática para aquele homem.

Jesus pode transformar também a sua vida. Deixe que Ele levante uma bandeira contra o inimigo em sua vida ainda hoje.

sexta-feira, 12 de abril de 2013

Só Sei uma Coisa

"Ele respondeu: 'Não sei se ele é pecador ou não. Uma coisa sei: eu era cego e agora vejo!'" (João 9:25)

Sabe de uma coisa? As testemunhas de Jesus mais persuasivas são as pessoas recém convertidas. Seria de se esperar que seriam aquelas que conhecem o Senhor há muito tempo, que têm andado com Cristo há muitos anos. É de se pensar que, com todo o conhecimento bíblico acumulado, com todo esse tempo junto ao povo de Deus, frequentando a igreja e crescendo espiritualmente, essas pessoas estivessem pelo mundo afora, causando grandes transformações. Mas, na prática, quem geralmente faz isso são os jovens na fé.

O cego que Jesus curou ainda nem tinha caído em si, mas já começava a falar da sua experiência para  os outros. No começo ele simplesmente se referia a Jesus como "o homem chamado Jesus" (João 9:11). Conforme seu entendimento cresceu, ele se referiu a Jesus como um profeta (João 9:17). Então ele disse: "Se esse homem não fosse de Deus, Ele não poderia fazer coisa alguma" (João 9:33).
- Dá para perceber como a sua fé crescia?

Você já percebeu como há algo espiritualmente revigorante ao se assumir um compromisso com Jesus Cristo? Quando você começar a contar a sua experiência para outra pessoa, você pode até não saber muita coisa, mas sabe o principal: que uma vez estava cego e que agora vê.
Pelo menos você pode dizer: "Antes eu estava preso ao pecado, mas agora estou perdoado. Antes eu era vazio, mas agora minha vida está cheia. Antes eu caminhava para o inferno, mas agora eu vou para o céu."

Noto que ao longo dos anos, quando compartilho a minha fé, ela cresce e fica cada vez mais forte. Por que acontece isso? Porque o Espírito Santo passa a inspirar os nossos pensamentos e passa a falar através de nós. A fé é muito parecida com um músculo: quanto mais se usa, mais forte ela fica; quanto menos se usa, mais fraca ela se torna.
Por isso, é muito importante que exercitemos a nossa fé.

quinta-feira, 11 de abril de 2013

Apesar da Doença

“Ele [Deus] enxugará dos seus olhos toda lágrima. Não haverá mais morte, nem tristeza, nem choro, nem dor, pois a antiga ordem já passou” (Apocalipse 21:4)

Deus continua trabalhando apesar das doenças. Ele ainda responde a orações e cura pessoas hoje em dia. Ele ainda opera milagres. Na doença e nas necessidades, Ele pode trabalhar a vida de uma pessoa. Quando ela ainda tem uma doença ou problema, Deus pode trabalhar, pode dar-lhe uma força especial. Deus diz que limpará de seus olhos toda a lágrima; e não haverá mais morte, nem pranto, nem clamor, nem dor (Apocalipse 21:4). As pessoas podem ter a promessa de que estarão no céu um dia.

Essa promessa é a grande esperança dos cristãos. Há mais que apenas essa vida na terra. Quaisquer que sejam nossas limitações, nossos problemas, Deus promete que além dessa vida receberemos um novo corpo que não sofrerá o que sofremos hoje.

E Deus também pode usar a doença para trazer uma pessoa para Ele, não pode? Eu conheço muitas pessoas que chegaram ao Senhor em uma cama de hospital. Muitas pessoas que se voltaram ao Senhor ao enfrentarem a morte de perto. Elas começam a reavaliar suas vidas. Começam a pensar: por o que estou vivendo? O que é realmente importante em minha vida? O que vai acontecer comigo quando eu me for? E começam a pensar sobre a eternidade.

Como o salmista falou: “Antes de ser castigado, eu andava desviado, mas agora obedeço à tua palavra.” (Salmos 119:67). Deus pode trabalhar além da doença e Ele pode trabalhar através da doença. Nada é impossível para Ele.

quarta-feira, 10 de abril de 2013

Quem Pecou?

"Seus discípulos lhe perguntaram: 'Mestre, quem pecou: este homem ou seus pais, para que ele nascesse cego?'" (João 9:2)

Frequentemente é levantada a questão se o nosso sofrimento físico na terra resulta do pecado. Quem pecou? Essa pergunta já fizeram os apóstolos a Jesus em João 9. Foi o cego ou foram seus pais? Jesus respondeu apontando claramente que não havia relação alguma entre essas duas coisas. Em outras palavras, o cego não estava sendo punido pelos seus pecados nem tampouco pelos de seus pais.

Mas vejamos o seguinte: Jesus não disse que o sofrimento é uma coisa aleatória e sem relação alguma com o pecado; pois, num sentido amplo, toda doença, toda deficiência e toda limitação que acompanha o nosso corpo físico resulta do pecado. O plano original de Deus não era que o nosso corpo ficasse doente, ou que se desgastasse, ou que morresse. O propósito original de Deus para este corpo era que ele vivesse para sempre. Mas, por causa do pecado de Adão, por ele haver desobedecido a Deus no Jardim do Éden, o pecado tomou vida e se espalhou para toda a humanidade.

E é bom que se diga que podemos vir a enfrentar dificuldades físicas como consequência do nosso próprio pecado. Se você é alcoólatra, isso vai afetá-lo fisicamente. Se é viciado, também. De certo modo esses problemas físicos podem estar ligados diretamente ao pecado. Então: sim, você pode vir a trazer problemas para a sua vida como consequência de haver quebrado os mandamentos de Deus.

Há um motivo para Deus nos ter dado essas instruções: foram para o nosso próprio bem. Ele tinha um plano e um propósito para cada regra, a fim de que elas nos protegessem na vida e pudéssemos viver a vida plenamente. Todo dia, podemos escolher entre o certo e o errado. Prefira o que é vida!
Link para o texto original

terça-feira, 9 de abril de 2013

O Preço da Fé

"Diante disso, eles responderam: 'Você nasceu cheio de pecado; como tem a ousadia de nos ensinar?' E o expulsaram." (João 9:34)

Quando Jesus curou um cego, será que todos na cidade se alegraram com isso? Não, nem todos se alegraram. O próprio ex-cego inclusive, teve problemas com as autoridades religiosas locais.

Esse homem sabia muito pouco sobre Jesus. Quando questionado, tudo o que podia dizer era: "Um homem chamado Jesus fez isso por mim" (João 9:11). E ele não sabia se iria se encontrar com o Senhor novamente.

Ele sabia que agora tinha problemas. Naqueles tempos, a vida das pessoas girava em torno da sinagoga. Ser expulso de lá era algo semelhante a um exílio. Você provavelmente perderia seu emprego e seus amigos. Poderia até perder sua família. A última coisa que você iria querer fazer portanto, seria ofender as pessoas da sinagoga. Era bem melhor ficar numa boa com eles. Por isso esse homem sabia que estava em apuros. Ele começou a falar sobre o que Jesus tinha feito por ele. Ele não podia negar o que havia acontecido.

É bom lembrarmos que seguir Jesus tem um preço. Mas consideremos isto: embora seja verdade que segui-Lo tem um custo, também é verdade que não fazer isso custa ainda mais. Então seja lá o que você tenha que abrir mão para seguir a Cristo, vai valer a pena. Quaisquer sacrifícios que você tenha que fazer para seguir a Jesus valerão a pena.

Não há como fugir disso. Ou você tem harmonia com Deus e atrito com as pessoas, ou harmonia com as pessoas e atrito com Deus.
A escolha é sua.
Eu prefiro estar em harmonia com Deus. E você?
Link para o texto original

segunda-feira, 8 de abril de 2013

Crer Para Ver

"Então lhe disse: 'Vá lavar-se no tanque de Siloé' (que significa Enviado). O homem foi, lavou-se e voltou vendo." (João 9:7)

Todos nós já ouvimos alguém dizer: "Preciso ver para crer. Só acredito vendo." Mas a Bíblia nos ensina que, basicamente, acreditar é ver. Enquanto dizemos: "Preciso ver para crer", Deus nos diz: "Acredite e eu te farei ver."

Em João 9, lemos que Jesus abriu os olhos do cego em mais de uma maneira. O homem não só recebeu sua visão física, mas pela primeira vez em sua vida, foi capaz de verdadeiramente ver, pois teve seus olhos espirituais abertos. Ele foi capaz de compreender quem Deus era, o que era certo e errado e qual o propósito da vida.

Jesus também usou um método muito incomum para curá-lo. A Bíblia nos diz que Ele cuspiu no chão, fez lodo com a saliva e colocou-a sobre os olhos do homem. Então disse-lhe para ir se lavar no tanque de Siloé. Observe que Jesus não disse: "Vá se lavar no tanque de Siloé e você voltará a ver." Isso é importante ressaltar, porque Ele não ofereceu a este homem promessa alguma. Ele não disse algo maravilhoso que aconteceria se ele fosse. Ele só disse que ele deveria ir e fazer isso.

No entanto, algo foi ativado no coração e na mente desse homem cego, que o fez querer obedecer as palavras de Jesus o mais rapidamente possível. E nós devemos seguir o seu exemplo. Nós, também, podemos ter os nossos olhos espirituais abertos.

Aqueles que conhecem a Deus, perceberam que suas palavras e comandos são confiáveis ​​e devem ser imediatamente seguidos. Se Deus nos diz para fazer alguma coisa, é para o nosso próprio bem. Se Deus diz, é porque há alguma razão para isso. Obedeça-O. Grandes bênçãos aguardam aqueles que acreditam no Senhor.

sexta-feira, 5 de abril de 2013

Citar as Escrituras

"Pois a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais afiada que qualquer espada de dois gumes; ela penetra ao ponto de dividir alma e espírito, juntas e medulas, e julga os pensamentos e intenções do coração." (Hebreus 4:12)

Sempre soube ao pregar, que deveria citar fartamente as Escrituras, porque há autoridade na Bíblia. Não há autoridade alguma nas palavras de Greg Laurie, a não ser que ele esteja citando a Bíblia. A nossa autoridade vem da palavra de Deus. Por isso, devemos citá-las.

As pessoas podem não gostar do que dizemos e isso pode até mesmo incomodá-las. Mas, há muitos casos de pessoas que tomaram a decisão de seguir a Cristo em uma semana ou um mês, logo depois das pregações que promovemos. Já ouvi até histórias de pessoas que se converteram no estacionamento, logo após uma pregação. Uma semente foi plantada. Então ela germina, ainda que um pouco atrasada em relação à data que havíamos previsto. A palavra de Deus não volta vazia. Por isso, não tenha medo de citá-la. Deus fala da Sua Palavra: "assim também ocorre com a palavra que sai da minha boca: Ela não voltará para mim vazia, mas fará o que desejo e atingirá o propósito para o qual a enviei." (Isaías 55:11)

Enquanto o jovem Estevão perdia sua vida, o diabo poderia ter sussurrado no seu ouvido: "Olhe para você. Você abriu mão da sua vida por nada." Mas uma pequena semente fora plantada. E sem que Saulo de Tarso soubesse, ela estava prestes a germinar.

Ali estavam dois homens jovens, ambos defendendo suas convicções. Um era muito religioso. O outro, genuinamente espiritual. Estevão era humilde, salvo pela graça de Deus. Saulo era justiceiro, orgulhoso de suas obras e ações. Estevão defendia o evangelho, enquanto Saulo o perseguia. Mas, no final das contas, Saulo prosseguiu com o trabalho de Estevão. Ele acabou tomando o seu lugar.

quinta-feira, 4 de abril de 2013

Somente Um

"Então caiu de joelhos e bradou: 'Senhor, não os consideres culpados deste pecado'. E, dizendo isso, adormeceu. E Saulo estava ali, consentindo na morte de Estêvão. [...]" (Atos 7:60-8:1)

O que levou Saulo a ter tamanho ódio dos cristãos? Sem dúvida, foi a posição corajosa do jovem Estevão, que morreu rezando pelo perdão das pessoas que o estavam assassinando.

Saulo também estava presente quando Estevão corajosamente pregou o evangelho perante o Sinédrio. A Bíblia diz que o rosto de Estevão brilhava como se fosse o de um anjo. Eles gritavam e colocavam suas mãos sobre suas orelhas, de modo a não ouvi-lo mais. Então ele disse: "Vejo o céu aberto e o Filho do homem de pé, à direita de Deus" (Atos 7:56). Isso realmente o marcou profundamente. Eles gritaram ainda mais alto e então decidiram matá-lo. E enquanto o apedrejavam ele orava: "Senhor, não os consideres culpados deste pecado" (versículo 60).

Pelo que lemos nas Escrituras, Estevão não atingiu a milhões, nem a milhares de pessoas. Ele sequer alcançou centenas ou dezenas. Ele basicamente atingiu um homem apenas: Saulo de Tarso.

Alguns podem olhar para a vida de Estevão e dizer: "Foi uma tragédia." Mas Estevão fez o que Deus o chamou para fazer. Assim como Paulo no final de sua vida, disse: "Combati o bom combate, terminei a corrida, guardei a fé", também Estevão poderia dizer a mesma coisa. Seu caminho foi apenas diferente.
O que importa é que ele foi fiel àquilo que Deus colocou diante dele.

Embora as pessoas possam se fazer de surdas com relação ao que falamos; ou pior, pegando pedras para nos derrubar, sabemos pelo exemplo de Estêvão, que a Palavra de Deus nunca volta vazia.

quarta-feira, 3 de abril de 2013

Lealdade Equivocada

“Saulo, por sua vez, devastava a igreja. Indo de casa em casa, arrastava homens e mulheres e os lançava na prisão.” (Atos 8:3)

Através de registros bibliográficos, sabe-se que Saulo (ou Paulo) foi criado em uma casa judia bastante rigorosa. Isso significa que ele teria aprendido as escrituras desde pequeno. Sua família era da melhor estirpe: da tribo de Benjamim - a tribo do primeiro rei de Israel, Saul.  O próprio jovem Saulo teve seu nome em homenagem o Rei Saul, sem dúvida alguma.
Saulo decidiu ser um fariseu, que era uma ordem religiosa da época. Isso quer dizer que ele seria submetido a uma disciplina bastante rígida. Sua vida inteira seria governada não apenas pelas escrituras, mas pelas várias leis dadas pelos rabinos. Era um compromisso radical a se fazer.

Também sabemos que Saulo foi ensinado pelo ilustre Gamaliel, conhecido como professor dos professores e famoso por sua sabedoria e entendimento. Gamaliel teve interesse no jovem Saulo e lhe ensinou as coisas de Deus. O jovem tinha uma fome voraz por conhecimento. Ele queria ser o mais devoto possível.

Então, o que fez um homem tão religioso assim virar nada mais nada menos do que um assassino? Isso aconteceu porque a religião extremada pode cegar. Ela pode ser uma força destrutiva.
- Não foram pessoas religiosas que conspiraram para matar Jesus e as que também mataram o jovem Estevão?

Quando digo “religião” não estou falando sobre fé em Cristo; mas estou falando sobre religião mesmo. Existe uma grande diferença entre a religião feita pelos homens e a verdadeira fé em Cristo.

É provável que a religião tenha afastado mais pessoas de Cristo do que todas as outras razões juntas, pois ela dá uma falsa sensação de segurança. E as pessoas que confiam totalmente na religião ficarão chocadas ao descobrir que ela por si só não satisfaz os requisitos de um Deus santo.

terça-feira, 2 de abril de 2013

Uma Conversão Autêntica

"Todos os que o ouviam ficavam perplexos e perguntavam: 'Não é ele o homem que procurava destruir em Jerusalém aqueles que invocam este nome? E não veio para cá justamente para levá-los presos aos chefes dos sacerdotes?'" (Atos 9:21)

A simples menção do nome de Saulo de Tarso dava um frio na espinha dos fiéis daquela época. Sua conversão foi um fato tão significativo, que ela é mencionada três vezes nas Escrituras. E parecia tão improvável que um agnóstico britânico chamado Lorde George Lyttelton, achou que ela simplesmente não aconteceu.

