quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

O Poder da Oração

"[...] A oração de um justo é poderosa e eficaz" (Tiago 5:16)

A Bíblia está repleta de exemplos onde orações fervorosas foram atendidas. Por exemplo, Ana não conseguia engravidar, mas o Senhor respondeu a sua oração e ela deu à luz a um menino, Samuel, que se tornou um grande profeta (cf. 1 Samuel 1:9-20).

Paulo e Silas estavam na prisão para pregar o evangelho. Mas em vez de reclamar, eles cantavam louvores a Deus. Sua situação foi revertida inteiramente por meio da oração e eles foram libertados da prisão (cf. Atos 16:22-35).

Pedro também foi preso por pregar o evangelho. A igreja se reuniu e orou e em poucas horas, suas orações foram respondidas e ele foi libertado (cf. Atos 12:5-10).

O profeta Elias orou e a chuva parou. Mais tarde, orou novamente e a chuva voltou a cair. Ele era um homem de oração e Deus respondia às suas orações (cf. 1 Reis 17 e 18).

Podemos ouvir histórias como essas e pensar: "Ah, mas essas eram pessoas de fé. Eu sou apenas uma pessoa comum. Certamente Deus não ouve a minha oração como ouvia a delas." Mas isso não é verdade. Elias era um homem de natureza exatamente como a nossa (cf. Tiago 5:17). Era um homem comum, feito de carne e osso.

O que claramente se destaca em toda a Bíblia é que a oração pode mudar radicalmente as coisas. E o mais importante: a oração pode mudar você.

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Na Hora da Necessidade

"[...] Não sabemos o que fazer, mas os nossos olhos se voltam para ti". (2 Crônicas 20:12)

Você já esteve numa situação que parecia sem saída? Alguma vez você já precisou desesperadamente de algo que parecia que nunca teria? Você já pensou que não havia um futuro para você?

Bem, se você já se sentiu dessa maneira, então você precisa saber que Deus pode responder orações e reverter situações. Ele pode transformar pessoas e, quando necessário, Ele pode até mudar o curso da natureza.

Um exemplo que imediatamente vem à mente é o do rei Josafá de Judá, um homem que tinha começado a conduzir o povo de volta para adorar ao Deus vivo e verdadeiro. De repente, vem um aviso: "rei Josafá, seus inimigos estão reunidos para atacá-lo" (cf. 2 Crônicas 20:2). A Bíblia diz que ele ficou alarmado.

O importante é o que ele fez com o seu alarme, com a sua preocupação, com a sua ansiedade. Imediatamente, ele convocou o povo e orou: "Pois não temos força para enfrentar esse exército imenso que está nos atacando. Não sabemos o que fazer, mas os nossos olhos se voltam para ti" (2 Crônicas 20:12). Um profeta deu a Josafá resposta do Senhor: "[...] Tomem suas posições; permaneçam firmes e vejam o livramento que o Senhor lhes dará, ó Judá, ó Jerusalém. Não tenham medo nem se desanimem. Saiam para enfrentá-los amanhã, e o Senhor estará com vocês" (2 Crônicas 20:17).

Aqui está o retrato de um povo vulnerável ​​que não sabe o que fazer, que é completamente dependente de Deus. Eis um ótimo exemplo do que fazer na hora da necessidade.

Deus respondeu a oração do rei e dramaticamente alterou as circunstâncias, destruindo seus inimigos. Lembre-se: você pode se voltar para Deus em oração em circunstâncias desesperadoras. Ele ouvirá o seu choro.

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

A Oração Eficaz

"Não andem ansiosos por coisa alguma, mas em tudo, pela oração e súplicas, e com ação de graças, apresentem seus pedidos a Deus. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os seus corações e as suas mentes em Cristo Jesus." (Filipenses 4:6-7)

Na sigla em inglês “ACTS” para oração, a última letra equivale a Súplica. Se formos fiéis nas primeiras três letras, a última não irá resultar em uma “lista de compras espiritual”. Na medida em que gastamos o tempo com Adoração, Confissão e Agradecimento (Thanksgiving), nossos pedidos poderão mudar porque estaremos nos alinhando com a vontade de Deus.

Conforme vemos Deus, pensamos sobre ele, e começamos a reexaminar as coisas, penso que nossas orações começam a mudar. Inicialmente podemos ter orado assim: "Senhor, para aquelas pessoas que fizeram isso comigo, peço-Lhe que as julgue." Mas depois que passamos algum tempo na presença de Deus, podemos orar assim: "Senhor, perdoe-me pelas coisas erradas que fiz a elas. Mude meu coração."

Se você quiser ver suas orações respondidas afirmativamente com mais frequência, aprenda a orar segundo a vontade de Deus. Esse é o objetivo da oração eficaz. Nada é grande demais para se pedir em oração. E nada é tão pequeno a ponto de não ser objeto de oração. Há um lugar para a súplica. Não temos que sentir qualquer vergonha em trazer as nossas necessidades diante do Senhor. A Bíblia diz: "Lancem sobre ele toda a sua ansiedade, porque ele tem cuidado de vocês" (1 Pedro 5:7). Tragam as suas preocupações. Tragam seus problemas. Tragam as suas ansiedades.

Deus não promete retirar imediatamente os seus problemas, mas Ele lhe dará a Sua paz diante dos seus problemas.

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Sendo Sempre Gratos

"Por volta da meia-noite, Paulo e Silas estavam orando e cantando hinos a Deus; os outros presos os ouviam." (Atos 16:25)

Davi disse no Salmo 32: "Como é feliz aquele que tem suas transgressões perdoadas e seus pecados apagados!" (v. 1). Nossa atitude imediata após confessarmos os nossos pecados deve ser de agradecimento, pois somos gratos a Deus por ter nos perdoado e por tudo o que Ele tem feito por nós.

A Bíblia diz: "Aleluia! Dêem graças ao Senhor porque ele é bom; o seu amor dura para sempre." (Salmo 106:1). Quando damos graças ao Senhor e pensamos sobre quem Ele é e o que fez por nós, como Davi, percebemos que temos muito a agradecer.

Devemos dar graças ao Senhor sempre que nos sentirmos gratos. Porém, devemos agradecer também quando não nos sentirmos assim. Por que? Porque nossas emoções podem nos enganar. Se as coisas não estão bem, podemos pensar: "Não vou louvar ao Senhor hoje." Mas precisamos ir adiante e louvá-lo de qualquer maneira. Creio que à medida que começamos a louvar a Deus passamos a ver nossos problemas simplesmente como eles são, pois veremos Deus como Ele é. Mesmo quando não nos sentimos gratos, precisamos louvar a Deus, pois Ele é digno do nosso louvor.

As coisas não estavam indo nada bem para Paulo e Silas quando eles foram torturados e jogados em uma prisão, uma masmorra romana úmida e que não cheirava nada bem. No entanto, a Bíblia nos diz que à meia-noite eles cantaram louvores a Deus (veja em Atos 16).

Isso é o que precisamos fazer: cantar hinos ao Senhor no meio da noite, mesmo quando não estamos nos sentindo bem, pois o Senhor é bom e Ele é digno do nosso louvor.
Link para o texto original

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Adorar e Confessar

"Atribuam ao Senhor a glória que o seu nome merece; adorem o Senhor no esplendor do seu santuário" (Salmos 29:2)

Frequentemente, em seus salmos, Davi começa com um reconhecimento da grandeza de Deus. Também para nós, acho que é importante olhar para os atributos de Deus, considerar sua onipotência, Seu poder ilimitado; considerar Sua onisciência, Seu conhecimento ilimitado; e considerar Sua onipresença, o fato de que Ele está presente em todos os lugares. Devemos reservar tempo para pensar sobre essas coisas, para contemplá-las, e para deixar nossos pensamentos em ordem antes de oferecer uma palavra de petição ao nosso Pai.

Isso nos leva à confissão. Quanto mais nos aproximamos de Deus, mais percebemos nossa própria condição de pecadores. Quando gastamos tempo na presença de Deus, tornamo-nos conscientes de nossas deficiências. O Espírito Santo de Deus nunca nos convence do pecado para nos separar, mas sim para nos atrair junto a Ele. A Bíblia diz: "Se confessarmos os nossos pecados, Ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça" (1 João 1:9).

Confessar significa dizer: "Senhor, eu concordo com você. Pequei. Lamento. Mostre-me o que está errado." Devemos querer enxergar todas as barreiras removidas que nos separariam d'Ele.

Se você, honestamente, não consegue pensar em nenhum pecado para confessar, então você pode orar como Davi: "Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração; prova-me, e conhece as minhas inquietações. Vê se em minha conduta algo que te ofende..." (Salmo 139:23-24).

Podemos orar a mais bela das orações, mas se nossos corações não estiverem no caminho do Senhor e houverem pecados não confessados em nossas vidas, essas orações não passarão nem mesmo pelo teto de nossas casas. A confissão de pecados é essencial em nossas orações.

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Um Modelo para Orar

"Certo dia Jesus estava orando em determinado lugar. Tendo terminado, um dos seus discípulos lhe disse: 'Senhor, ensina-nos a orar, como João ensinou aos discípulos dele'" (Lucas 11:01).

Quando os discípulos foram ter com Jesus e lhe disseram: "Senhor, ensina-nos a orar", eles não disseram: "Senhor, ensina-nos uma oração." Então, Jesus deu-lhes (e a todos nós) um modelo que chamamos de Oração do Senhor. Mas, às vezes, achamos que a Oração do Senhor é uma espécie de “super oração” a ser usada quando estamos realmente em apuros.

Não há nada de errado em repetir a oração que Jesus ensinou a seus discípulos, mas é preciso lembrar que ela é mais do que apenas uma oração: ela é, na verdade, um modelo de oração. Jesus disse: "Vocês, orem assim: ‘Pai nosso, que estás nos céus! Santificado seja o teu nome.Venha o teu Reino; seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu" (Mateus 6:9-10).

Veja que ele não começa com: "Nosso Pai do céu, dai-nos hoje o nosso pão de cada dia." Mas é assim que muitas pessoas rezam. Elas dizem nas entrelinhas: "Senhor, o que é que estás fazendo? Eis aqui o que eu preciso." E, em seguida, elas desenrolam a sua lista de compras. Será que foi isso que Jesus ensinou?

Quando você tirar tempo para orar, lembre-se da sequência A–C–G-S. Cada letra corresponde a um aspecto específico da oração, disposta em uma ordem natural:

A - Adoração ou culto;
C - Confissão.
G - Gratidão;
S - Súplica.

Então, quando orarmos, devemos começar sempre com adoração. Devemos começar reconhecendo com quem estamos falando. Deus é o nosso Pai do céu e não o nosso empregado do céu. Ele não é o nosso servo no céu, tampouco a nossa máquina automática de vendas do céu. Estamos falando com o Deus Todo-Poderoso, o Criador do universo. E isso coloca as coisas na perspectiva correta.

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Orar Sem Cessar

"Alegrem-se sempre. Orem continuamente. Dêem graças em todas as circunstâncias, pois esta é a vontade de Deus para vocês em Cristo Jesus." (1 Tessalonicenses 5:16-18)

Ouvi a história de uma mãe que falava ao telefone com um amigo que havia pedido oração. Sua filhinha entrou na sala e ficou lá por um momento para ouvir. Quando ouviu sua mãe orando no telefone, disse-lhe: "Você está falando com Deus pelo telefone? Eu preciso falar com ele também."

Não seria ótimo se pudéssemos simplesmente pegar o telefone e falar com Deus? Bem, de certa forma nós podemos, através da oração. A oração é algo que todos nós precisamos fazer. É uma das práticas mais importantes da vida cristã. Ela é tão essencial para conhecer Deus e crescer espiritualmente como a respiração é para a vida. A Bíblia diz que devemos orar sem cessar, pois esta é a vontade de Deus para nós (cf. 1 Tessalonicenses 5:17-18).

A oração é o meio de comunicação pelo qual ouço e falo com o Deus Todo-Poderoso. O apóstolo Paulo disse que deveríamos orar:

"Orem no Espírito em todas as ocasiões, com toda oração e súplica; tendo isso em mente, estejam atentos e perseverem na oração por todos os santos. Orem também por mim, para que, quando eu falar, seja-me dada a mensagem a fim de que, destemidamente, torne conhecido o mistério do evangelho" (Efésios 6:18-19).

Paulo nos ensina que devemos orar em todas as ocasiões com todos os tipos de oração e pedidos de todos os santos em Cristo. Que é também o que Jesus disse: "[...] orar sempre e nunca desanimar" (Lucas 18:1). A oração não é uma opção na vida cristã. É um privilégio, é uma aventura. E é um mandamento de Cristo para nós.

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

Começando pelo Começo

"Saulo perguntou: 'Quem és tu, Senhor?'" (Atos 9:5)

Algumas igrejas de hoje dão ênfase ao que você deve fazer por Deus. As pessoas vão à igreja e, ao invés de ficarem encorajadas, saem sentindo-se desencorajadas e culpadas, porque lhes disseram que elas não têm testemunhado o bastante, que não têm orado o suficiente, e que não têm doado tanto quanto deveriam.

Mas a Bíblia não dá ênfase ao que eu devo fazer por Deus, mas sim ao que Deus fez por mim. Isso não quer dizer que a Bíblia não nos diga o que devemos fazer por Ele, porque ela diz isso em muitos, muitos momentos. Mas ela foi construída sobre o que Deus fez por mim. E quanto mais o meu entendimento e a minha apreciação sobre o que Deus fez por mim crescem, mais cresce o meu desejo em ser recíproco. Conhecendo Ele, vou querer torná-Lo conhecido.

Após uma conversão a caminho de Damasco, Saulo de Tarso, o qual mais tarde se tornou o apóstolo Paulo, disse, “Senhor o que Tu queres que eu faça?” Mas primeiro, ele perguntou, “Quem és Tu, Senhor?”

Temos primeiro que procurar entender quem é Deus e o que Ele fez por nós. Só então podemos procurar o que Ele quer que façamos. Nossa obediência e a prática dessas verdades em nossas vidas é uma resposta a tudo que Deus fez por nós. Como está escrito em 1 João 4:19, “Nós amamos porque ele nos amou primeiro.”

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

Nosso Objetivo Principal

"Portanto, vão e façam discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, ensinando-os a obedecer a tudo o que eu lhes ordenei. E eu estarei sempre com vocês, até o fim dos tempos." (Mateus 28:19-20)

Existem falsos teólogos que dizem que Jesus não irá voltar pessoalmente à Terra, e que por isso os cristãos devem preparar para Ele o Seu reino na Terra. Nossa meta como cristãos seria então "cristianizar o mundo", eleger cristãos para altos cargos políticos, e então permear nossa sociedade com os ideais cristãos. Dessa forma, estabeleceríamos o reino de Deus por Jesus.

Isso pode até soar agradável e ser atraente, mas não tem base no que diz a Bíblia. Ela não apresenta um cenário do mundo ficando cada vez melhor até a volta de Cristo. Ao contrário, a Bíblia mostra um cenário de um mundo que se torna cada vez pior. Jesus mesmo disse: "[...] quando o Filho do homem vier, encontrará fé na terra?" (veja em Lucas 18:8).

Nosso objetivo na Terra como cristãos não é "cristianizar" o mundo, mas sim pregar o evangelho e manter nosso "apego" com o mundo o mais sutil possível. Não tenho nada contra cristãos na política. Creio que devemos fazer o que pudermos para aprovar leis que protejam nossa herança judaico-cristã. No entanto, se isso estiver no lugar da pregação do evangelho, estaremos perdendo o foco. Essas coisas são boas quando estão em seu devido lugar. Primeiro devemos entender que somos filhos do Rei, e que Seu reino terreno ainda está por vir. Nossa meta principal é procurar trazer as pessoas até Cristo e viver uma vida santa.
Link para o texto original

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

A Verdade Sobre o Futuro

"'Porque sou eu que conheço os planos que tenho para vocês', diz o Senhor, 'planos de fazê-los prosperar e não de lhes causar dano, planos de dar-lhes esperança e um futuro'. (Jeremias 29:11)

Jeremias 29:11 se destaca como prova de que Deus tem um futuro maravilhoso reservado para nós. A palavra "futuro" usada em Jeremias 29:11 pode ser traduzida como um "fim esperado". Outra tradução poderia ser "coisas que se esperam" ou "resultado".

Agora, neste momento, posso não saber o que Deus tem em mente para mim, mas Ele sabe. A forma como Deus entende o futuro e como nós o entendemos é muito parecida com a compreensão de um artista sobre uma tela em branco e a nossa compreensão dela. O artista olha para a tela branca e passeia pela tela. Ele pega um lápis e desenha um par de traços largos e, em seguida, olha para ela novamente.

Então nos aproximamos e dizemos: "O que é isso?" Ele nos diz e nós respondemos: "Bem, não parece muito com isso, na nossa opinião."

Mas o artista confiantemente observa: "Está vindo. É um trabalho em andamento. Eu tenho uma visão, um plano." O artista pensa sobre o resultado final, embora ele só tenha desenhado um par de traços aparentemente sem sentido.

Nós muitas vezes olhamos para nossas vidas inacabadas da mesma forma que olhamos para uma tela em branco. As coisas podem não ir como o esperado. A vida não está progredindo de acordo com a nossa agenda. Então dizemos: "O Senhor deve ter se esquecido de mim. O Senhor me abandonou. Está acabado." Não. O Senhor tem uma visão para a sua vida. Ele tem um plano. Você é um trabalho em andamento. Você está em construção. Deus não terminou o trabalho com você ainda.

Nós vemos somente o começo. Deus vê o fim desde o começo. Vemos uma tela em branco. Deus vê uma obra-prima em andamento.

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Essa tal Sorte não Existe

"E nos revelou o mistério da sua vontade, de acordo com o seu bom propósito que ele estabeleceu em Cristo" (Efésios 1:9)

Um cristão nunca deveria dizer: "Hoje eu estava realmente com sorte" ou "O que tiver que ser, será." Esqueça isso. Se você é cristão, então você é filho de Deus. Essa coisa de sorte não existe. Deus sempre tem um plano e um propósito em tudo aquilo que faz. Ele tem uma estratégia para sua vida. Você não consegue ver isso no momento, mas Ele vê. Deus está prestando atenção nas coisas que você agora enfrenta. Ele presta atenção ao que você realmente precisa e não necessariamente àquilo que você quer. Logo, a coisa mais importante para se ter em mente é que Deus pensa em você e se preocupa com você.

Devemos lembrar que tipos de pensamentos Deus tem para nós. De acordo com Jeremias 29:11, os pensamentos de Deus a nosso respeito são pensamentos de paz e não de pecado. Ele odeia o pecado, mas ama o pecador com um amor eterno. Na próxima vez em que o demônio soprar no seu ouvido que o projeto de Deus para você é o pecado, lembre-se de se defender com a passagem de Jeremias 29:11. Na próxima vez em que o Diabo lhe lembrar do seu passado, faça-o lembrar de seu futuro. O seu futuro é bom. E o do Diabo, não é.

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

O Significado do Compromisso

"Como fonte contaminada ou nascente poluída, assim é o justo que fraqueja diante do ímpio." (Provérbios 25:26)

Compromisso começa com uma série de passos. Tenho conhecido pessoas que andaram com o Senhor por alguns anos e depois caíram nos pecados mais flagrantes e óbvios. Foi porque baixaram a guarda e disseram: "Não vai acontecer comigo." Quando Pedro negou Jesus na noite de Sua prisão, sua negação não foi apenas uma resposta espontânea ao perigo inesperado ou ao embaraço. Ele já tinha preparado o terreno para a deserção. Antes que ele entrasse no pátio do sumo sacerdote e tomasse consciência do poder inimigo, já tinha claramente dado passos em direção à negação a Cristo. Pedro era um homem que tinha andado com Deus, mas ele caiu.

Da mesma forma, ninguém se afasta de Deus de uma hora para outra. Vemos alguém que se afasta do Senhor e dizemos: "Como pode? Ele parecia estar indo tão bem." Saiba o seguinte: Os passos podem ter sido dados em segredo, mas claramente foram dados. A cada momento, a cada dia, você constrói o seu caráter espiritual ou o enfraquece. Você deve estar sempre atento.

Tome hoje as medidas necessárias para criar o seu caráter espiritual a fim de evitar uma queda como a de Pedro.

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

A Quem Anunciamos

"Nós o proclamamos, advertindo e ensinando a cada um com toda a sabedoria, a fim de que apresentemos todo homem perfeito em Cristo." (Colossenses 1:28)

O que significa fazer discípulos? Mateus 28:20 define isso para nós. Simplificando, significa ensinar os outros a observar o que Jesus disse. Discipular pessoas é viver nossa fé neste mundo compartilhando com os outros para ensiná-los pela palavra, modelando-os pelo nosso exemplo. O conceito de ir por todo o mundo e fazer discípulos consiste em compartilhar nossa fé, procurando levar as pessoas a Cristo, e usando o melhor de nossa capacidade, ajudar-lhes a se tornarem espiritualmente maduros.

Em algum lugar lá atrás separamos o evangelismo do discipulado. Mas tal distinção não existe nas Escrituras. São parte um do outro. A idéia não é apenas compartilhar o evangelho, levar alguém a uma decisão por Cristo, e depois dizer: "Deus te abençoe. Te vejo mais tarde." Isto é comparável a um médico dar a um bebê recém-nascido um pacote de fraldas, colocá-lo na calçada, e depois dizer: "Ok, filho. Foi bom estar com você durante este breve tempo. Tudo de bom para você." Um bebê necessita ser alimentado, amado e cuidado. O mesmo se faz com um novo crente.

Fazer discípulos é ajudar os novos crentes a crescer espiritualmente, torná-los dedicados, comprometidos, fiéis e maduros em Jesus, e também capacitá-los a repetir o processo com outra pessoa. Fazer discípulos é reproduzir você mesmo. É levar outros a Cristo, ajudá-los a assentarem seus pés espiritualmente para, em seguida, fazerem isso novamente.

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

PENSE Antes de Falar

"Os lábios do justo sabem o que é próprio, mas a boca dos ímpios só conhece a perversidade." (Provérbios 10:32)

J. Vernon McGee costumava dizer: "A única prática de alguns cristãos é desdenhar de outros e tirar conclusões precipitadas."

Calúnias e fofocas são pecados que, infelizmente, são muito comuns entre cristãos. Quantas vezes já se espalharam boatos baseados em informações que simplesmente não são verdadeiras, pois a pessoa não se dá o trabalho de entender melhor a situação? A Bíblia diz: "Quem responde antes de ouvir, comete insensatez e passa vergonha." (Provérbios 18:13)

Fofoca e difamação são muito mais fáceis de evitar antes que aconteçam, não é mesmo? Alguma vez alguém já fofocou a seu respeito? Disse algo sobre você que simplesmente não era verdade?

Provérbios 18:8 diz: "As palavras do caluniador são como petiscos deliciosos; descem até o íntimo do homem." A fofoca é assim. "Você tá sabendo?", alguém poderia dizer. Então começamos com aquela repugnante distorção dos fatos. Podemos simplesmente passar isso adiante, mas no final é como uma ferida. Machuca outras pessoas, e pode nos machucar também.

Então, quando ouvirmos boatos ou calúnias, o que devemos fazer? Eis aqui uma palavra que precisamos lembrar: PENSAR. É verdade? Se não for, então não passe para frente. Vai ajudar em alguma coisa? É necessário? É gentil? É construtivo?

Você pode pensar: "Bem... se eu aplicasse esse princípio o tempo todo, haveria um monte de coisas que eu não diria". Então não as diga. Será melhor assim. E muitos outros poderão agir da mesma forma.
Link para o texto original

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

O Inimigo Interior

"Tu és uma verdadeira filha de sua mãe, que detestou o seu marido e os seus filhos; e você é uma verdadeira irmã de suas irmãs, as quais detestaram os seus maridos e os seus filhos. A mãe de vocês era uma hitita e o pai de vocês, um amorreu." (Ezequiel 16:45)

Jesus descreveu seu tempo como uma geração adúltera e má. Se isso se aplica à geração que Ele descreveu, quanto mais se aplica às gerações de hoje?

Houve um tempo em que a América era "a cidade em destaque", a qual dava exemplo para o resto do mundo de sua fé, de liberdade e da família. Como ideologia, éramos ímpares. A ética protestante de trabalho trazida pelos peregrinos, da qual alguns acham graça agora, produziu uma força robusta, produtiva e poderosa, não só em nossa nação, mas também em todo o mundo. Mas parece que a América começou a apodrecer por dentro. Temos efetivamente resistido a todos os inimigos do lado de fora, mas esquecemos do inimigo interior. Temos trilhado os caminhos de Sodoma.

Quando pensamos em Sodoma e Gomorra, imediatamente lembramos da imoralidade, mas considere os pecados que levaram a ela. Ao falar de Sodoma, Deus disse: "‘Ora, este foi o pecado de sua irmã Sodoma: Ela e suas filhas eram arrogantes, tinham fartura de comida e viviam despreocupadas; não ajudavam os pobres e os necessitados'". (Ezequiel 16:49). Essa fala de Deus descreve o nosso país hoje: Somos orgulhosos. Temos plenitude de alimentos. Temos abundância de ociosidade.

Hoje celebramos as mesmas coisas que a Bíblia diz que não devemos. E enquanto algumas pessoas vêem os mandamentos de Deus como restritivos, ou mesmo opressivos, na realidade eles são o esquema de Deus para uma vida correta, o conjunto de verdades absolutas que temos procurado em um tempo de constante mudança e relativismo moral.

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Dispostos a Perdoar

"Livrem-se de toda amargura, indignação e ira, gritaria e calúnia, bem como de toda maldade. Sejam bondosos e compassivos uns para com os outros, perdoando-se mutuamente, assim como Deus perdoou vocês em Cristo." (Efésios 4:31-32)

Você já ficou muito bravo com alguém sem nenhum motivo? Ou você alguma vez já dirigiu num trânsito engarrafado?

Muitas pessoas têm no fundo do coração uma raiva e um ódio tão fortes que chegam a desejar a morte daqueles que odeiam, mas isso é expressamente proibido nas Escrituras. 1 João 3:15 diz: "Quem odeia seu irmão é assassino e vocês sabem que nenhum assassino tem vida eterna em si mesmo." A palavra usada aqui para ódio significa: "desprezar continuamente." Não implica apenas numa emoção passageira, mas num ódio profundamente enraizado.

A Bíblia não está dizendo com isso que ter raiva é sempre um pecado. A ideia contida nessa passagem de 1 João é aquela da raiva profunda e do ressentimento continuados. É a ideia de desprezar constantemente alguém.

Algumas pessoas são de guardar rancor, embora digam com frequência: "Não fique bravo!" Talvez alguém tenha lhe ofendido ou se aproveitado de você, dando margem a pensamentos como: "Eu odeio aquela pessoa. Eu gostaria que ela simplesmente morresse." Mas não há lugar para esse tipo de pensamento na cabeça de um crente. Deus diz: "A mim pertence a vingança" (Hebreus 10:30). Você tem que perdoar essa pessoa e deixá-la ir, mesmo que não mereça.

Você foi perdoado de uma dívida enorme e, como filho de Deus, deve perdoar igualmente os outros. Se realmente tivermos ciência daquilo que Deus fez por nós, então devemos estender esse perdão recebido também aos outros.

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Provações que Criamos

"Quando alguém for tentado, jamais deverá dizer: 'Estou sendo tentado por Deus'. Pois Deus não pode ser tentado pelo mal, e a ninguém tenta." (Tiago 1:13)

Às vezes caminhamos em direção a provações que nós mesmos criamos, porque elas são o resultado direto de nosso próprio egoísmo, orgulho, ganância ou cobiça. E quando isso acontece e colhemos os resultados do nosso pecado, temos raiva de Deus.

Mas Tiago diz: "Quando alguém for tentado, jamais deverá dizer: 'Estou sendo tentado por Deus'. Pois Deus não pode ser tentado pelo mal, e a ninguém tenta. Cada um, porém, é tentado pela própria cobiça, sendo por esta arrastado e seduzido. Então a cobiça, tendo engravidado, dá à luz o pecado; e o pecado, após ter-se consumado, gera a morte." (Tiago 1:13-15). Forjamos os elos de ações pequenas e comprometedoras, e antes de nos darmos conta, uma poderosa cadeia já nos cercou e ficamos impotentes.

Eu costumava ser capaz de correr mais que o meu filho mais velho Christopher, que agora é adulto. Mas alguns anos atrás estávamos na praia e eu escolhi um ponto e disse: "Ok, Christopher, vou apostar corrida com você até aquele ponto." Nós arrancamos e para minha surpresa ele me ultrapassou. Eu pensei, "Como isso é possível? Eu segurei esta criança em minhas mãos quando nasceu, eu o vi crescer." Bem, ele cresceu. Foi isso o que aconteceu.

O mesmo pode acontecer com o pecado. Pensamos que podemos lidar com ele. Achamos que é tão pequeno, mas Tiago diz que quando o pecado é consumado, gera a morte. Um dia desses o pecado vai crescer e vai correr mais que você. Ela vai dominá-lo. É isso que acontece.

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

As Pessoas Mais Difíceis de Alcançar

"Pois nem os seus irmãos criam nele." (João 7:5)

É interessante notar que nem Tiago nem qualquer outro irmão de Jesus acreditavam nEle antes de Sua ressurreição. Em certo ponto, a Bíblia nos diz, eles tentaram levá-Lo para casa, pensando que Ele estava louco. Sua própria família não havia aceitado o fato de que Jesus era o Messias.

Imagine se você fosse Maria e José. Quão tentador seria falar para as crianças: “Por que vocês não podem ser como seu irmão Jesus? Ele nunca faz nada errado.”

“Mas mãe, ele é perfeito. Eu não sei o que há de errado com ele.”

Na defesa de Tiago, entretanto, podemos ver como era difícil para ele aceitar que alguém com seu sangue fosse o próprio Messias de Israel. Foi apenas quando seus olhos se abriram espiritualmente que ele pôde ver que seu irmão era mesmo o Senhor. Foi a ressurreição que mudou a cabeça de Tiago, pois 1 Coríntios 15 diz “foi sepultado e ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras, e apareceu a Pedro e depois aos Doze [...] Depois apareceu a Tiago e, então, a todos os apóstolos” (versos 4-7).

Isso nos mostra que viver uma vida perfeita e sem falhas não é suficiente para convencer alguém da verdade do evangelho. Afinal de contas, quem viveu uma vida mais perfeita que Jesus? Ele nunca pecou, em nenhum aspecto. Mas como o próprio Jesus falou, “Só em sua própria terra e em sua própria casa é que um profeta não tem honra" (Mateus 13:57). Esse é só um lembrete de que as pessoas mais difíceis são aquelas que são mais próximas, especialmente nossos familiares.

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Alegria em Momentos Difíceis

"Nenhuma disciplina parece ser motivo de alegria no momento, mas sim de tristeza. Mais tarde, porém, produz fruto de justiça e paz para aqueles que por ela foram exercitados." (Hebreus 12:11)

Você já esteve no "fundo do poço"? De repente - e sem aviso - problema após problema surge em sua vida. E quando parece não haver mais esperança, como se não houvesse saída, as coisas melhoram.

Por que Deus permite que aconteçam tais calamidades em nossas vidas como cristãos? Por que Deus permite a tragédia na vida cristã? Por que existem provações? O livro de Tiago aborda tais questões em seu primeiro capítulo. A primeira coisa que nos diz é: "Meus irmãos, considerem motivo de grande alegria o fato de passarem por diversas provações" (v. 2)

Que tipo de coisa dá para dizer a alguém que está sofrendo? É como dizer para alguém com dificuldades: "Não se preocupe, seja feliz! (don't worry, be happy!)". É isso que Tiago nos diz? Sim e não. Ele nos encoraja a nos alegrarmos. Há uma razão para isso.

Tiago não sugere que devemos necessariamente estar transbordando alegria e felicidade em nossos momentos de dificuldade. Nem exige que necessariamente desfrutemos das provações em nossas vidas. Ele não diz que provações em si são motivos de felicidade, pois normalmente não são. Mas Tiago diz: "considerem motivo de grande alegria..." Ele diz: "Tome, deliberadamente, a decisão de experimentar a alegria em seus problemas e provações." Não é fácil, mas é possível.

Como você pode notar, há lições a serem aprendidas durante os tempos de provação. E há lições que só podem ser aprendidas em tais momentos. Apenas lembre-se que esses momentos não vão durar para sempre.
Link para o texto original

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

O Pecado Subestimado

"Assim, façam morrer tudo o que pertence à natureza terrena de vocês: imoralidade sexual, impureza, paixão, desejos maus e a ganância, que é idolatria." (Colossenses 3:5)

Um padre católico romano que tinha ouvido as confissões de 2.000 pessoas disse ter ouvido as pessoas confessarem toda sorte de iniquidades, incluindo o adultério e até mesmo assassinato, mas ele nunca tinha ouvido alguém confessar o pecado da cobiça.

Cobiça é um pecado muito sutil que pode levar a coisas muito piores. Cobiçar significa ansiosamente desejar o que pertence a outro, colocar o coração em alguma coisa. A tradução literal da palavra significa "desejar algo ardentemente", quase sugerindo a ideia de algo animal.

A cobiça não significa apenas admirar o carro do seu vizinho. Significa querer o carro do seu vizinho - não apenas um carro como o dele, mas o seu carro. E a cobiça geralmente conduz à ação. Cobiça é um pecado poderoso e subestimado que pode nos aleijar espiritualmente e, finalmente, destruir-nos. Ela não deve ser subestimada ou deixada sem atenção.

Pense nas pessoas na Bíblia que tragicamente cederam ao pecado da cobiça. Considere Eva e como o pecado entrou na raça humana. Gênesis nos diz: "Quando a mulher viu que a árvore parecia agradável ao paladar, era atraente aos olhos e, além disso, desejável para dela se obter discernimento, tomou do seu fruto, comeu-o [...]" (Gênesis 3:6). Ela viu. Ela ficou encantada. Ela desejou. Ela pegou. Ela deu.

Então a cobiça funciona assim: Os olhos admiraram um objeto. A mente considera. A vontade vai sobre ele. O corpo move-se para a posse. Isso é cobiça. Esse é um pecado que podemos cometer muito facilmente.

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Traços de Fecundidade Espiritual

"Se alguém permanecer em mim e eu nele, esse dá muito fruto; pois sem mim vocês não podem fazer coisa alguma." (João 15:5)

O que Deus quis dizer quando disse “que devemos dar frutos”? De acordo com as Escrituras, existem quatro aspectos sobre a fecundidade espiritual:

1. Ganhar outros para Jesus Cristo e ajudá-los a crescer espiritualmente. Paulo escreveu aos seus amigos em Roma: "[...] muitas vezes planejei visitá-los [...] Meu propósito é colher algum fruto entre vocês” (Romanos 1:13). Então, não importa de que forma Deus lhe usa: se através da oração por alguém, se levando-os à igreja ou fazendo estudo bíblico; ou ainda, simplesmente, compartilhando o evangelho com outras pessoas. Sua vida está frutificando;

2. Compartilhar com outros as bênçãos que Deus lhe tem dado. Quando Paulo fez uma coleta entre os gentios para os santos pobres em Jerusalém, ele se referiu a oferta como “o fruto” (veja Romanos 15:28). Quando destinamos parte de nossas finanças para investimentos no Reino através de dízimos e ofertas, estamos também frutificando;

3. Louvar e agradecer a Deus. Quando levantamos nossa voz para cantar a Deus, estamos fazendo uma oferta a Ele. Mesmo se você não sabe bem as letras das músicas ou se é um pouco desafinado, não importa. Se você der o seu melhor, estará produzindo frutos.

4. Mudar de conduta e de caráter: "Mas o fruto do Espírito é amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio [...]" (Gálatas 5:22-23). Estas virtudes devem ser parte de nossas vidas. Mas elas não aparecem do dia para a noite. Isso leva tempo. Seja paciente. Firme suas raízes profundamente na pessoa de Jesus Cristo. 

Se continuarmos a nos aplicar às instruções básicas do crescimento espiritual, iremos florescer e dar frutos. Podemos glorificar a Deus por tornar as nossas vidas fecundas à medida que formos nos tornando semelhantes a Ele.