quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

A Questão da Liberdade

"'Tudo me é permitido', mas nem tudo convém. 'Tudo me é permitido', mas eu não deixarei que nada domine." (1 Coríntios 6:12)

Às vezes me perguntam sobre o que eu acho de cristãos tomarem bebida alcoólica. Será que é uma boa ideia? Acho que não. Acho que é perigoso o cristão beber, pois o problema com a bebida é que, se a gente bebe, pode ficar bêbado. Se não bebe, nunca vai ficar.

Fui criado num lar em que havia alcoolismo, onde testemunhei a devastação que a bebida pode trazer a um lar. E ao longo dos anos como pastor, vi a natureza destrutiva do álcool na vida das pessoas. Não consigo pensar nada de bom a respeito; mas - sem dúvida - posso pensar em muitas coisas ruins.

A Bíblia nos adverte muitas vezes acerca do que o álcool pode fazer em nossas vidas. Provérbios 23 diz sobre ele: "No fim, ele morde como serpente e envenena como víbora. Seus olhos verão coisas estranhas, e sua mente imaginará coisas distorcidas" (versículos 32-33). É uma descrição precisa.

Eis outra coisa para considerar: digamos que você beba porque, como cristão, tem essa liberdade; mas e se isso causar o tropeço espiritual  a outra pessoa? Romanos 14:15 diz: "Se o seu irmão se entristece devido ao que você come, você já não está agindo por amor. Por causa da sua comida, não destrua seu irmão, por quem Cristo morreu."

No fim das contas, é isto: nenhum de nós vive ou morre para si mesmo. Aquilo que fazemos tem efeito direto sobre os outros, não apenas nesta vida, mas por toda a eternidade. Precisamos estar conscientes da presença de Deus e precisamos viver nossas vidas tendo consideração uns pelos outros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário