terça-feira, 24 de julho de 2012

Sem Exibições

"[...] O amor [...] não se ensoberbece" (1 Coríntios 13:4)

A cada ano 60 milhões de telespectadores estadunidenses podem assistir na televisão a exibição de uma Parada do Dia de Ação de Graças. Com balões de hélio gigantes, com personagens de desenhos animados, bandas, pessoas vestidas como palhaços, apitos e ruídos, ela é feita para chamar atenção. Pessoas fazem fila para ver a parada.

Em 1 Coríntios 13, lemos que o amor não se exibe. Em outras palavras, não se vangloria. A vanglória é o outro lado do ciúme. Enquanto o ciúme quer possuir a outra pessoa, a vanglória tenta fazer com que a outra pessoa tenha inveja do que temos. É quando não estamos apenas felizes por ter algo, mas queremos também que todos saibam o que temos.

Pode acontecer, por exemplo, quando você deseja que toda a roupa que você vesta tenha grifes, e que esta seja percebida. Ou quando intencionalmente você deixa o preço em presentes para os destinatários saberem o grande sacrifício que você fez. E o que farão em resposta? Sentir-se-ão obrigados a retribuir com um presente de igual valor, para que não se sintam culpados.

Mas o amor não coloca as pessoas sob esta pressão. O amor não diz: "Eu tenho feito tantos sacrifícios para você. Fiz tanto por você." O amor apenas faz. Não tem plumas e paetês, nem uma banda tocando diante de si. Deus sabe o que você faz, e a Bíblia diz: "[...] e teu Pai, que vê em secreto, ele mesmo te recompensará publicamente. (Mateus 6:4)”

O amor não se importa se todos sabem ou não o que de bom tem sido feito. O amor não precisa de alarde. O amor não precisa de fama. É simplesmente fazer algo por amor a Deus, por gratidão àquilo que Ele tem feito por nós. É assim que deve ser.

Nenhum comentário:

Postar um comentário