sexta-feira, 5 de abril de 2013

Citar as Escrituras

"Pois a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais afiada que qualquer espada de dois gumes; ela penetra ao ponto de dividir alma e espírito, juntas e medulas, e julga os pensamentos e intenções do coração." (Hebreus 4:12)

Sempre soube ao pregar, que deveria citar fartamente as Escrituras, porque há autoridade na Bíblia. Não há autoridade alguma nas palavras de Greg Laurie, a não ser que ele esteja citando a Bíblia. A nossa autoridade vem da palavra de Deus. Por isso, devemos citá-las.

As pessoas podem não gostar do que dizemos e isso pode até mesmo incomodá-las. Mas, há muitos casos de pessoas que tomaram a decisão de seguir a Cristo em uma semana ou um mês, logo depois das pregações que promovemos. Já ouvi até histórias de pessoas que se converteram no estacionamento, logo após uma pregação. Uma semente foi plantada. Então ela germina, ainda que um pouco atrasada em relação à data que havíamos previsto. A palavra de Deus não volta vazia. Por isso, não tenha medo de citá-la. Deus fala da Sua Palavra: "assim também ocorre com a palavra que sai da minha boca: Ela não voltará para mim vazia, mas fará o que desejo e atingirá o propósito para o qual a enviei." (Isaías 55:11)

Enquanto o jovem Estevão perdia sua vida, o diabo poderia ter sussurrado no seu ouvido: "Olhe para você. Você abriu mão da sua vida por nada." Mas uma pequena semente fora plantada. E sem que Saulo de Tarso soubesse, ela estava prestes a germinar.

Ali estavam dois homens jovens, ambos defendendo suas convicções. Um era muito religioso. O outro, genuinamente espiritual. Estevão era humilde, salvo pela graça de Deus. Saulo era justiceiro, orgulhoso de suas obras e ações. Estevão defendia o evangelho, enquanto Saulo o perseguia. Mas, no final das contas, Saulo prosseguiu com o trabalho de Estevão. Ele acabou tomando o seu lugar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário