quinta-feira, 17 de maio de 2012

Um Veneno Mortal

"Todos tropeçamos de muitas maneiras. Se alguém não tropeça no falar, tal homem é perfeito, sendo também capaz de dominar todo o seu corpo." (Tiago 3:2)

Algumas das maiores pessoas que Deus usou tiveram problemas com a língua. Deus chamou Jó "inocente" e "reto", mas Jó tinha dificuldade em controlar a língua, como revelou quando disse: "Sou indigno; como posso responder-te? Ponho a mão sobre a minha boca." (Jó 40:4).

Isaías foi um dos servos escolhidos de Deus. É interessante notar que quando chegou na presença de Deus, ele disse: "Ai de mim! Estou perdido! Pois sou um homem de lábios impuros e vivo no meio de um povo de lábios impuros [...]" (Isaías 6:5). É interessante notar que quando Isaías, um homem de Deus, estava na presença de um Deus perfeito e santo, a primeira coisa que percebeu foi que tinha abusado de suas palavras.

Sem dúvida, Moisés foi um dos maiores homens já usados ​​por Deus, mas ele, às vezes, também tinha problemas com a língua. Está escrito sobre ele: "[...] falou sem refletir" (Salmo 106:33). Portanto, ele também lutou contra isso.

Mesmo um orador tão eloquente da igreja cristã como o apóstolo Paulo teve problemas com a língua. Em uma ocasião, enquanto estava diante do sumo sacerdote Ananias, este ordenou que Paulo fosse atingido no rosto. Paulo rapidamente respondeu: "[...] Deus te ferirá, parede branqueada! [...]" (Atos 23:3).

Claro, aquele que provavelmente receberia o prêmio “língua-solta” seria Simão Pedro. A Bíblia registra muitas ocasiões em que Pedro disse coisas que certamente lamentou ter dito. Vemos, então, que isso pode facilmente acontecer.

A língua é um veneno mortal. É por isso que devemos dedicá-la a Deus.

Nenhum comentário:

Postar um comentário