terça-feira, 22 de maio de 2012

A Busca Incessante

"Todo o esforço do homem é feito para a sua boca, contudo, o seu apetite jamais se satisfaz." (Eclesiastes 6:7)

Anos atrás eu visitava a casa de Billy e Ruth Graham (grandes pregadores dos anos 1980/90) quando notei um cão estranho que perseguia seu rabo durante o dia inteiro. Em um dado momento, ele chegou até um pequeno barranco, ainda perseguindo seu rabo. Observei-o, querendo ver até onde este cão iria. Ele caiu no barranco, que era muito íngreme. Então ele correu de volta para cima e começou a perseguir seu rabo novamente. Então perguntei a Sra. Graham: "O que há de errado com o seu cão?"

"Ele sempre faz isso", ela me disse.

Voltei seis meses mais tarde e não vi mais o cão. Perguntei a Sra. Graham sobre o cão que perseguia o próprio rabo. Ela disse: "Ele conseguiu. Está morto". 

Um monte de pessoas hoje em dia são como esse cão: correm atrás de coisas que nunca satisfazem. Andam em círculos, sem nunca fazer qualquer progresso. 

Tiago 4:2 diz: "Vocês cobiçam coisas, e não as têm; matam e invejam, mas não conseguem obter o que desejam. Vocês vivem a lutar e a fazer guerras. Não têm, porque não pedem." Observe as palavras, "não conseguem obter o que desejam." Este versículo nos faz lembrar três vezes que o coração natural do ser humano nunca está contente. Esse desejo terrível pelos prazeres da vida nunca pára; segue adiante cada vez mais, tentando encontrar satisfação nas coisas desta vida. É como tentar correr atrás de uma miragem. Está sempre fora do seu alcance e irá iludi-lo. 

Tiago estava essencialmente dizendo: "Você cobiça, mata, luta e nada chega a receber. Você está sempre tateando no escuro deste mundo, e nunca irá verdadeiramente possuir algo." 

É uma busca sem fim, como o cachorro que corre atrás do próprio rabo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário