sexta-feira, 29 de julho de 2011

Inspiração x Transpiração

"O lavrador que trabalha arduamente deve ser o primeiro a participar dos frutos da colheita." (2 Timóteo 2:6)

Muitas vezes quando as pessoas ficam estressadas ou oprimidas não é porque Deus lhes deu muito o que fazer. É porque elas não passaram um tempo com Ele. No Salmo 91:1 diz: "Aquele que habita no esconderijo do Altíssimo, à sombra do Onipotente descansará." Da mesma forma, Paulo diz: "O lavrador que trabalha arduamente deve ser o primeiro a participar dos frutos da colheita." (2 Timóteo 2:6). Isso significa que você não pode dar o que você não possui. Então, primeiro habite no esconderijo do Altíssimo.

E o que significa habitar no esconderijo do Altíssimo? A palavra hebraica para habitar fala de tranquilidade e descanso, permanecer com coerência. É um paralelo à palavra permanecer que Jesus usou em João 15:4 no Novo Testamento: "Permaneçam em mim, e eu permanecerei em vocês. Nenhum ramo pode dar fruto por si mesmo, se não permanecer na videira. Vocês também não podem dar fruto, se não permanecerem em mim." Isso significa ficar num determinado lugar. Essencialmente, Deus está dizendo: "Eu não quero apenas um relacionamento com você. Quero companheirismo. Quero que você se aproxime e mantenha-se em Minha presença de modo coerente."

Cristãos, por vezes, substituem a transpiração pela inspiração. Vamos substituir o trabalho pela adoração. Estamos tão ocupados fazendo coisas cristãs, com o povo cristão, na igreja cristã, que nos esquecemos de Cristo. Você sabia que isso é possível?

Eu lhe pergunto hoje: você está habitando no esconderijo do Altíssimo? Há um tempo para o trabalho. Mas, ao mesmo tempo, o melhor trabalho sempre transbordará de uma vida de adoração. Não podemos nunca excluir a adoração de nossas vidas. Temos que ter nossas prioridades em ordem.

quinta-feira, 28 de julho de 2011

A Pessoa de Deus

"Aquele que habita no abrigo do Altíssimo e descansa à sombra do Todo-poderoso pode dizer ao Senhor: Tu és o meu refúgio e a minha fortaleza, o meu Deus, em quem confio." (Salmos 91:1-2)

Nos dois primeiros versículos do Salmo 91, Davi fornece ótimas pistas sobre a pessoa de Deus, usando quatro diferentes títulos.

No versículo 1, Davi diz: "Aquele que habita no abrigo do Altíssimo." Em hebraico, Altíssimo é “El Elyon”. Esta palavra descreve Deus como Aquele que é dono e possui tudo. Davi depois chama Deus de o “Todo-Poderoso" (descansa à sombra do Todo-Poderoso). Em hebraico, a palavra usada é “Shaddai”, que transmite a idéia de disposição. Ele não só é o Deus vivo, como também é o Deus que dá.

No versículo 2, Davi chama Deus de “Senhor” (dizer ao Senhor). Essa é a palavra hebraica “Yahweh”. Este é o nome pessoal que Deus deu a Moisés no episódio da sarça ardente (Êxodo 3:14). Yahweh significa "ser" ou "Eu sou." Javé (ou Jeová) é o testemunho pessoal de Deus de que ninguém ou nada define quem Ele é. Somente Deus pode definir a si mesmo. Como se vê, ao ler as escrituras podemos saber o que Deus diz sobre si mesmo. Por último, Davi se refere a Deus como “meu Deus" (o meu Deus, em quem confio). Meu Deus em hebraico é “Elohim”, que significa essencialmente "mais do que um." Isso não quer dizer que existem três deuses, mas sim que existem três pessoas da Trindade: o Pai, o Filho e o Espírito Santo.

Em apenas dois versículos, Davi nos diz que o Deus onisciente, todo-poderoso, possuidor dos céus e da terra, tem uma aliança especial conosco e quer nos proteger e prover todas as nossas necessidades. Isso nos dá uma grande confiança no Deus que adoramos e servimos.

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Ele é Fiel e Justo

“Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para perdoar os nossos pecados e nos purificar de toda injustiça. Se afirmarmos que não temos cometido pecado, fazemos de Deus um mentiroso, e a sua palavra não está em nós.” (1 João 1:9-10)

Um aspecto importante da vida cristã é saber o que significa confessar nossos pecados. Isto é importante porque o nosso perdão depende muito da nossa compreensão deste termo. A palavra hebraica para confessar significa reconhecer. No Novo Testamento, confessar poderia ser traduzido como "concordar com alguém ou dizer a mesma coisa que o outro." O apóstolo João usou esta palavra quando disse: "Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para perdoar os nossos pecados e nos purificar de toda injustiça". A palavra confessar está essencialmente dizendo que, se você concordar com Deus sobre o seu pecado, reconhecer o pecado pelo que ele é, não dar desculpas e se desviar dele, Deus vai lhe perdoar.

O problema é que existem pessoas nos dias de hoje que pensam ter confessado seus pecados, quando na verdade não confessaram. Muitos pensam que confessar o pecado é simplesmente reconhecê-lo. Portanto,  vão pecar, serão pegos e dirão: "Eu reconheço o que fiz. Confesso este pecado. Isso foi uma coisa ruim." Então saem, fazem novamente e dizem: "Eu o fiz de novo. Confesso." Isso não é uma verdadeira confissão. Tais pessoas estão simplesmente reconhecendo o que obviamente é pecado.

A confissão significa ver o pecado pelo que ele é, arrepender-se por isso, e desviar-se dele. Você tem que levar o seu pecado até a cruz e reconhecer que ele é ofensivo para o único e verdadeiro Deus. Você está disposto a fazer isso? Se sim, então Deus vai lhe perdoar e lhe purificar de toda a sua injustiça.

terça-feira, 26 de julho de 2011

O Jogo da Culpa

"Se afirmarmos que estamos sem pecado, enganamo-nos a nós mesmos, e a verdade não está em nós." (1 João 1:8)

Confessar seus pecados é algo que as pessoas não querem mais fazer. Hoje as pessoas geralmente culpam os outros pelos seus pecados e dizem: "A culpa não é minha!"

A história contada é de Frederico, o Grande - o rei da Prússia. Ele estava visitando uma prisão e conversando com cada um dos detentos. Enquanto falava com eles, ouvia intermináveis relatos ​​de inocência, exploração e motivos incompreendidos. É claro, ninguém naquela prisão era culpado. Todos eles foram inocentemente aprisionados. Finalmente, o rei parou na cela de um condenado que permaneceu em silêncio. Frederico disse: "Bem, suponho que você seja uma vítima inocente também."

"Não senhor", disse o prisioneiro, "eu não sou. Sou culpado e mereço minha punição."

Virando-se para o diretor, Frederico disse: "Rápido, tire esse homem daqui antes que ele corrompa essas outras pessoas inocentes". Frederico, o Grande, não podia acreditar que tinha encontrado um homem honesto, alguém que assumia o que havia feito de errado.

Você assume o que fez? Ou joga o jogo da culpa? Ouvi um ditado sobre culpa que dizia: "A culpa nunca confirma; sempre ataca. A culpa nunca resolve; sempre complica. A culpa nunca une; sempre separa. A culpa nunca sorri; sempre franze a testa. A culpa nunca perdoa; sempre rejeita. A culpa nunca esquece; sempre se lembra. A culpa nunca constrói; sempre destrói."

Que grande verdade! Nós tendemos a dizer: "A culpa é de todos, mas não minha." Mas terá de haver um momento em sua vida onde você dirá: "Eu pequei. Cometi esta iniquidade. O problema sou eu." O dia em que você confessar seus pecados e se voltar para Deus será o dia em que Deus vai mudar a sua vida.

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Escolha a Vida!

"Hoje invoco os céus e a terra como testemunhas contra vocês, de que coloquei diante de vocês a vida e a morte, a bênção e a maldição. Agora escolham a vida, para que vocês e os seus filhos vivam, e para que vocês amem o Senhor, o seu Deus, ouçam a sua voz e se apeguem firmemente a ele. Pois o Senhor é a sua vida, e ele lhes dará muitos anos na terra..." (Deuteronômio 30:19-20)

Uma das grandes bênçãos de sermos cristãos é que Deus nos dá uma segunda chance. Ele sabe que nós não somos impecáveis. Ele sabe que não somos perfeitos. Ele conhece a nossa verdadeira natureza e nos dá a oportunidade de colocar nossos pecados atrás de nós, mesmo quando falhamos feio. Deus possui o poder de mudar as coisas de forma drástica.

E quando se trata de uma segunda chance, nós temos em mãos uma escolha. Quando nos aproximamos do pecado, temos duas maneiras de enfrentá-lo. Podemos confessá-lo e, a partir disso, experimentar a alegria do perdão, ou podemos escondê-lo e conhecer a angústia de colhermos suas repercussões.

No livro de Deuteronômio, Deus colocou um desafio para o Seu povo. Ele disse: "Hoje invoco os céus e a terra como testemunhas contra vocês, de que coloquei diante de vocês a vida e a morte, a bênção e a maldição. Agora escolham a vida, para que vocês e os seus filhos vivam" (30:19). É surpreendente que algumas daquelas pessoas, conscientemente, tenham escolhido a morte. E é mais surpreendente que as pessoas ainda hoje escolhem a morte. Veja você mesmo:  escolher a morte é essencialmente o que fazemos quando optamos ir contra Deus e a Sua Palavra.

A Bíblia nos diz em Provérbios 28:13: "Quem esconde os seus pecados não prospera, mas quem os confessa e os abandona encontra misericórdia." Você não pode encobrir o seu pecado. Você não pode fugir dele. Há apenas um modo de se livrar do seu pecado e obter a verdadeira vida: é na cruz de Jesus Cristo. A escolha é sua. Escolha a vida!

sexta-feira, 22 de julho de 2011

Como se eu Nuca Tivesse Pecado

"Tendo sido, pois, justificados pela fé, temos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo, por meio de quem obtivemos acesso pela fé a esta graça na qual agora estamos firmes; e nos gloriamos na esperança da glória de Deus." (Romanos 5:1-2)

Quando chegamos a Cristo, Ele não só nos perdoa de nossos pecados, mas também nos justifica. O apóstolo Paulo explica isso em sua carta aos Romanos: "Tendo sido, pois, justificados pela fé, temos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo..." (Romanos 5:1)

A salvação tem a ver com o que ocorre no coração dos crentes, mas a justificação tem a ver com nossa posição diante de Deus. Na salvação, Deus nos dá nova vida, mas a justificação vai além disso. Quando Deus nos justifica, Ele nos declara justos aos Seus olhos. "É como se eu nunca tivesse pecado" é uma forma de se explicar a justificação. Deus não só nos perdoa, mas Ele nos vê como se nunca tivéssemos pecado. Ele remove o nosso pecado e, no local, coloca a perfeita justiça de Cristo.

É como se a sua conta corrente estivesse negativa e você devesse ao banco milhares de reais. Um dia você vai até a máquina de auto-atendimento e, após digitar seu código de acesso, de repente percebe que tem um saldo positivo de cinco milhões de reais!

Deus tem feito algo muito maior que isso para aqueles que nEle crêem: Ele tem nos justificado.

quinta-feira, 21 de julho de 2011

Uma Coisa

"Uma coisa pedi ao Senhor, é o que procuro: que eu possa viver na casa do Senhor todos os dias da minha vida, para contemplar a bondade do Senhor e buscar sua orientação no seu templo." (Salmo 27:4)

Costuma-se dizer por aí que o maior perigo na vida é permitir que as coisas urgentes tomem o lugar das coisas importantes. Os atrativos do mundo podem nos desviar da única coisa que realmente importa na vida: Jesus Cristo.

É interessante acompanhar a expressão "uma coisa" usada ao longo das Escrituras. Cada vez que um autor bíblico usa esse termo, usa-o para alertar sobre a importância de tirar-se tempo para o Senhor. Por exemplo: quando Marta ficou agitada por sua irmã Maria sentar-se aos pés de Jesus enquanto ela fazia todo o trabalho, como Jesus lhe respondeu? Ele disse: "- Marta! Marta! Você está preocupada e inquieta com muitas coisas; todavia apenas uma é necessária. Maria escolheu a boa parte e esta não lhe será tirada". (Lucas 10:41-42, ênfase minha). Jesus estava essencialmente dizendo: "- Escute, Marta, eu aprecio sua vontade de trabalhar, mas há um tempo para trabalhar e há um tempo para sentar-se aos meus pés. Maria descobriu que apenas uma coisa era necessária."

São ações como as de Marta que melhor descrevem a sua vida agora? Você está tão ocupado com o seu trabalho e com outras coisas não essenciais que se esqueceu de que apenas “uma coisa” importa na vida? Veja, a menos que tenhamos um forte senso de prioridade, podemos fácil e rapidamente distrair-nos e esquecer-nos de nosso maior objetivo na vida: habitarmos para sempre com o Senhor.

Separe tempo para se sentar aos pés do Senhor. Se não tirarmos tempo para a Palavra de Deus, para a oração e para a igreja de Jesus Cristo em nossa vida diária, vamos desmoronar espiritualmente. Uma coisa é necessária: orar para que tenhamos força e diligência para podermos sempre sentar aos pés de Jesus.

quarta-feira, 20 de julho de 2011

O Pastor e Suas Ovelhas

A escrituras nos dão muitos retratos de Deus. Deus não é apenas nosso Rei e nosso Pai, mas é também o nosso Pastor - e nós somos Suas ovelhas. Como ovelhas, nos desviamos e ficamos vulneráveis a nós mesmos. Mas Deus está lá para salvar o Seu rebanho.

O Rei Davi escreveu o seguinte sobre Deus: "Sabes quando me sento e quando me levanto; de longe percebes os meus pensamentos." (Salmo 139:2). Assim, quando Deus olha para nós, Ele conhece as necessidades mais profundas de nossas vidas. E Ele não apenas conhece as nossas necessidades. Ele também se preocupa com elas.

Jesus, o Bom Pastor, disse certa vez: "O ladrão [falando do diabo] vem apenas para furtar, matar e destruir; eu vim para que tenham vida, e a tenham plenamente." (João 10:10). Veja: o desejo do Bom Pastor é cuidar de nós. Ele deseja que prosperemos e sejamos bem alimentados. Ele quer que estejamos contentes e satisfeitos. É Sua alegria nos conduzir para pastos verdes e para junto das águas.

Como ovelhas do Bom Pastor, lembremo-nos que o nosso contentamento e a nossa satisfação com a vida não vêm de nossas posses ou sucesso. Vêm de quem conhecemos. Vamos, como ovelhas de Deus, segui-Lo. Só então descobriremos pastos verdejantes e águas tranquilas.

terça-feira, 19 de julho de 2011

Quando Sua Fé Vacila

Não muito tempo depois de Herodes capturar e prender João Batista, João começou a duvidar sobre quem era Jesus. Veja bem, João provavelmente pensava que Jesus iria derrubar o governo romano e então estabelecer ali o Seu reino. Mas tal coisa não aconteceu. E assim surgiu a dúvida de João. Então ele enviou uma mensagem a Jesus, perguntando: "És tu aquele que haveria de vir ou devemos esperar algum outro?" (Lucas 7:20). A fé de João não vacilou porque Deus falhou com ele. Ele duvidou porque não conseguiu entender o propósito e o plano de Deus.

Falhar na compreensão do propósito e do plano de Deus é muitas vezes o motivo pelo qual os crentes experimentam deslizes na fé. Nossa fé não vacila porque Deus tem sido inconsistente, ou infiel, ou porque Deus quebrou suas promessas. Nós deslizamos na fé porque temos uma falsa percepção do que Deus supostamente deveria realizar. Nossas expectativas a respeito de Deus não são puras. Nós oramos a Ele e esperamos que Ele responda com precisão exata. E quando Deus não se mostra como pedimos que fizesse, como João Batista nós temos dúvidas de quem é Deus.

O problema de João Batista foi não entender a vontade de Deus. Todavia, ele fez a coisa certa: olhou para as respostas de Jesus e recebeu a esperança que precisava (ver Lucas 7:20-23). Talvez você esteja deslizando em sua fé, como João Batista. Se assim for, não se desespere. Olhe para suas expectativas e decepções passadas, e olhe para Jesus. Busque o propósito e o plano dEle, reconhecendo que eles excedem as suas maiores esperanças e sonhos.

segunda-feira, 18 de julho de 2011

A Mesa do Senhor

No dia em que entregamos nossas vidas a Jesus Cristo, tudo muda para nós. Foi-se embora aquela culpa sempre presente, que costumava nos acusar dia e noite. Não há mais um buraco vazio e profundo em nossa alma. No lugar dessas coisas, Deus nos deu o que é descrito como a paz que excede todo o entendimento humano. Deus colocou uma nova alegria em nossos corações e nos deu a esperança do paraíso quando morrermos.

Mas em nossa relação com Cristo, nós também ganhamos inimigos. Isso é o que Davi diz no Salmo 23:5, "Preparas um banquete para mim à vista dos meus inimigos..." Note que nós, como cristãos, enfrentamos três inimigos principais: o mundo, a carne e o diabo. O mundo, com suas seduções, é o inimigo externo. A carne, com suas vulnerabilidades e apetite, é o inimigo interno. E o diabo, ao trabalhar com estas duas forças, é o inimigo infernal. Combinados, eles são poderosos adversários.

O melhor antídoto contra esse poderoso e profano trio - mundo, carne e diabo - é um relacionamento íntimo com o Pastor, à medida que nos alimentamos à Sua mesa. Quando nos sentamos à mesa do Senhor estamos satisfeitos, porque sabemos que tudo o que precisamos está lá. E não temos fome para nada mais. Não estou dizendo que os cristãos estão livres de tentações. O que estou dizendo é que não nos sentimos mais tão atraídos para a tentação como costumávamos ser. Vemos o mundo como ele é: uma imitação barata da verdade.

Como cristãos, podemos nos alimentar na mesa do Senhor e não mais desejar as tentações do mundo, da carne e do diabo. Deus preparou uma mesa diante de nós.

sexta-feira, 15 de julho de 2011

Entregue Suas Preocupações

“Entregue suas preocupações ao Senhor, e ele o susterá; jamais permitirá que o justo venha a cair.” (Salmos 55:22)

Você alguma vez já enfrentou desânimo na vida? Se sim, entenda que você está em boa companhia. A Bíblia está repleta de pessoas de Deus que lutaram contra períodos de desânimo.

Veja o exemplo de Moisés. Ele era um grande homem de fé, escolhido por Deus para entregar os 10 Mandamentos para Israel, mas mesmo ele encontrou períodos de desânimo. Numa ocasião ele ficou tão arrasado com as constantes reclamações dos israelitas que disse ao Senhor: "Não posso levar todo esse povo sozinho; essa responsabilidade é grande demais para mim. Se é assim que vais me tratar, mata-me agora mesmo..." (Números 11:14-15).

Depois teve o profeta Elias. Pouco depois de Deus o usar para fazer descer fogo dos céus no Monte Carmelo, ele descobriu que a perversa rainha Jezabel o queria morto. Desesperado e desanimado, Elias disse: "Tira a minha vida Senhor." Houve também o apóstolo Paulo, que nos fala de tempos semelhantes de desânimo quando escreveu aos Coríntios: "Irmãos, não queremos que vocês desconheçam as tribulações que sofremos na província da Ásia, as quais foram muito além da nossa capacidade de suportar, a ponto de perdermos a esperança da própria vida." (2 Coríntios 1:8).

Se você, como Moisés, Elias e Paulo, já experimentou momentos em que esteve sobrecarregado, não se sinta sozinho. Lembre-se que o medo mora ao lado da fé. Numa montanha russa podemos ir do medo à fé sucessivas vezes. Num momento dizemos: "Está tudo bem. Não há problema." Então, no momento seguinte, podemos olhar para as mesmas circunstâncias e nos encontramos em desespero absoluto. Então o que fazer? Devemos reconhecer que somos humanos, assim como o grande povo das Escrituras. A solução é colocar nossos fardos diante de Deus e orar por força para colocar nossos problemas em sua devida perspectiva.

quinta-feira, 14 de julho de 2011

Céu Azul e Vales Tenebrosos

"Nisso vocês exultam, ainda que agora, por um pouco de tempo, devam ser entristecidos por todo tipo de provação. Assim acontece para que fique comprovado que a fé que vocês têm, muito mais valiosa do que o ouro que perece..." (1 Pedro 1:6-7)

As pessoas tendem a amar pastos verdejantes, mas todas reclamam quando se aproximam de algum longo vale. Nós gostamos de sol e céu azul, não de nuvens e escuridão.

Como cristãos, quando nos deparamos com momentos difíceis, quando passamos por provações ou quando sofremos dificuldades, poderíamos dizer, "agora espere, não quero isso. Não desejo dificuldades. Quero viver num caminho mais fácil". Infelizmente, quando esses tempos vêm, alguns cristãos jogam a toalha e novamente retornam à sua antiga vida.

Mas os cristãos devem aprender a respeitar os vales tenebrosos da vida. É nestes vales que Deus se revela de uma maneira especial. E é nos vales que aprendemos lições de compaixão, as quais não podemos aprender em nenhum outro lugar.

Como você tem caminhado através dos seus vales? Você pode não entender porque Deus permite tais experiências em sua vida, mas com certeza você será capaz de usar isso como ferramenta para depois auxiliar pessoas que atravessam vales semelhantes.

quarta-feira, 13 de julho de 2011

Refrigera a Minha Alma

"Se alguém possui cem ovelhas, e uma delas se perde, não deixará as noventa e nove nos montes, indo procurar a que se perdeu? E se conseguir encontrá-la, garanto-lhes que ele ficará mais contente com aquela ovelha do que com as noventa e nove que não se perderam." (Mateus 18:12-13)

Um pastor cuida do bem-estar de suas ovelhas. Ele as leva a pastos verdejantes e a águas refrescantes. Mas, apesar de todo o seu cuidado e de suas boas intenções, as ovelhas ainda se parecem muito com as pessoas: elas tendem a se desviar. Como diz a Escritura: "Todos nós, tal qual ovelhas, nos desviamos, cada um de nós se voltou para o seu próprio caminho..." (Isaías 53:6).

Podemos então pensar que alguém, sob os cuidados do Bom Pastor, jamais se desviará ou necessitará de restauração. Infelizmente, este não é o caso. Como as ovelhas, nós também somos incrivelmente estúpidos. Vejamos: Por que fugimos frequentemente de Deus? Por que desrespeitamos Seu plano para as nossas vidas? Sabemos que andar com Deus é incrivelmente melhor, mas, mesmo assim, desobedecemos frequentemente os Seus mandamentos e ignoramos a Sua Palavra. E o que é pior: quando começamos a colher aquilo que nós mesmos semeamos, ainda ficamos com raiva de Deus. Ficamos revoltados pelo vale espiritual sombrio que nós mesmos criamos.

A boa notícia, no entanto, é que na Bíblia há a promessa de que Deus nos restaura. O Salmo 23:3 nos diz: "[o Senhor] restaura-me o vigor." Você precisa de restauração? Talvez você tenha se perdido no pecado ou se metido em problemas. Talvez você tenha a imagem de que Deus vai lhe caçar e punir por algo que você tenha feito. Mas Deus lhe ama e sente falta de você. Da mesma forma como na parábola contata por Jesus, quando o pastor deixou suas 99 ovelhas para ir atrás daquela que se perdera, assim também Deus lhe procura para lhe trazer de volta ao Seu rebanho e cuidar de você. Caso você esteja necessitando de restauração, não tenha medo de voltar ainda hoje para o Bom Pastor.

terça-feira, 12 de julho de 2011

Contentamento Verdadeiro

"Conservem-se livres do amor ao dinheiro e contentem-se com o que vocês têm, porque Deus mesmo disse: 'Nunca o deixarei, nunca o abandonarei'". (Hebreus 13:5)

O contentamento é uma coisa boa para se ter na vida. Foi o apóstolo Paulo quem disse: "Não estou dizendo isso porque esteja necessitado, pois aprendi a adaptar-me a toda e qualquer circunstância. Sei o que é passar necessidade e sei o que é ter fartura. Aprendi o segredo de viver contente em toda e qualquer situação, seja bem alimentado, seja com fome, tendo muito, ou passando necessidade." (Filipenses 4:11-12)

Em Filipenses, Paulo deixa claro que o contentamento não é a idéia de ter muitos bens. De acordo com Paulo, devemos nos contentar independentemente do que temos. Nosso contentamento vem daquele que conhecemos. A experiência nos diz que este princípio é verdadeiro, porque no mundo de hoje há muitos ​​ricos miseráveis. Lemos sobre eles o tempo todo. Celebridades e esportistas que têm poder, fama e dinheiro, mas suas vidas estão, muitas vezes, caindo aos pedaços. Eles não estão satisfeitos com o que tem.

O único lugar onde podemos achar contentamento verdadeiro é num relacionamento com o Bom Pastor. Vamos ilustrar este conceito pensando em Salmos 23:1: "O Senhor é meu pastor, nada me faltará." Aqui está tudo o que precisamos na nossa relação com Deus. Não precisamos querer, porque Ele é a fonte de tudo o que queremos. Ele satisfaz nossa sede espiritual, preserva-nos, e promete orientação e paz. Nele é onde encontramos o verdadeiro contentamento. Portanto, vamos todos proclamar: "O Senhor é meu pastor, nada me faltará."

segunda-feira, 11 de julho de 2011

Abandonado por Deus

"Por volta das três horas da tarde, Jesus bradou em alta voz: 'Eloí, Eloí, lamá sabactâni?' que significa: 'Meu Deus! Meu Deus! Por que me abandonaste?'" (Mateus 27:46)

Você já se sentiu sozinho ou abandonado por amigos ou familiares? Talvez você já tenha experimentado um momento em que pareceu que Deus o havia abandonado. Talvez você já até tenha sentido que suas orações não foram ouvidas e que Deus desistiu de você.

Se assim for, então você tem uma vaga idéia do que Jesus sentiu no dia mais difícil de sua vida na terra: o dia em que Ele foi pendurado na cruz romana, há cerca de 2.000 anos atrás, e gritou as palavras: "Meu Deus! Meu Deus! Por que me abandonaste?" (Mateus 27:46).

É importante notar, no entanto, que se você é um filho de Deus você nunca foi nem será abandonado por Ele. Jesus garantiu isso na cruz. Ele não fora ouvido para que nós pudéssemos ser ouvidos. O ouvido de Deus estava temporariamente fechado para Cristo de modo que pudesse estar aberto para sempre para nós. Então você não foi abandonado por Deus, nem nunca será, pois Deus mesmo disse: "Nunca o deixarei, nunca o abandonarei" (Hebreus 13:5).

sexta-feira, 8 de julho de 2011

O que o Diabo não Quer que Você Saiba

"Pois não temos um sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas, mas sim alguém que, como nós, passou por todo tipo de tentação, porém, sem pecado. Assim sendo, aproximemo-nos do trono da graça com toda a confiança, a fim de recebermos misericórdia e encontrarmos graça que nos ajude no momento da necessidade." (Hebreus 4: 15-16)

O diabo não quer que você saiba disso, mas a verdade é que você pode se aproximar do trono de Deus a qualquer hora, 24 horas por dia. O diabo quer que acreditemos que chegar a Deus em oração deve se basear em um sistema de apontamentos. Ele quer que pensemos: "se tenho sido um bom cristão, posso me aproximar de Deus, mas se pequei Deus nunca vai ouvir a minha voz".

Os cristãos podem se aproximar de Deus a qualquer momento, porque nossa relação com o Todo-Poderoso não está baseada no que fizemos por ele, mas sim naquilo que Jesus fez por nós. O sacrifício de Jesus na cruz se aplica a nós quando estamos tristes, decepcionados, e também quando estamos bem e felizes. Durante a nossa vida, vamos confessar nossos pecados e pedir a Deus que nos perdoe, porque o tempo todo possuímos acesso para ir confiantes ao trono de Deus.

No entanto, o diabo está nos dizendo que não somos bons o suficiente para orar a Deus. Sem dúvida, isso é o que ele sussurrou no ouvido de Adão depois que ele pecou contra o Senhor. "Esconda-se quando o Senhor vier", ele provavelmente disse. E quando o Senhor veio para o jardim, Adão se escondeu de Deus, quando ele o deveria ter buscado para o perdão.

A próxima vez que você cair em pecado, volte-se para Deus e procure a igreja para obter ajuda. Muitas vezes pensamos, não posso ir à igreja agora. Igreja é para pessoas piedosas. Precisamos lembrar que a igreja é um hospital de santos e pecadores. Assim, quando o diabo disser que você não é digno, não se esconda de Deus. Corra para Deus e receba ajuda dele e do seu povo.

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Esculpir o Nome sobre a Rocha

"Portanto, quem ouve estas minhas palavras e as pratica é como um homem prudente que construiu a sua casa sobre a rocha. Caiu a chuva, transbordaram os rios, sopraram os ventos e deram contra aquela casa e ela não caiu, porque tinha seus alicerces na rocha." (Mateus 7:24-25)

O livro de Salmos em seu capítulo 1 fornece um esboço interessante para ilustrar a bem-aventurança de uma pessoa que medita noite e dia sobre a Palavra de Deus. Nesses versos encontramos uma pessoa com permanência, posição, produtividade e prosperidade em Deus.

Primeiro encontramos a permanência: "Ele será como a árvore plantada junto a ribeiros de águas" (v. 3). Esse homem não é como uma árvore selvagem que cresce em qualquer lugar e por conta própria. Ele foi plantado. E quem o plantou lá? Deus. O homem que medita sobre a Palavra de Deus aprofunda cada vez mais as suas raízes n'Ele.

Em segundo lugar, há a produtividade. Salmos 1:3 nos diz que ele "dá fruto no tempo certo". Se você é um crente que medita na Palavra de Deus dia e noite, sua vida dará frutos espirituais. Gálatas 5:22-23 nos diz que este fruto é "amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio.” Quando frutificamos, a nossa vida produz resultados semelhantes a Cristo.

E então há propriedade nessa pessoa. Mas, esse não é um processo que ocorre do dia para a noite. Leva tempo. Só com o tempo é que o crescimento vem.

Finalmente, há a prosperidade: "Tudo o que ele faz prosperá! " (Sl. 1:3). Uma pessoa que medita sobre a Palavra de Deus possui uma vida inteira em equilíbrio, porque está alinhada com Deus.

O grande pregador britânico C. H. Spurgeon, disse uma vez: "O justo esculpe seu nome sobre a rocha, enquanto o ímpio escreve suas lembranças na areia." Medite noite e dia na Palavra de Deus para que você também possa esculpir seu nome sobre a rocha.

quarta-feira, 6 de julho de 2011

Estudar a Bíblia: Prazer ou Sacrifício?

"Ao contrário, sua satisfação está na lei do Senhor, e nessa lei medita dia e noite." (Salmos 1:2)

Como você se sente sobre o estudo bíblico? Seja honesto. É um prazer? Ou é um sacrifício? Infelizmente, muitos de nós olhamos para o tempo investido na Palavra de Deus como um mero sacrifício, como algo penoso. Talvez seja a maneira como lemos a Bíblia, Muitas vezes lemos a Palavra de Deus usando o método de “catar milho”. Lemos um pouco aqui e um pouco ali, sem a preocupação genuína com o contexto ou com o que um livro da Bíblia está nos ensinando. Lemos a Bíblia de forma esporádica e não compreendemos por que não somos capazes de tirar proveito do que ela ensina.

O Salmo 1 nos diz que a pessoa sábia medita dia e noite nas Escrituras. O que significa meditar? Por meditação a Bíblia não está falando de uma meditação transcendental, onde uma pessoa desliga sua mente a ponto de receber impressões de outros lugares. A meditação que a Bíblia defende deliberadamente envolve uma mente consciente com as verdades da Palavra de Deus. A meditação envolve estudar a Bíblia e realmente pensar sobre o que lemos.

Você deve fazer a si mesmo uma série de perguntas quando estudar a Bíblia. Na próxima vez que você tentar meditar sobre a Palavra de Deus, faça a si mesmo estas quatro perguntas:
1. Existe aqui algum pecado para eu evitar?
2. Existe alguma promessa para eu reivindicar?
3. Existe alguma vitória para ganhar?
4. Existe uma bênção para apreciar?

Quando lemos com essas questões em mente, exigimos uma verdadeira sensação de antecipação. Nós já não estamos apenas lendo a Bíblia como se fosse um dever de sala de aula. Em vez disso, nós reconhecemos que esta é a Palavra de Deus e a valorizamos mais do que ouro. Há grandes recompensas para a pessoa que medita dia e noite sobre as Escrituras.

terça-feira, 5 de julho de 2011

Ir Adiante

"Ao contrário, sua satisfação está na lei do Senhor, e nessa lei medita dia e noite." (Salmos 1:2)

 Há muitos anos um jovem chamado Billy Sunday acreditou em Jesus Cristo. Um velho crente, então, deu-lhe alguns conselhos que ele nunca esqueceu. O homem disse: "Billy, há três regras simples que eu gostaria que você praticasse em sua vida cristã. Se fizer isso, ninguém jamais irá escrever a palavra infiel após o seu nome.
1) Disponha 15 minutos do seu dia para que Deus fale com você;
2) Separe 15 minutos do seu dia para conversar com Ele.
3) Por fim, gaste 15 minutos do seu dia para falar com outras pessoas sobre o salvador.
"Um ótimo conselho: 15 minutos falando com Deus, 15 minutos ouvindo Deus, e 15 minutos conversando com os outros sobre Deus". Billy Sunday seguiu esse conselho e se tornou um dos mais poderosos evangelistas na história da igreja. Ele reconheceu o valor de ir adiante.

Essa é a mensagem central do Salmo 1. Não é apenas que o homem do Salmo 1 não faz coisas ruins, mas ele avança nas coisas certas. E o que é a coisa certa? Salmos 1:2 nos diz que "...sua satisfação está na lei do Senhor, e nessa lei medita dia e noite."

Note que este versículo não diz que a labuta do homem está na lei do Senhor, nem diz que o seu dever está na lei do Senhor. Não! O Salmo 1:2 nos diz que o homem tem a sua satisfação na lei do Senhor. Ele tem prazer em fazer a vontade de Deus.

Vamos orar para que, como cristãos, estejamos constantemente avançando em nosso relacionamento com Deus, e que tenhamos o nosso prazer em Sua lei.

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Fazendo um Inventário Espiritual

"Livremo-nos de tudo o que nos atrapalha e do pecado que nos envolve, e corramos com perseverança a corrida que nos é proposta..." (Hebreus 12:1)

Como cristãos, precisamos evitar qualquer coisa que possa impedir nosso crescimento espiritual. Para ajudá-lo a amadurecer espiritualmente, veja este pequeno teste que ajuda a identificar o que pode prejudicar sua caminhada espiritual.

A primeira pergunta a se fazer é: "O que estou fazendo me beneficia espiritualmente?" O apóstolo Paulo disse uma vez: "'Tudo é permitido', mas nem tudo edifica." (1 Coríntios 10:23). Ainda que algumas coisas sejam permitidas, elas podem nos atrapalhar, mantendo-nos longe de Deus e do Seu povo ou diminuindo a nossa fome pela Palavra de Deus.

A segunda pergunta é: "Será que alguma coisa tem poder sobre mim?" Paulo nos trouxe este princípio quando disse: "'Tudo me é permitido', mas eu não deixarei que nada domine" (1 Coríntios 6:12). Talvez você esteja sob o poder de alguma coisa. Não que isso seja ruim por si só, mas talvez você esteja tão envolvido com tal coisa que isso comesse a controlar a sua vida. Queremos evitar essas coisas. Queremos estar sob o poder de Cristo, e nada mais.

A pergunta final do nosso teste tem relação com as "áreas cinzentas" da vida. Quando elas surgem em nosso caminho, devemos perguntar: "Fico com a consciência pesada quando faço essas coisas?" Biblicamente, quando tais situações surgirem, lembre-se das palavras de Paulo: "Tudo o que não provém da fé é pecado" (Romanos 14:23).

Cristãos sábios constantemente fazem um inventário de suas vidas e evitam os aspectos que podem ferir sua caminhada espiritual. Seja sábio e faça um inventário de sua caminhada com Deus.

sexta-feira, 1 de julho de 2011

Como Ser feliz

"Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, pois serão satisfeitos." (Mateus 5:6)

A Felicidade é algo que a maioria das pessoas hoje busca. A felicidade é algo tão forte na mentalidade estadunidense que está incluída na sua Declaração de Independência, que diz: "Consideramos [...] que todos os homens são criados iguais, que são dotados de Criador e de certos direitos inalienáveis, e entre estes estão a vida, a liberdade e a busca da felicidade."

Mas o que é essa felicidade que tantos norte-americanos buscam? O filósofo Eric Hoffer escreveu: "A busca da felicidade é uma das principais fontes de infelicidade." Eu acredito que haja verdade nisso. Você pode se tornar uma pessoa muito infeliz tentando ser feliz. Alguém escreveu certa vez: "Há duas fontes de infelicidade na vida: uma é não conseguir o que se deseja. A outra é conseguir."

Mas a Bíblia dá uma visão completamente diferente da felicidade que este mundo oferece. Segundo as Escrituras, a felicidade é algo que nunca deve ser procurado diretamente, mas sim resultante de outra busca. Se buscarmos a santidade, encontraremos a felicidade. Ser feliz ou ser abençoado não tem como base as circunstâncias. É uma experiência profunda e sobrenatural de contentamento baseada no fato de que a vida de alguém está alinhada com a vontade de Deus.