Lyttelton resolveu provar que Paulo na verdade nunca se converteu. Ele sentia que, se pudesse impugnar a conversão de Paulo, poderia solapar, na essência, toda a fé cristã. Então, foi elaborar um tratado intitulado "Observações acerca da Conversão e Apostolado de S. Paulo". Mas aconteceu algo inusitado. Ele acabou encontrando o mesmo Deus que Paulo havia encontrado. Tendo pretendido impugnar a conversão de Paulo, terminou ele mesmo convertendo-se após examinar com sinceridade aquela história espantosa. Lyttelton concluiu: "A conversão e o apostolado de Paulo, se devidamente considerados, são, por si sós, demonstração bastante de que o cristianismo é uma revelação divina."

Vemos em Saulo um homem conduzido pelo ódio que passou a ser conduzido pelo amor. Aliás, esse notório perseguidor de cristãos escreveu uma das mais lindas passagens a respeito do amor em toda a literatura e que certamente se destaca nas páginas das Escrituras: 1 Coríntios 13.

Após seu encontro com Jesus, Paulo abriu uma trilha que deixou atrás de si muitas igrejas e convertidos. Ele pregou a filósofos, fariseus, governantes, soldados, feiticeiros, marinheiros, escravos e provavelmente até ao próprio César.

Paulo não foi nenhum super-homem incapaz de tropeçar. Não estava livre de sofrer tentações. Porém, era um homem que ousou seguir com todo o coração a Jesus Cristo como seu Salvador e Senhor. E a História nos mostra os resultados espantosos dessa fidelidade.
Link para o texto original

segunda-feira, 1 de abril de 2013

Cristãos Improváveis

"Quando chegou a Jerusalém, tentou reunir-se aos discípulos, mas todos estavam com medo dele, não acreditando que fosse realmente um discípulo." (Atos 9:26)

Talvez você conheça alguém que sequer possa imaginar como sendo um cristão. Uma daquelas pessoas que se esforçam para criticá-lo e envergonhá-lo. Parece  até que essa pessoa simplesmente vive para tornar sua vida uma droga e para atrapalhar sua caminhada na fé.

Quando eu passei a crer em Jesus, as pessoas simplesmente não podiam acreditar que aquilo era verdade. Eu mesmo inclusive,  jamais pensei que um dia me tornaria um cristão. Como eu não era do tipo "religioso", nunca me imaginei como um seguidor de Cristo e jamais poderia me imaginar um dia como um pregador.
Mas Deus tinha uma ideia diferente...

Multiplique isso por mil e você terá uma noção do quão inesperada foi a conversão de Saulo de Tarso. Saulo não apenas se esforçava para criticar os cristãos, mas os caçava como animais e os prendia. Ele inclusive estava envolvido na morte do primeiro mártir da igreja primitiva, um homem ousado e corajoso chamado Estevão.

A conversão de Saulo foi tão inesperada que muitos na igreja primitiva, simplesmente não acreditaram num primeiro momento. Foi algo tão absurdo que foi inicialmente recebida com muito ceticismo e desconfiança. No entanto, o mesmo homem que buscava a destruição do Cristianismo, logo em seguida passaria a dedicar a sua vida inteira à sua propagação. Ele serviu ao Senhor com a mesma energia - se não mais - que havia servido ao maligno.

Gostaria que mais pessoas se dedicassem ao Senhor com a mesma energia que um dia se dedicaram ao diabo. Se tivéssemos a mesma emoção, o mesmo fervor, a mesma dedicação para as coisas de Deus, então esse mundo seria um lugar muito diferente.
Link para o texto original