terça-feira, 31 de julho de 2012

Segundas Chances

"[...] Estando ainda longe, seu pai o viu e, cheio de compaixão, correu para seu filho, e o abraçou e beijou." (Lucas 15:20)

A parábola do filho pródigo, em Lucas 15, é uma das histórias mais conhecidas das sagradas escrituras. Ela claramente nos mostra que Deus dá segundas chances. É uma história que ilustra a atitude de Deus para conosco, mesmo quando falhamos muito com Ele. Ela revela como Deus é.

A bíblia diz que Deus é amor. Não diz apenas que Deus é amoroso. Diz sim que Ele é amor. O apóstolo João escreveu: “[...] Deus é amor. Todo aquele que permanece no amor permanece em Deus, e Deus nele.” (1 João 4:16). Deus é o amor personificado. Ele é o amor encarnado. Isso não significa que Ele não seja justo, porque as escrituras claramente nos mostram que Ele é. Mas Ele nos ama.

Essa parábola nos mostra duas coisas: a pecaminosidade do homem e o amor de Deus. Mostra-nos que fugimos da presença de Deus, assim como o filho tomou sua herança e deixou a casa de seu pai. Quando ele se deu conta de seu erro, “levantou-se e foi para seu pai. Estando ainda longe, seu pai o viu e, cheio de compaixão, correu para seu filho, e o abraçou e beijou.” (Lucas 15:20). Isso nos mostra que Deus nos ama e que Ele está disposto a percorrer qualquer distância para nos trazer de volta.

Essa história demonstra o grande amor de Deus por nós, mesmo quando erramos feio, e Sua vontade de nos perdoar se nos arrependermos e voltarmos a Ele. Porque nos amou, Deus nos dá segundas chances.

segunda-feira, 30 de julho de 2012

Um Recomeço

"Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para perdoar os nossos pecados e nos purificar de toda injustiça." (1 João 1:9)

Você já sentiu a necessidade de uma segunda chance na vida? Ouvi a história de um homem cujo nome foi publicado por engano num obituário. Ele acordou um dia, abriu o jornal e eis que lá estava o seu nome como o de um falecido. Ele ficou tão bravo que foi de carro até o jornal e exigiu falar com o editor.

"Estou indignado", disse ele ao editor. "Vocês publicaram meu nome nos obituários. Estou vivo e saudável, obviamente. Isso vai ser um vexame para mim. Talvez até perca uns contatos de trabalho."

Disse o editor: "Lamento, senhor. Foi um engano, mas não posso fazer nada."

O sujeito não se acalmou.

Enfim, disse-lhe o editor: "Amigo, anime-se. Amanhã ponho seu nome na coluna dos nascimentos e você começa de novo."

Não seria ótimo isso? Começar tudo de novo? Quando olhamos para trás e vemos certos erros que cometemos e certas coisas de que depois nos arrependemos... seria bom recomeçar.

Talvez você já tenha cometido sérios erros este ano. Talvez sinta que foi longe demais. Já errou muito. Você desistiu e pensa que não há modo de Deus lhe dar uma segunda chance. Quero que saiba que não é verdade. Deus dá segundas oportunidades. Você pode ter seu recomeço hoje mesmo.

sexta-feira, 27 de julho de 2012

O Amor Nunca Falha

"Mas o fruto do Espírito é amor [...]" (Gálatas 5:22)

Lemos em 1 Coríntios 13 que o amor tudo suporta, se recusa a desistir, a render-se, parar de acreditar ou esperar. O amor não vai simplesmente deixar de amar. O amor nunca falha. 

E podemos pensar, "Ora, por favor. Como poderíamos viver de acordo com esses padrões? É impossível." De fato, é. Mas isso é o que deveríamos querer alcançar. A Bíblia diz: "[...] o amor de Deus está derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado" (Romanos 5:5). O amor divino está simplesmente dizendo: "Senhor, Você sabe que eu não sou assim. Não estou sempre pensando o melhor sobre cada pessoa. Não sou sempre bem-educado. Não sou sempre gentil. Não tenho sempre paciência. Mas, Senhor, eu reconheço a minha fraqueza e quero mudar. " 

A Bíblia nos diz: "O fruto do Espírito é amor [...]" (Gálatas 5:22). Este fruto virá como resultado da permanência em Cristo e da procura por sermos mais semelhantes a Ele a cada dia. 

Minha esperança e oração é para que a igreja seja conhecida como uma igreja amorosa. Jesus disse: "Com isso todos saberão que vocês são meus discípulos, se vocês se amarem uns aos outros" (João 13:35). Que isto seja falado de nós como corpo de Cristo. E que isso seja dito de nós como indivíduos. 

Deus nos ajude a ser uma parte dessa igreja amorosa. Que nossas vidas sejam caracterizadas por esse amor.

quinta-feira, 26 de julho de 2012

Regozijando-se na Verdade

"Falem e ajam como quem vai ser julgado pela lei da liberdade." (Tiago 2:12)

Quantas vezes alguém já nos disse: "Você sabia que fulano fez isso e aquilo?" E quantas vezes a nossa resposta foi: "Não. Conte-me, conte-me!" Quantas vezes temos acreditado cegamente em boatos?

E quantas vezes a nossa resposta foi: "Espere aí! Você já falou com ele sobre isso? Ou então: Talvez ele não tenha feito isso. Ou: Eu não acredito que ele faria uma coisa dessas." Bem poucas, não é verdade?

Em outras palavras: deveríamos pensar sempre o melhor dos outros. Mas o que frequentemente ocorre é que acabamos pensando o pior, não é mesmo?

Como é triste e embaraçoso quando descobrimos que repassamos adiante algo que era totalmente furado e que ajudamos a atiçar ainda mais o fogo da malidicência. Como é dolorido quando somos caluniados e os outros acreditam sem ao menos virem conferir conosco se aquilo era mesmo verdade. Esse não é o comportamento que um cristão deve adotar.

A Bíblia nos diz que o amor "acredita em tudo" (1 Coríntios 13:7). Outra maneira de traduzir este versículo é, "O amor acredita no melhor de cada pessoa." Isso significa que, como membros do corpo de Cristo e como cristãos amorosos, não devemos viver desconfiando dos outros. Nem tampouco devemos ser cínicos. Se, por exemplo, algum outro membro da igreja de Jesus Cristo é acusado de fazer algo errado, devemos demonstrar amor por ele considerando-o inocente até que se prove o contrário. Mais do que isso: temos o dever de defender essa pessoa.

O amor de Deus "não se alegra com a injustiça, mas se alegra com a verdade" (1 Coríntios 13:6). O amor de Deus acredita no melhor de cada pessoa.

quarta-feira, 25 de julho de 2012

Boas Maneiras

"[O amor] Não maltrata, não procura seus interesses, não se ira facilmente, não guarda rancor." (1 Coríntios 13:5)

Sobre uma lápide de uma antiga vila na Inglaterra teria sido encontrada a seguinte inscrição: "Aqui jaz um avarento que viveu para si mesmo e não se importou com nada além de acumular riquezas. Agora onde e como ele está, ninguém sabe e ninguém se importa." Quais palavras você gostaria que fossem escritas em sua lápide? O quanto melhor seria para os outros poderem dizer de nossas vidas: "Esta pessoa esteve sempre pensando e cuidando dos outros."

A Bíblia nos diz que o amor "Não maltrata, não procura seus interesses" (1 Coríntios 13:5). Em outras palavras, o verdadeiro amor tem boas maneiras. Isso é algo que atualmente está se perdendo na cultura. Há uma atitude predominante que parece dizer: "Se o meu comportamento ofende outras pessoas, isso é problema delas. Elas têm que superar isso." Mas como cristãos temos de perceber que somos parte do corpo de Cristo e, como tal, devemos considerar o que outras pessoas podem estar passando. Devemos nos preocupar com os outros. O mundo não gira em torno de mim ou de você. Devemos colocar as necessidades dos outros acima das nossas próprias.

O amor de Deus não se exaspera. Não desperta a ira. Não guarda rancor. Isso significa que Ele não mantém uma "lista negra" com os nossos erros. Quando alguém é prejudicado e diz: "Não acredito que você fez isso! Não me esquecerei disso”. Ou: “Eu não me chateio. Eu me vingo.” Isso não é o amor de Deus.

Alguém tirou vantagem de você? Esqueça isso. Fez novamente? Não se preocupe com isso. Deixe pra lá. Isso não importa. Assim é o amor de Deus.

Importar-se com os outros mais do que consigo mesmo é mais do que boas maneiras. É o amor divino.

terça-feira, 24 de julho de 2012

Sem Exibições

"[...] O amor [...] não se ensoberbece" (1 Coríntios 13:4)

A cada ano 60 milhões de telespectadores estadunidenses podem assistir na televisão a exibição de uma Parada do Dia de Ação de Graças. Com balões de hélio gigantes, com personagens de desenhos animados, bandas, pessoas vestidas como palhaços, apitos e ruídos, ela é feita para chamar atenção. Pessoas fazem fila para ver a parada.

Em 1 Coríntios 13, lemos que o amor não se exibe. Em outras palavras, não se vangloria. A vanglória é o outro lado do ciúme. Enquanto o ciúme quer possuir a outra pessoa, a vanglória tenta fazer com que a outra pessoa tenha inveja do que temos. É quando não estamos apenas felizes por ter algo, mas queremos também que todos saibam o que temos.

Pode acontecer, por exemplo, quando você deseja que toda a roupa que você vesta tenha grifes, e que esta seja percebida. Ou quando intencionalmente você deixa o preço em presentes para os destinatários saberem o grande sacrifício que você fez. E o que farão em resposta? Sentir-se-ão obrigados a retribuir com um presente de igual valor, para que não se sintam culpados.

Mas o amor não coloca as pessoas sob esta pressão. O amor não diz: "Eu tenho feito tantos sacrifícios para você. Fiz tanto por você." O amor apenas faz. Não tem plumas e paetês, nem uma banda tocando diante de si. Deus sabe o que você faz, e a Bíblia diz: "[...] e teu Pai, que vê em secreto, ele mesmo te recompensará publicamente. (Mateus 6:4)”

O amor não se importa se todos sabem ou não o que de bom tem sido feito. O amor não precisa de alarde. O amor não precisa de fama. É simplesmente fazer algo por amor a Deus, por gratidão àquilo que Ele tem feito por nós. É assim que deve ser.

segunda-feira, 23 de julho de 2012

Um Amor como o dEle

"O amor é paciente, o amor é bondoso. Não inveja, não se vangloria, não se orgulha." (1 Coríntios 13:4)

Lembro-me de um Natal, quando ainda era criança, onde ganhei muitos brinquedos e estava extremamente feliz. Até que fui à casa de um amigo. Ele havia ganhado um brinquedo que eu jamais tinha visto. Era um boneco mergulhador, a pilha, com nadadeiras que se moviam de verdade. Naquele momento, para mim, aquele era o brinquedo mais legal que havia. De repente, todos os meus novos brinquedos super legais perderam o sentido. Eu queria aquele mergulhador.

Exitem dois tipos de inveja. O primeiro é o que eu senti naquele Natal, ainda menino. Secretamente, ou talvez não tão secretamente assim, desejamos ter aquilo que outra pessoa tem. Não é incrível como podemos estar completamente satisfeitos com o que temos até que vejamos alguém que tem somente um pouquinho mais?

Depois, há o segundo tipo de inveja. Encontramos um exemplo dessa inveja em uma história do Antigo Testamento, onde duas mulheres se diziam mães de um mesmo bebê. Quando elas consultaram o rei Salomão, que era conhecido por sua sabedoria, ele sugeriu que a criança fosse partida ao meio, por um golpe de espada. Então a mãe da criança disse: "'Por favor, meu senhor, dê a criança viva a ela! Não a mate!' A outra mulher, porém, falou: 'Não será nem minha nem sua. Cortem-na ao meio!'" (1 Reis 3:26). Salomão sabia que a mãe verdadeira colocaria o bem-estar da criança acima até mesmo de seus próprios interesses.

Este segundo tipo de inveja, ou ciúme, é a inveja em seu estado extremo. Mais do que apenas egoísmo, ela realmente deseja o mal para alguém. A Bíblia diz: "Pois onde há inveja e ambição egoísta, aí há confusão e toda espécie de males." (Tiago 3:16).

O amor de Deus não é ciumento nem invejoso. Que Deus nos ajude a termos um amor como o dEle.

sexta-feira, 20 de julho de 2012

Perdoado e Restaurado

"Vão e digam aos discípulos dele e a Pedro: ‘Ele está indo adiante de vocês para a Galiléia. Lá vocês o verão, como ele lhes disse’". (Marcos 16:7)

Um dos versos da Bíblia que mais me chama atenção é Lucas 22:61: "O Senhor voltou-se e olhou diretamente para Pedro." Pedro tinha acabado de negar o Senhor três vezes, mas Jesus voltou-se e olhou diretamente para ele.

Como você acha que o Senhor olhou para Pedro? Conhecendo Jesus, acho que foi um olhar de compaixão, de amor, de perdão. Jesus sabia que aquela negação estava por vir. Ele sabia que Pedro estava voltando atrás. Era um olhar que dizia: “Pedro, eu ainda te amo”.

Pedro saiu e chorou amargamente. Entenda que os discípulos ainda não sabiam como as coisas iriam acontecer. Eles não sabiam que Jesus iria morrer e voltar dos mortos.

Então, quando Jesus foi crucificado, eles pensaram: acabou. Não há esperança. Eles não haviam entendido a parte em que Jesus disse: “[...] o açoitarão e o matarão. No terceiro dia ele ressuscitará". (Lucas 18:32-33)

Após a crucificação Pedro estava sofrendo. Ele pensou: eu falhei. Queria poder desfazer o que fiz. Mas depois que Jesus ressuscitou, Ele mandou essa mensagem: “Vão e digam aos discípulos dele e a Pedro: ‘Ele está indo adiante de vocês para a Galiléia. Lá vocês O verão, como Ele lhes disse’" (Marcos 16:7). Isso não é fantástico?

Por que você acha que o Senhor falou o nome de Pedro? Porque sabia que Pedro precisava dessa reafirmação. Pedro fora perdoado e restaurado pelo Senhor. E quer saber? Deus vai perdoar e restaurar você também.

quinta-feira, 19 de julho de 2012

Descendo

"Como é feliz aquele que não segue o conselho dos ímpios, não imita a conduta dos pecadores, nem se assenta na roda dos zombadores!" (Salmos 1:1)

Todos sabemos que Pedro negou ao Senhor. Mas foi aí onde ele realmente escorregou? De certo modo, sim, mas alguns passos conduziram a isso.

O primeiro passo de Pedro para a negação a Cristo e o fracasso espiritual foi a autoconfiança. Ele disse ao Senhor: "[...] nunca te negarei" (Mateus 26:35). Dizendo essas palavras, Pedro não apenas revelou uma infundada confiança em si mesmo, mas também contradisse a previsão de seu Senhor de que naquela noite ele O negaria junto com os outros discípulos.

O segundo passo na descida de Pedro foi o pecado de não orar. Isso foi, sem dúvida, resultado direto de sua autoconfiança. Jesus lhe determinou expressamente que ele orasse. Mas Pedro fez isso? Dormiu enquanto Jesus orava (ver Lucas 22:45).

O terceiro passo na descida de Pedro foi seguir o Senhor à distância (ver Lucas 22:54). Que quer dizer isso? Quer dizer: querer ser cristão, mas não querer viver a vida cristã como deve ser vivida.

O passo seguinte de Pedro foi aquecer-se no fogo do inimigo. Estava no lugar errado, com as pessoas erradas, e perto de fazer a coisa errada. As pessoas com quem você anda são as que influenciarão sua vida.

Então veio a negação de Pedro ao seu Senhor. Pedro tinha perdido a noção da realidade e, aparentemente, toda lembrança de Deus.

E, do mesmo modo, quando você perde a proximidade que há na comunhão com o Senhor e em andar com Ele, é só uma questão de tempo até que você procure algo ou alguém que tome o lugar dEle.

quarta-feira, 18 de julho de 2012

Não Estou Sozinho

"Senhor, tu me sondas e me conheces." (Salmos 139:1)

Você sabia que os seus defeitos e falhas não são nenhuma surpresa para Deus? Ele é onisciente. Deus sabe tudo sobre você. Jesus Cristo sabe mais sobre você que você mesmo. Por isso, não foi um choque para o Senhor quando Pedro falhou, mas Jesus amava aquele homem, assim como ama você. 

Jesus mesmo deu a Pedro uma segunda chance. Os discípulos estavam sentados no Cenáculo, quando Jesus voltou-se para Simão Pedro e disse algo que deve ter chocado o coração deste homem: "Simão, Simão, Satanás pediu vocês para peneirá-los como trigo" (ver Lucas 22:31). 

Você pode imaginar se acaso Ele dissesse isso a você? Aí está você com o coração cheio de amor por Ele. Você não pode pensar em alguém que ame mais, e de repente, Jesus se vira para você e diz: "Satanás vem pedindo por você."

Mas eu amo o versículo seguinte. Jesus disse a Pedro: "Mas eu orei por você, para que a sua fé não desfaleça" (Lucas 22:32). Pense nisso. Jesus estava orando por Pedro, assim como Ele ora por você. Se você soubesse que Jesus está orando por você agora, isso não lhe daria coragem? Você não se sentiria mais forte, incentivado?

Deixe-me dizer uma coisa. Nesse momento Jesus Cristo está orando por você. Sabemos disso porque a Bíblia diz: "Portanto ele é capaz de salvar definitivamente aqueles que, por meio dele, aproximam-se de Deus, pois vive sempre para interceder por eles." (Hebreus 7:25).

Tão certo quanto Jesus estava em pé diante de Pedro, Ele está aqui por você. Ele sabe tudo sobre você, e está orando por você. Você não está sozinho.

terça-feira, 17 de julho de 2012

Estacionado

"Portanto, amados, sabendo disso, guardem-se para que não sejam levados pelo erro dos que não têm princípios morais, nem percam a sua firmeza e caiam. Cresçam, porém, na graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. A ele seja a glória, agora e para sempre! Amém." (2 Pedro 3:17-18)

“Desviado” é uma palavra dura. Quando pensamos em alguém desviado, pensamos em alguém que realmente falhou e cuja vida está num buraco. Mas você sabia que, mesmo indo à igreja todos os domingos, você ainda pode ser um infiel? Sabe por que? Porque rebeldia é um assunto do coração.

Você pode pensar consigo mesmo: "Tá certo que eu vou à igreja somente quando tenho tempo. E que leio a Bíblia somente quando tenho vontade. E que obedeço a Deus somente quando isto não entra em conflito com o que eu mesmo quero. Mas isso não quer dizer que eu seja um desviado. Eu só não estou sendo tão ativo espiritualmente como era antes."

Mas, pense nisso: é exatamente no momento em que você deixa de progredir como cristão que o processo de retrocesso potencialmente começa. Quando deixamos de ir para a frente, é apenas uma questão de tempo para que comecemos a ir para trás.

Como cristãos, nós constantemente precisamos estar cientes do cair e do retroceder. A Bíblia nos adverte que nos últimos dias muitos haverão de cair. Precisamos nos cuidar, pois se não estivermos andando para frente como cristãos, certamente estaremos andando para trás. Não é possível “estar estacionado”. É mais ou menos como parar um carro numa subida e deixá-lo em ponto morto. Ele não fica parado. Se não for acelerado para frente, ele voltará para trás. Assim também não podemos colocar a nossa vida espiritual em ponto morto. Se pararmos de aprender e de crescer como crentes, fatalmente retrocederemos.

Por isso, mantenha-se em constante crescimento. Parar pode ser muito perigoso.

segunda-feira, 16 de julho de 2012

Crescimento Constante

"Estou convencido de que aquele que começou boa obra em vocês, vai completá-la até o dia de Cristo Jesus." (Filipenses 1:6)

Quando eu era um jovem cristão fui assistir um culto em uma igreja grande e famosa. Lembro de após a pregação ter perguntado ao pastor Chuck Smith: "Há quanto tempo você é cristão?"

Não me lembro a resposta exata, mas acho que ele disse algo em torno de 25 anos. Eu pensei: Vinte e cinco anos! Depois de ter sido um crente por 25 anos você deve ser capaz de alcançar algum tipo de estado elevado onde, de alguma forma, supera as tentações e todos os problemas enfrentados por cristãos que não conhecem o Senhor há tanto tempo.

Bem, eu sou cristão há mais de 25 anos, e posso dizer com absoluta certeza que tal estado espiritual elevado não existe. E com isso estou dizendo que não há lugar onde, de repente, você estará acima dos problemas e das tentações. Não há nenhum tipo de estado espiritual elevado onde você não lide com essas coisas. Não existe nenhum nível da vida cristã onde você de alguma forma esteja acima de tudo isso. A vida cristã é uma vida de desafios constantes, crescimento constante e mudanças constantes.

Nosso crescimento espiritual continuará até que nossa vida chegue ao fim e nos encontremos com o Senhor no céu. E isso é uma coisa maravilhosa.

sexta-feira, 13 de julho de 2012

Permanecer em Mim

"Sabemos que permanecemos nele, e ele em nós, porque ele nos deu do seu Espírito." (1 João 4:13)

Muitas pessoas olham para a vida cristã e pensam dentro de si mesmas: não posso fazê-lo. Eu não posso viver assim.

Ouçam! Nós não vivemos para Deus com o nosso próprio poder. Deus faz isso através de nós. Sim, Ele quer a nossa cooperação. Sim, Ele quer que nos rendamos à Sua vontade, mas é Ele quem nos dá a força para realizar a Sua vontade. Ser cristão significa, essencialmente, ter Cristo vivendo dentro de nós.

O cristianismo não é apenas crer em um Jesus histórico. Não é apenas uma tentativa de seguir o Seu exemplo. Cristo entrou em nossas vidas e Ele nos transforma continuamente.

Quando Jesus perdoou a mulher apanhada em adultério, Ele prometeu três coisas (ver João 8:1-11). Primeiro, disse à mulher que seus pecados poderiam ser perdoados. Ele não mencionou seu passado. Ele nunca disse: "Agora vamos falar sobre todos os pecados que você já cometeu." Isso não é o que Ele disse. O que Ele disse foi: "Eu também não a condeno" (João 8:11).

Em segundo lugar, Jesus disse à mulher que ela não precisaria temer o dia do julgamento (ver João 8:11). Assim como o Senhor não a condenou, Ele também não nos condena. Ela não precisava ter medo do dia do julgamento porque Jesus não a havia condenado. Portanto, ela não precisaria mais ter medo da morte.

Em terceiro lugar, Jesus deu-lhe novo poder para enfrentar seus problemas. Ele disse a ela: "Agora vá e abandone sua vida de pecado". (João 8:11).

Da mesma forma, quando você se torna um cristão, Deus lhe dá força para viver da maneira que Ele quer que você viva. Você recentemente caiu em pecado? Ou talvez você esteja brincando com ele? Eu sugiro que você venha a Jesus o mais rápido possível e torne a se afastar do pecado.

Quando isso acontecer você vai ouvir essas palavras: "Eu também não te condeno. Agora vá e abandone sua vida de pecado".

quinta-feira, 12 de julho de 2012

Não foi Nada Barato!

"Vocês foram comprados por alto preço. Portanto, glorifiquem a Deus com o corpo de vocês." (1 Coríntios 6:20)

As pessoas costumam dizer que nada na vida é de graça. Pois saiba: o perdão de Deus é grátis, mas com certeza não custou barato. Enquanto por nós mesmos não podemos fazer nada para merecer o perdão de Deus, a Ele custou muito. O preço foi a morte de Seu único Filho na cruz.

Na nossa sociedade, ficamos desconfiados com tudo que é de graça. Quando alguém fala: "temos uma oferta gratuita para você", logo queremos saber qual é a "jogada" por traz disso. Lembro de uns anos atrás, quando eu e minha família ganhamos ingressos grátis para a Disneylândia. Chegando lá, tínhamos um ingresso a mais e vimos algumas pessoas sentadas, próximas de nós.

Eu disse: "Oi, eu tenho um ingresso a mais, você quer? É de graça!".

"O que você quer?" - logo perguntaram com desconfiança.

"É um ingresso grátis para a Disneylândia. Eu tenho um a mais, e posso te dar".

"Não, não quero."

Então lá estava eu explicando para as pessoas o motivo de eu querer dar o ingresso. "Eu tenho esse ingresso a mais que ganhei. Ninguém quer?". Finalmente alguém pegou o ingresso, mas todos ficaram desconfiados.

Assim, quando ouvimos que Deus está pronto para nos perdoar, e de graça, dizemos: "Isso não vai dar em nada. Qual é a pegadinha?". Deixa-nos perplexos o fato de que Deus pode nos perdoar sem que paguemos coisa alguma.

Todavia, devemos sempre lembrar que o perdão é de graça, mas não foi nada barato. A Deus, o perdão custou tudo.

quarta-feira, 11 de julho de 2012

Já não há Condenação

“Portanto, agora já não há condenação para os que estão em Cristo Jesus.” (Romanos 8:1)

Ela provavelmente foi usada e abusada por homens durante sua vida inteira. E agora eles estavam exigindo sua execução.

Estou falando da mulher que foi pega cometendo adultério em João 8:1-11. Seus acusadores conseguiam ver apenas uma mulher que vinha adotando um estilo de vida imoral. Jesus conseguia ver apenas uma mulher perdoada de seus pecados. E com uma declaração de Jesus, seus acusadores partiram. Lá estava ela, olhando nos olhos do próprio Deus. Em vez de ver desprezo e ódio, ela viu amor e compaixão enquanto Jesus pronunciou as palavras: "Mulher, onde estão eles? Ninguém a condenou?" (João 8:10).

Ela apenas pôde responder: "Ninguém, Senhor" (João 8:11)

"Eu também não a condeno. Agora vá e abandone sua vida de pecado" (João 8:11).

Como pôde Jesus dizer tal coisa a uma mulher adúltera? Ele pôde fazer uma afirmação tão revolucionária porque, em pouco tempo, ele iria para a cruz onde os pecados do mundo seriam derramados sobre Ele. Ele logo suportaria todos os pecados que esta mulher havia cometido. Jesus proclamara esta verdade: "Eu não vou condená-la, porque irei enfrentar a condenação que você deveria enfrentar. Vou pagar o preço do seu pecado."

Repare que Ele não disse: “Vá e não peques mais e, como resultado, Eu não irei te condenar.” Se esse fosse o caso, ninguém jamais poderia ser perdoado. Não procuramos viver uma vida santa para ganhar a aprovação de Deus e o Seu perdão. Se acreditamos nele, Ele nos aceita sem levar em conta o que fizemos. Ele nos abraça em Seus braços e nos recebe. Mas Deus não pára por aqui. Ele também quer nos mudar.

O ato de perdão de Jesus foi seguido por um desafio. “Vá e não peques mais.”

terça-feira, 10 de julho de 2012

Tudo o Que Você Pode Ser

"E eu lhe digo que você é Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do Hades não poderão vencê-la." (Mateus 16:18)

Ela não estava acostumada a ser chamada de senhora, mas essencialmente foi assim que Jesus a chamou.

Enquanto a maioria das pessoas provavelmente olhava para a mulher pega em adultério devido ao seu estilo de vida imoral, Jesus simplesmente perguntou-lhe: "Mulher, onde estão eles? Ninguém a condenou?" (João 8:10). Essa palavra mulher tinha uma conotação de grande ternura e até mesmo respeito. Hoje seria algo como "senhora" ou mesmo "dama". Jesus viu algo nessa mulher que ninguém podia ver.

Aqui está o que isso significa: Deus nos olha e vê o que Ele pode nos fazer. Olhamos no espelho e vemos nossas falhas, nossos defeitos. Vemos os nossos erros, mas Deus nos vê e diz: "Eu vejo o que você pode ser."

Jesus sabia quem Simão poderia se tornar. Então Jesus olhou para Simão um dia e disse: "Simão, eu vou lhe dar um novo nome. Vou chamá-lo de Pedro" (ver Mateus 16:17-18). O nome "Pedro" significa "rocha". Algo sólido, forte, decidido. Isso é o que Jesus viu em Simão. Acho que os outros discípulos ficaram rindo. "Ele está brincando? Simão, uma pedra?" Se tinha alguma coisa Simão não era, era sólido e decidido. Os traços de Simão eram: impulsivo, impetuoso e cabeça quente. Mas Jesus disse: "Tudo o que você vê é o Simão; eu vejo um Pedro. Você vê um homem impulsivo; eu vejo um homem de força. Vejo o que ele pode ser."

Deus vê o mesmo em você. Ele vê em quem e no que Ele pode lhe transformar. Basta acreditar nEle.

segunda-feira, 9 de julho de 2012

Sem Desculpa

"Vigiem e orem para que não caiam em tentação. O espírito está pronto, mas a carne é fraca." (Marcos 14:38)

Alguma vez você já foi pego fazendo algo que não deveria estar fazendo? Um dia eu encontrei o meu filho jogando video-game, algo que ele não deveria fazer até que concluísse seu dever de casa escolar. Com uma expressão de culpa em seu rosto, ele olhou para mim e disse: "Não pude resistir a mim mesmo."

Essa é uma definição correta da tentação. Quando caímos em tentação, gostamos de culpar alguém. É como Adão apanhado em flagrante no Jardim do Éden. O Senhor perguntou: "Você comeu da árvore?" E Adão respondeu: "Foi a mulher que me deste, Senhor. Ela me fez fazer isso" (ver Gênesis 3:8-12). 

Mas a Bíblia diz que um homem é tentado quando é atraído por sua própria cobiça e então é arrastado e seduzido (ver Tiago 1:14). Você joga sozinho quando cede à tentação. O diabo pode tentá-lo, alguém pode tentar lhe arrastar, mas eles não vão ter sucesso a menos que você "caia na deles".

Arão nos dá um exemplo clássico de uma desculpa muito ruim. Lembre-se de quando Moisés subiu à montanha para receber os mandamentos de Deus. Ele confiou o povo ao seu irmão Arão. Quando Moisés voltou, ele viu as pessoas dançando nuas em torno de um bezerro de ouro. Foi quando Arão veio com esta: "Nós só jogamos o ouro no fogo e saiu este bezerro." Mas a verdade é que Arão orientou o povo a trazer suas jóias de ouro. Ele as moldou em forma de um bezerro e, em seguida, encorajou o povo a adorar a estátua.

Talvez o seu pecado tenha corrompido você. Talvez você esteja pensando em se envolver em um relacionamento pecaminoso. Talvez, por causa do seu pecado, você tenha sido vencido pela culpa. Eu quero que você saiba que há esperança, porque Deus sempre dá a Sua segunda chance.

sexta-feira, 6 de julho de 2012

Estar Enraizado

"Sejam também pacientes e fortaleçam o coração, pois a vinda do Senhor está próxima." (Tiago 5:8)

Alguns anos atrás fizemos um trabalho no Colorado (EUA). Quando chegamos, fazia em torno de 22 graus e o sol brilhava. Nossa cruzada estava prevista para começar na noite seguinte, mas através da previsão do tempo naquela noite, soubemos que uma frente fria se aproximava. Na manhã seguinte, já havia neve no chão. No Colorado, o tempo pode mesmo mudar rapidamente. Um hora o sol pode estar brilhando e, logo em seguida, chegar uma nevasca.

Assim é também a nossa vida. Tudo está maravilhosamente bem, quando - de repente - uma nuvem de tempestade aparece. Algo horrível pode nos acontecer repentinamente.

É por isso que a Bíblia diz: "fortaleçam o coração [...]" (Tiago 5:8). Outra maneira de traduzir este versículo é: "fortalecer e firmar a sua vida interior." A mesma palavra é usada para descrever também as atitudes e ações de Jesus quando foi para Jerusalém, sabendo o que o esperava ali: “Aproximando-se o tempo em que seria elevado ao céu, Jesus partiu resolutamente em direção a Jerusalém” (Lucas 9:51). Jesus, sendo Deus, tinha pleno conhecimento de tudo o que estava prestes a lhe acontecer, mas, ainda assim, partiu decididamente para Jerusalém. Esse é o mesmo significado por detrás da palavra "fortalecer" em Tiago 5:8.

Deus quer que estejamos arraigados e alicerçados, mas muitos cristãos não estão. Muitos não têm tido tempo para desenvolver o hábito de estudo pessoal da Bíblia; não se disciplinam na oração constante ou até mesmo a frequentarem regularmente uma igreja. Mas Deus nos diz que precisamos ficar enraizados, porque a nossa fé será desafiada. Certamente vamos enfrentar dificuldades e uma tempestade pode nos sobrevir justamente quando menos esperarmos.

quinta-feira, 5 de julho de 2012

No Devido Tempo

"Não se esqueçam disto, amados: para o Senhor um dia é como mil anos, e mil anos como um dia." (2 Pedro 3:8)

Vivemos em uma cultura em que as coisas acontecem rapidamente. Não temos mais que esperar muito por quase nada. Portanto, quando nos dizem para esperar a volta do Senhor, pode ser difícil para nós. Olhamos para o mundo ao nosso redor e dizemos: "Senhor, vamos lá. Esqueceu-se? Quando você vai voltar?"

Mas devemos entender que Deus tem o Seu próprio tempo. Ele não está submetido ao nosso calendário. Ele veio pela primeira vez na hora marcada, e virá pela segunda vez da mesma maneira.

A Bíblia nos diz: "Mas, quando chegou a plenitude do tempo, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido debaixo da lei, a fim de redimir os que estavam sob a lei, para que recebêssemos a adoção de filhos."(Gálatas 4:4-5). Deus observava este nosso pequeno mundo e sabia quando seria o momento certo.

Quando Jesus chegou, as pessoas estavam prontas. Os romanos dominavam Israel. Os impostos eram altos, os ânimos estavam baixos e a moral mais ainda. Tinham se passado 400 anos desde que Israel havia ouvido falar de Deus... desde que um profeta havia surgido... desde que um anjo havia aparecido... desde que um milagre havia sido feito. E então João Batista entra em cena anunciando que o Messias tinha realmente chegado.

Quando o momento era perfeito, Deus enviou Seu filho. E só quando o momento for perfeito o Filho vai retornar a esta terra. Ele virá no devido tempo.

quarta-feira, 4 de julho de 2012

Como Devemos Esperar

"Ele disse: Um homem de nobre nascimento foi para uma terra distante para ser coroado rei e depois voltar. Então, chamou dez dos seus servos e lhes deu dez minas. Disse ele: ‘Façam esse dinheiro render até à minha volta’" (Lucas 19:12-13)

Como as crianças na véspera de Natal, que não podem esperar para abrir seus presentes, assim devemos esperar pelo retorno do Senhor. No entanto, muitos crentes não agem desta forma. Eles não estão vigiando e esperando. Em vez disso, simplesmente gastam seu tempo em outras atividades.

Tiago nos diz em sua epístola: "Portanto, irmãos, sejam pacientes até a vinda do Senhor. Vejam como o agricultor aguarda que a terra produza a preciosa colheita e como espera com paciência até virem as chuvas do outono e da primavera" (Tiago 5:7). A palavra que Tiago usa para "paciente" não tem o significado de uma resignação passiva, mas de uma paciente expectativa da vinda do Senhor. Tiago não está dizendo que deveríamos ter uma atitude “laissez-faire” que diz: "Suponho que o Senhor vai aparecer um dia destes. Pode ser na minha vida .... eu não sei." Ao contrário, devemos estar à espera em expectativa, excitação e alegria.

E em Romanos 13 somos lembrados que, uma vez que entendemos o presente momento, a hora chegou para os cristãos: "Chegou a hora de vocês despertarem do sono, porque agora a nossa salvação está mais próxima do que quando cremos" (versículo 11). A passagem continua: "Comportemo-nos com decência, como quem age à luz do dia, não em orgias e bebedeiras, não em imoralidade sexual e depravação, não em desavença e inveja. Pelo contrário, revistam-se do Senhor Jesus Cristo, e não fiquem premeditando como satisfazer os desejos da carne" (Romanos 13:13-14).

Este é o caminho que devemos seguir.

terça-feira, 3 de julho de 2012

Um Efeito Purificador

"Por isso me voltei para o Senhor Deus com orações e súplicas, em jejum, em pano de saco e coberto de cinza." (Daniel 9:3)

Quando estudamos profecias bíblicas (e devemos estudá-las), deve haver uma razão. Há alguns que gostam de acompanhar acontecimentos globais, tecnológicos e militares. As profecias bíblicas são uma espécie de hobby para eles. Porém elas não devem ser estudadas para mero entretenimento.

Em vez disso, o estudo das profecias bíblicas deve ser feito para nos aproximarmos de Deus e nos fortalecermos na evangelização. A Bíblia nos diz que, de acordo com o que o profeta Daniel havia estudado no Livro de Jeremias, ele percebeu que o juízo iminente de Deus estava chegando sobre a nação de Israel e que Jerusalém ficaria desolada por 70 anos.

Como isso o afetou? Daniel disse: "Por isso me voltei para o Senhor Deus com orações e súplicas, em jejum, em pano de saco e coberto de cinza. Orei ao Senhor, ao meu Deus, e confessei [...]" (Daniel 9:3-4). 

Note que quando você ler o livro de Daniel você não encontrará qualquer crítica a ele. Isso não quer dizer que Daniel era perfeito, mas sim que ele era muito piedoso e voltado a Deus. Apesar disso, ele realmente estudou as profecias, em vez de simplesmente se divertir com elas, e avançou na caminhada com Deus. Ele confessou: "Nós temos pecado e somos culpados [...]" (Daniel 9:5).

Como você se sente quando percebe que o juízo de Deus está chegando? Em vez de dizer: "Sim, Senhor, venha e julgue o mundo, porque eles merecem", você deveria dizer: "Senhor, há algum pecado em minha vida que Lhe desagrada?" Nosso estudo das profecias bíblicas deve sempre nos motivar a vivermos vidas santas. Deve ter um efeito purificador sobre nós.
Link para o texto original

segunda-feira, 2 de julho de 2012

Nossa Reação a Seu Retorno

“Amados, agora somos filhos de Deus, e ainda não se manifestou o que havemos de ser, mas sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele, pois o veremos como ele é." (1 João 3:2)

É interessante notar que quando o assunto da volta do Senhor aparece na Bíblia, é geralmente ligado a uma exortação ou admoestação a tomar uma ação para um certo resultado. 

Por exemplo, 2 Pedro 3:10 nos mostra: “O dia do Senhor, porém, virá como ladrão. Os céus desaparecerão com um grande estrondo, os elementos serão desfeitos pelo calor, e a terra, e tudo o que nela há, será desnudada.”

Podemos nos perguntar: “E daí? O que isso significa para mim?” Pedro continua: "Visto que tudo será assim desfeito, que tipo de pessoas é necessário que vocês sejam? Vivam de maneira santa e piedosa” (verso 11). Como você pode ver, isso deve nos afetar. Mas a Bíblia nos sugere pedir demissão de nosso emprego e sentar em um telhado, ou nos esconder nas montanhas enquanto esperamos a volta do Senhor? 

Pelo contrário, a Bíblia constantemente exorta os crentes a viverem uma vida santa. Lemos em 1 Tessalonicenses 5: “Mas vocês, irmãos, não estão nas trevas, para que esse dia os surpreenda como ladrão... Portanto, não durmamos como os demais, mas estejamos atentos e sejamos sóbrios” (versos 4, 6). 

Ao falar na volta de Cristo, João nos diz em sua epístola: "Todo aquele que nele tem esta esperança purifica-se a si mesmo, assim como ele é puro." Sim, Jesus está voltando. E se nisso acreditamos, isso deve afetar a maneira como vivemos.