quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Um Modelo para Orar

"Certo dia Jesus estava orando em determinado lugar. Tendo terminado, um dos seus discípulos lhe disse: 'Senhor, ensina-nos a orar, como João ensinou aos discípulos dele'" (Lucas 11:01).

Quando os discípulos foram ter com Jesus e lhe disseram: "Senhor, ensina-nos a orar", eles não disseram: "Senhor, ensina-nos uma oração." Então, Jesus deu-lhes (e a todos nós) um modelo que chamamos de Oração do Senhor. Mas, às vezes, achamos que a Oração do Senhor é uma espécie de “super oração” a ser usada quando estamos realmente em apuros.

Não há nada de errado em repetir a oração que Jesus ensinou a seus discípulos, mas é preciso lembrar que ela é mais do que apenas uma oração: ela é, na verdade, um modelo de oração. Jesus disse: "Vocês, orem assim: ‘Pai nosso, que estás nos céus! Santificado seja o teu nome.Venha o teu Reino; seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu" (Mateus 6:9-10).

Veja que ele não começa com: "Nosso Pai do céu, dai-nos hoje o nosso pão de cada dia." Mas é assim que muitas pessoas rezam. Elas dizem nas entrelinhas: "Senhor, o que é que estás fazendo? Eis aqui o que eu preciso." E, em seguida, elas desenrolam a sua lista de compras. Será que foi isso que Jesus ensinou?

Quando você tirar tempo para orar, lembre-se da sequência A–C–G-S. Cada letra corresponde a um aspecto específico da oração, disposta em uma ordem natural:

A - Adoração ou culto;
C - Confissão.
G - Gratidão;
S - Súplica.

Então, quando orarmos, devemos começar sempre com adoração. Devemos começar reconhecendo com quem estamos falando. Deus é o nosso Pai do céu e não o nosso empregado do céu. Ele não é o nosso servo no céu, tampouco a nossa máquina automática de vendas do céu. Estamos falando com o Deus Todo-Poderoso, o Criador do universo. E isso coloca as coisas na perspectiva correta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário