segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Descobrindo Nosso Caminho

"Ai dos que chamam ao mal bem e ao bem, mal, que fazem das trevas luz e da luz, trevas, do amargo, doce e do doce, amargo." (Isaías 5:20)

Uma história do Antigo Testamento nos conta como Deus, de forma sobrenatural, proveu aos filhos de Israel, diariamente, o alimento celestial chamado maná. À medida que viajavam pelo deserto, o maná estava lá para eles todas as manhãs, quando saiam de suas tendas. Tudo que tinham a fazer era pegar e comer.

Mas depois de algum tempo, eles se cansaram do maná. Eles disseram: "Ah, se tivéssemos carne para comer! Nós nos lembramos dos peixes que comíamos de graça no Egito, e também dos pepinos, das melancias, dos alhos porós, das cebolas e dos alhos" (Números 11:4-5). Quando os israelitas se queixaram, Moisés orou a Deus, e a Bíblia diz que choveu codornizes. Eles ficaram com codornizes até uma altura de 90 cm (Números 11:31). Mas elas pareciam amargas em suas bocas.

O engraçado é que quando o diabo nos faz lembrar de nosso passado, muitas vezes olhamos para ele através de lentes cor-de-rosa. Ele nunca diz: "Lembra como você era vazio? Lembra da culpa que nunca ia embora? Lembra como você tinha medo de morrer?" Em vez disso, ele nos lembra das poucas vezes em que tínhamos bons momentos, embora os maus predominassem.

Como somos tolos quando tentamos manter Deus fora de nossas vidas e cegamente perseguimos os nossos planos e paixões. Muitas vezes Deus não vai nos deixar alcançar o que procuramos. Outras vezes vai, para que vejamos que não era o que imaginávamos. É como se costuma dizer: há duas fontes de infelicidade na vida. Uma é não conseguir o que você deseja. A outra é conseguir.

Nenhum comentário:

Postar um comentário