segunda-feira, 5 de março de 2012

O Efeito Duradouro do Pecado

"Amados, insisto em que, como estrangeiros e peregrinos no mundo, vocês se abstenham dos desejos carnais que guerreiam contra a alma." (1 Pedro 2:11)

Certa vez li uma estranha história no jornal sobre um encanador que foi chamado em virtude de uma pia entupida. Ele tinha um daqueles aparelhos que parecem uma cobra que desce no encanamento e fica funcionando até que o encanamento fique limpo. Mas desta vez a “cobra” fez uma coisa muito estranha. Ela saiu da casa por um respiradouro e entrou na casa ao lado. Então entrou por outro respiradouro, saiu e agarrou uma garotinha de dez anos que estava brincando no quintal. Felizmente, o irmão mais novo dela começou a gritar e eles pararam. Os bombeiros tiveram que usar cortadores de cabos para soltar a menininha.

Depois de ler essa história, pensei que o pecado pode ser assim. A gente nunca sabe aonde ele vai dar. Quando cometemos um pecado, não temos noção da repercussão que aquele ato pode ter, muito menos que outras vidas podem ser impactadas por ele.

Billy Graham certa vez disse: “Imoralidade é uma epidemia em nossas igrejas assim como é no mundo secular em geral... Não é a toa que o mundo está em crise.”

Deus tem muito a dizer sobre imoralidade, e especialmente adultério, nas escrituras. Ela entrou nos dez mandamentos. Era, em alguns casos, punida com morte. E a vemos abordada também no novo testamento.

Deus disse para não cometermos adultério por uma boa razão. Quando você cruza aquela barreira de proteção que Deus colocou ao redor da sua vida e do seu cônjuge, você está por conta própria. E a repercussão desse pecado pode durar meses, anos, e até uma vida inteira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário