quinta-feira, 2 de maio de 2013

Motivados a Agir

“Pois eu lhes escrevi com grande aflição e angústia de coração, e com muitas lágrimas: não para entristecê-los, mas para que soubessem como é profundo o meu amor por vocês.” (2 Coríntios 2:4

Mesmo antes do filme Titanic estrear nos cinemas em 1997, as pessoas já eram fascinadas pela sua história. Foram muitos os erros cometidos, que claramente ocasionaram o seu naufrágio. Apesar de ser chamado de "navio inafundável", ele afundou. E foi para o fundo do mar até com relativa facilidade.

1.500 pessoas pereceram naquele ambiente gelado. Não havia botes salva-vidas suficientes a bordo e muitos deles não foram usados em sua total capacidade. Alguns botes navegaram com quatro ou cinco pessoas apenas, enquanto tinham capacidade para carregar pelo menos umas sessenta pessoas.

Mas uma das maiores tragédias do Titanic foi o fato de que, enquanto ainda havia espaço nos botes, ninguém voltou para salvar mais vidas. Eles haviam remado até chegar a uma boa distância do navio afundando porque tinham medo de sua sucção quando afundasse. Os sobreviventes disseram que podiam ouvir os gritos das pessoas enquanto o Titanic finalmente desapareceu debaixo d'água.

Ali estavam as pessoas em botes salva-vidas com lugares de sobra, que poderiam ter remado de volta e salvado outras, mas não fizeram nada. Elas esperaram cerca de uma hora e então voltaram. Quando chegaram, só havia poucas pessoas ainda vivas. Elas haviam esperado demais.

Neste exato momento, existe um mundo perdido ao nosso redor. As pessoas estão caindo e se afundando. Mas, ainda temos espaço em nossos botes salva-vidas. Importamo-nos o suficiente para puxá-las para dentro? Importamo-nos o suficiente para fazer algo por elas?
Ou apenas dizemos: “elas deveriam ter entrado no bote enquanto ainda era tempo”?
Pessoas perdidas são um fardo para você?
Esse é um bom começo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário