segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Maltratados por um Bom Motivo

"Bem-aventurados serão vocês quando, por minha causa os insultarem, perseguirem e levantarem todo tipo de calúnia contra vocês. Alegrem-se e regozijem-se, porque grande é a recompensa de vocês nos céus, pois da mesma forma perseguiram os profetas que viveram antes de vocês". (Mateus 5:11-12)

Antes de me tornar cristão, eu vivia debochando dos outros. Por isso foi bem difícil para mim, de repente tornar-me uma pessoa que, por causa daquilo que acreditava, passava a ser tratada diferente quando era identificada como cristã.

Mas isso sempre acontece quando decidimos seguir a Jesus Cristo. Jesus disse: "Bem-aventurados serão vocês quando, por minha causa os insultarem, perseguirem e levantarem todo tipo de calúnia contra vocês. Alegrem-se e regozijem-se, porque grande é a recompensa de vocês nos céus, pois da mesma forma perseguiram os profetas que viveram antes de vocês" (Mateus 5:11-12).
O lado bom disso é que estamos em boa companhia.

Somos rápidos na hora de mencionar as promessas de que Deus cura, protege e provê. Mas quando foi que você ouviu alguém orar assim: "Senhor, Tu prometeste que todos os que vivessem vidas santas seriam perseguidos; por isso, te peço o cumprimento dessa promessa"? Quem é que - em sã consciência - deseja ser perseguido?

Se você é realmente um fiel, então a perseguição não vai lhe arrancar as raízes, mas sim fortalecer-lhe. Vai  fortalecer-lhe na decisão de andar com Cristo. Acredito absolutamente que Deus irá nos dar força para enfrentar a perseguição, se ela vier... Mas estamos nós dispostos a marcar posição por Cristo?

Algumas pessoas dizem que são cristãs, mas não são perseguidas por viverem vidas santas. São perseguidas por serem chatas e proselitistas. Não sabem compartilhar a Palavra de Deus com amor e compaixão. Acabam parecendo metidas, enfáticas e arrogantes.

Que sejamos pois, perseguidos pelos motivos certos. Sejamos perseguidos por sermos como Jesus Cristo e por refleti-Lo perante um mundo que está perdido.

Nenhum comentário:

Postar um comentário