quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Dispostos a Perdoar

"Livrem-se de toda amargura, indignação e ira, gritaria e calúnia, bem como de toda maldade. Sejam bondosos e compassivos uns para com os outros, perdoando-se mutuamente, assim como Deus perdoou vocês em Cristo." (Efésios 4:31-32)

Você já ficou muito bravo com alguém sem nenhum motivo? Ou você alguma vez já dirigiu num trânsito engarrafado?

Muitas pessoas têm no fundo do coração uma raiva e um ódio tão fortes que chegam a desejar a morte daqueles que odeiam, mas isso é expressamente proibido nas Escrituras. 1 João 3:15 diz: "Quem odeia seu irmão é assassino e vocês sabem que nenhum assassino tem vida eterna em si mesmo." A palavra usada aqui para ódio significa: "desprezar continuamente." Não implica apenas numa emoção passageira, mas num ódio profundamente enraizado.

A Bíblia não está dizendo com isso que ter raiva é sempre um pecado. A ideia contida nessa passagem de 1 João é aquela da raiva profunda e do ressentimento continuados. É a ideia de desprezar constantemente alguém.

Algumas pessoas são de guardar rancor, embora digam com frequência: "Não fique bravo!" Talvez alguém tenha lhe ofendido ou se aproveitado de você, dando margem a pensamentos como: "Eu odeio aquela pessoa. Eu gostaria que ela simplesmente morresse." Mas não há lugar para esse tipo de pensamento na cabeça de um crente. Deus diz: "A mim pertence a vingança" (Hebreus 10:30). Você tem que perdoar essa pessoa e deixá-la ir, mesmo que não mereça.

Você foi perdoado de uma dívida enorme e, como filho de Deus, deve perdoar igualmente os outros. Se realmente tivermos ciência daquilo que Deus fez por nós, então devemos estender esse perdão recebido também aos outros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário