terça-feira, 31 de maio de 2011

Locais Vulneráveis

"Não adulterarás." (Êxodo 20:14)

O sétimo mandamento nos diz para não cometermos adultério. Muitos de nós podem dizer: "Bem, eu nunca fiz isso." Mas, em seguida, Jesus diz novamente no Sermão da Montanha: "Vocês ouviram o que foi dito: ‘Não adulterarás’. Mas eu lhes digo: qualquer que olhar para uma mulher para desejá-la, já cometeu adultério com ela no seu coração." (Mateus 5:27-28). Claro que, da mesma forma, isso também se aplica às mulheres: o adultério pode se dar olhando para um homem de maneira libidinosa.

Essa palavra que Jesus usa, traduzida como "olhar", não significa apenas um olhar casual. Na língua original,  refere-se ao ato contínuo de olhar. Neste sentido, a idéia não é um olhar acidental ou involuntário, mas um olhar intencional e repetido.

Jesus não está falando aqui de exposição inesperada e inevitável à tentação sexual. Ele está falando de alguém que deliberadamente se coloca em um local vulnerável. Você sabe a diferença. Nós todos vivemos em um mundo mau. Tragicamente, hoje não precisamos ir muito longe para ver coisas sexualmente explícitas. A televisão é um exemplo e, é claro, há a Internet. Mesmo se você tiver o cuidado de evitar essas coisas em sua casa, quando for a um shopping ou a uma loja verá monitores reproduzindo vídeos, além de propagandas e anúncios em todos os lugares ao seu redor. Ou seja, nós estamos constantemente expostos a essas coisas.

A pessoa que Jesus está descrevendo como aquela que cometeu adultério em seu coração se coloca intencionalmente em lugar de tentação evidente. Aqueles que amam a Deus e querem agradá-lo, não vão querer fazer isso.

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Uma Palavra aos Filhos

"Honra teu pai e tua mãe, a fim de que tenhas vida longa na terra que o Senhor teu Deus te dá." (Êxodo 20:12)

O quinto dos 10 Mandamentos lida com a questão da família, mas em sua essência nos dá os fundamentos de como devemos tratar nossos companheiros. A família provê força para um país. Já foi dito que uma família pode viver sem uma nação, mas uma nação não pode viver sem uma família.

Em Efésios 6:1, o apóstolo Paulo diz: "Filhos, obedeçam a seus pais no Senhor, pois isso é justo." Por que as crianças deveriam obedecer seus pais? Porque esta é a coisa certa a fazer. Deus diz que isso é o certo. E isso é tudo o que você deve saber. É mais ou menos quando uma criança pergunta: "Mãe, por que eu tenho que fazer isso?" E a mãe responde:

"Porque eu lhe pedi."

Então a criança indaga: "Mas eu não entendo..."

E a mãe: "Eu sei. Um dia você irá entender. Por enquanto, simplesmente faça porque eu pedi."

O certo e o errado não estão baseados no que pensamos ou em algum consenso do que os outros pensam a respeito. Algo é certo porque Deus diz que é. Alguma coisa é boa porque Deus diz que é boa. Nem é preciso dizer que isso vai contra a cultura atual. Temos ouvido mais sobre os direitos das crianças do que as responsabilidades que elas têm. Não apenas se espera que crianças tenham atitudes rebeldes. Elas inclusive são encorajadas para isso. Entretanto, essa não é a ordem de Deus.

Há uma dupla promessa associada à obediência aos pais: primeiro, que será bom para você, o que traz qualidade de vida. Segundo, que você poderá ter uma vida mais longa na terra, o que traz quantidade de vida.

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Um Homem de Tristeza

"Então Jesus foi com seus discípulos para um lugar chamado Getsêmani e disse-lhes: 'Sentem-se aqui enquanto vou ali orar'. Levando consigo Pedro e os dois filhos de Zebedeu, começou a entristecer-se e a angustiar-se." (Mateus 26:36-37)

Se eu tivesse a oportunidade de conhecer todo o meu futuro a partir de hoje, acho que optaria não conhecê-lo. Mas Jesus, sendo Deus, sabia tudo sobre o seu futuro, até ao mais ínfimo detalhe. Ele agonizou no Jardim do Getsêmani, sabia que em apenas poucas horas seria pregado numa cruz e crucificado. Ele sabia que seria humilhado, que seria espancado. Ele iria passar por uma terrível surra. Ele sabia da grande angústia que estava por vir.

A Bíblia nos diz que Jesus era "um homem de tristeza e familiarizado com o sofrimento" (Isaías 53:3). A Bíblia também diz em Hebreus: "Portanto, visto que temos um grande sumo sacerdote que adentrou os céus, Jesus, o Filho de Deus, apeguemo-nos com toda a firmeza à fé que professamos, pois não temos um sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas, mas sim alguém que, como nós, passou por todo tipo de tentação, porém, sem pecado." (4:14-15).

Em outras palavras, Deus sabe pelo que você está passando. Você tem um Sumo Sacerdote, isto é, Jesus, que enfrentou os desafios que hoje enfrentamos. Jesus esteve nesse momento horrendo e difícil, vivenciando profunda solidão e abandono por seus amigos. Ainda assim Ele passou por isso.

Da próxima vez que você enfrentar dificuldade, quando se sentir incompreendido e abandonado, lembre-se que Jesus já passou por isso. Você tem alguém que lhe entende, simpatiza com você, e está lá para fortalecê-lo.

quinta-feira, 26 de maio de 2011

A Coisa Legítima

"Todavia, não me importo, nem considero a minha vida de valor algum para mim mesmo, se tão-somente puder terminar a corrida e completar o ministério que o Senhor Jesus me confiou, de testemunhar do evangelho da graça de Deus." (Atos 20:24)

Imagine que você acabou de sair de um restaurante maravilhoso, onde saboreou uma fantástica refeição. Você pensa: "Foi maravilhoso." Mas, quando olha para a sarjeta, vê um pastel, descartado de um boteco qualquer. Você diria: "Nossa, um pastel!" e se apressaria para apanhá-lo? Claro que não. Você não comeria tal coisa, simplesmente porque você está totalmente satisfeito. Ao acabar de se fartar com uma legítima refeição, não vai querer uma imitação barata, não é mesmo?

Da mesma forma, quando você conhece o Senhor e experimenta um verdadeiro relacionamento com Ele, não aceita as imitações baratas do diabo. É fácil distinguir uma coisa da outra. Quando você enxerga de fato quem é Jesus, enxerga também o que é o mundo. Mas se você vive contemplando as coisas desse mundo, sem dispor de muito tempo para as coisas de Deus, acabará tendo uma visão reduzida de Deus e uma visão exaltada do mundo (quando deveria ser o contrário).

Tudo que você precisa na vida é suprido num relacionamento íntimo com Deus. Você pode descobrir isso do jeito fácil ou do jeito difícil. Você está completando sua jornada com alegria? Ou, está negligenciando seu relacionamento com Deus, tentando encontrar algum atalho para a felicidade que o mundo diz possuir? Se você está nessa, lamento dizer-lhe: - "Você está entrando num beco sem saída”. As coisas do mundo nunca poderão lhe satisfazer totalmente, porque depois de se experimentar algo legítimo, imitações baratas jamais serão o bastante.

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Uma Vida que Vale ser Vivida

“O ladrão vem apenas para furtar, matar e destruir; eu vim para que tenham vida, e a tenham plenamente.” (João 10:10)

Às vezes as pessoas pensam que os cristãos vivem as vidas mais chatas que se pode imaginar​​, mas nada poderia estar mais longe da verdade. O fato é que uma vida feliz é uma vida santa, uma vida vivida para Deus. Jesus não nos prometeu apenas a vida além do túmulo, mas certamente nos prometeu uma vida terrena que vale a pena, quando disse: "Eu vim para que tenham vida e a tenham plenamente".

Existem duas maneiras pelas quais podemos viver nossas vidas: a certo e a errada. Há dois caminhos que podemos tomar: o caminho estreito que conduz à vida ou o caminho largo que leva à destruição. Existem duas bases que podemos usar como alicerce: a rocha firme ou a areia frouxa. O resultado é que podemos viver uma vida feliz e santa ou a uma vida miserável e profana.

Quando a maior parte das pessoas pensa numa vida dedicada a Deus, elas prevêem algo cheio de angústia, regras e regulamentos. A imagem que a maioria dos incrédulos tem de um cristão é de tristeza e tédio.

Mas quando você conhece a Deus e você percebe que a Bíblia não é um simples livro, mas sim a Palavra de Deus para ensinar cada um de nós, ela assume um significado totalmente novo. Quando você percebe que a oração não é apenas um tipo de ritual, mas algo para se comunicar com o todo-poderoso, onisciente e amoroso Deus, o qual está interessado em você, isso significa muito. Isso o mundo não oferece, não há nada como isso. Quando você realmente conhece Deus, você percebe que a vida cristã é a melhor vida que existe.

terça-feira, 24 de maio de 2011

A Luz de Deus

"Este é o julgamento: a luz veio ao mundo, mas os homens amaram as trevas, e não a luz, porque as suas obras eram más. Quem pratica o mal odeia a luz e não se aproxima da luz, temendo que as suas obras sejam manifestas." (João 3:19-20)

Muitas vezes pensamos que se pudéssemos realizar um milagre para alguém ele certamente acreditaria em Jesus Cristo. Temos amigos, familiares ou colegas de trabalho que parecem céticos. E pensamos que, se realizássemos um milagre, então eles acreditariam. Mas para ser honesto com você, eu não tenho tanta certeza disto. Judas Iscariotes, o qual traiu Jesus Cristo, testemunhou muitos milagres. Ele viu Jesus curar cegos, surdos e paralíticos. Diante de seus olhos, Cristo curou leprosos e até ressuscitou um homem chamado Lázaro. Judas estava diante de Jesus quando Ele com raiva acalmou tempestades e desafiou a lei natural caminhando sobre as águas. Mas ainda assim Judas não acreditou. No final, este suposto amigo e discípulo de Cristo, que testemunhou milagre após milagre, acabou mostrando ser uma fraude e traindo o Senhor.

As pessoas não precisam necessariamente ver um milagre para crer em Cristo. Jesus nos deu a verdadeira razão pela qual as pessoas não acreditam, quando proclamou:

"Este é o julgamento: a luz veio ao mundo, mas os homens amaram as trevas, e não a luz, porque as suas obras eram más. Quem pratica o mal odeia a luz e não se aproxima da luz, temendo que as suas obras sejam manifestas." (João 3:19-20)

Uma pessoa pode dizer: "Eu não acredito, porque não estou convencido." Mas, na realidade, a principal razão pela qual muitas pessoas rejeitam o Senhor é porque elas amam mais as trevas do que a luz de Deus.

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Além das Desculpas...

"Este é o julgamento: a luz veio ao mundo, mas os homens amaram as trevas, e não a luz, porque as suas obras eram más." (João 3:19)

Os Fariseus dos tempos de Jesus não estavam somente duvidando do trabalho de Deus; seus corações estavam cheios de descrença. Eles não rejeitaram Jesus e o Seu trabalho de Salvação por falta de provas ou evidências, pois Ele cumpriu várias profecias do Antigo Testamento. Eles não o rejeitaram porque o Seu estilo de vida não era coerente com a Sua pregação, pois Ele a coerência era total. Mesmo Pilatos, que estava se preparando para condená-Lo, disse o seguinte a respeito de Jesus: "Não acho nele nenhuma culpa." Judas Iscariotes, Seu traidor, disse: "Eu verdadeiramente traí sangue inocente."

Esses líderes religiosos rejeitaram Jesus porque Ele interferiu na forma através da qual eles pretendiam viver. Ele era uma ameaça ao seu estilo de vida e ao seu sistema religioso. Apesar de toda a Sua retórica e dos questionamentos de interesse espiritual, eles não buscavam realmente a verdade. Nem ao menos estavam buscando pelo Messias. Se assim o fosse, eles teriam recebido Jesus.

Note que a rejeição dos fariseus a Jesus é simplesmente uma ilustração de cada pessoa que O rejeita intencionalmente. As pessoas não rejeitam o Messias porque elas obtiveram provas a respeito e concluiram que Ele não é o Messias. A maioria das pessoas que dizem que não são cristãs nunca leram a Bíblia. Elas nem mesmo leram todo o Evangelho de João. Nunca examinaram com cuidado os argumentos de Cristo. As pessoas não O rejeitam por causa da hipocrisia de algumas pessoas incoerentes. As pessoas rejeitam a Jesus porque Ele é uma ameaça ao estilo de vida delas. Elas não querem mudar. Elas querem que as coisas fiquem como estão, pois odeiam a Luz e o fato de suas ações serem expostas.

sexta-feira, 20 de maio de 2011

Seja feita a Tua Vontade

"Ele (Jesus) se afastou deles a uma pequena distância, ajoelhou-se e começou a orar: 'Pai, se queres, afasta de mim este cálice; contudo, não seja feita a minha vontade, mas a tua'. Apareceu-lhe então um anjo do céu que o fortalecia." (Lucas 22:41-43).

Algumas pessoas dizem que nós nunca deveríamos fazer a oração que Jesus fez: "não seja feita a minha vontade, mas a tua" (Lucas 22:42). Mas não é isso que Cristo ensina na oração feita ao Senhor juntos aos discípulos: "Vocês orem assim: Pai nosso que estás nos céus! Santificado seja o teu nome. Venha o teu Reino; seja feita a tua vontade..." (Mateus 6: 9-10)? Se Jesus orou pela vontade de Deus, certamente devemos seguir seu exemplo. Nós nunca devemos ter medo de dizer ao Senhor: "Seja feita a Tua vontade." 

Quando meu filho Jonathan era mais jovem, costumava guardar o seu dinheiro para comprar um brinquedo novo. Quando ele guardava dinheiro suficiente, íamos a uma loja de brinquedos. Jonathan escolhia alguns brinquedos diferentes e os trazia para mim perguntando: "O que você acha, pai? Eu devo ficar com este?"  Freqüentemente Jonathan não era capaz de decidir qual brinquedo levar, então ele dizia: "Pai, por que você não escolhe para mim?". Você sabe o que eu faria? Eu gastaria mais no brinquedo do que ele, se tivesse feito a compra sozinho.

Esta é uma maneira simples de ilustrar a atitude de Deus conosco. A questão é: será que estamos pensando: "Senhor, por que não escolhes por mim?" Como o grande evangelista D. L. Moody disse uma vez: "A mais doce lição que aprendi foi deixar Deus escolher por mim." Deus vai nos dar mais e além do que podemos pedir ou imaginar. Ele vai nos abençoar muito além da nossa própria compreensão. Muitas vezes nós limitamos Deus através de nossa falta de fé. Ele quer fazer mais do que estamos pedindo. Portanto, não tenha medo de orar: "Não seja feita a minha vontade, mas a tua".

quinta-feira, 19 de maio de 2011

A Alegria de Cristo

"Estando angustiado, ele orou ainda mais intensamente; e o seu suor era como gotas de sangue que caíam no chão." (Lucas 22:44)

Você já se perguntou sobre o que manteve Cristo firme enquanto Ele orava sobre sua morte iminente no Jardim do Getsêmani? Se pararmos para pensar, não havia muita coisa para encorajá-lo. Ele sabia que seus discípulos estavam se segurando para não dormir. Ele estava consciente da aproximação e da traição de Judas, bem como do sofrimento que teria na cruz.

O livro de Hebreus nos diz que algo divino mantinha Cristo firme. Como está escrito: “Ele, pela alegria que lhe fora proposta, suportou a cruz, desprezando a vergonha, e assentou-se à direita do trono de Deus" (Hebreus 12:2 ). O que manteve Jesus firme? Era a alegria divina que estava diante dele.

Mas o que era essa alegria divina? Jesus contou a história de um pastor que tinha uma ovelha que fora extraviada. O pastor foi procurá-la e a encontrou, ficando muito alegre com isso. Então Jesus disse: "Eu lhes digo que, da mesma forma, há alegria na presença dos anjos de Deus por um pecador que se arrepende" (Lucas 15:10). Jesus contou outra parábola dizendo que o reino dos céus é semelhante a um tesouro escondido num campo (Mateus 13:44). Quando um homem o encontra, ele o esconde de novo. Então, em sua alegria, ele vai, vende tudo o que tem, e compra aquele campo.

Nós somos as ovelhas que se desviaram e o tesouro escondido num campo. Somos a alegria pela qual Cristo sofreu e morreu. Por isso, podemos anunciar, juntamente com o apóstolo Paulo: "A vida que agora vivo no corpo, vivo-a pela fé no filho de Deus, que me amou e se entregou por mim”. (Gálatas 2:20). Que tal refletir um pouco mais sobre esta verdade e assim provar aquilo que Jesus experimentou no Getsêmani e na cruz?

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Mantendo o Ritmo

"Prossigo para o alvo, a fim de ganhar o prêmio do chamado celestial de Deus em Cristo Jesus." (Filipenses 3:14)

Eu ouvi falar de um homem que fez algumas promessas de Ano Novo. Em 2001, ele disse: "Não ficarei chateado quando Sam e Charlie fizerem piadas sobre a minha careca." Em 2002, disse: "Eu não vou ficar chateado quando o Charlie e Sam zombarem de mim por causa da minha peruca." Então, em 2003, prometeu: "Eu não vou perder a paciência quando Charlie e Sam riem de mim por usar uma cinta." Em 2004, "Eu não vou mais falar com Charlie e Sam". Conforme os anos passaram, ele mudou suas promessas.

Nós ajustamos nossas promessas conforme o tempo passa porque somos incapazes de mantê-las. Mas nós não precisamos de uma promessa de Ano Novo. Precisamos de uma promessa espiritual, a qual é encontrada nas Escrituras. Em Filipenses 3, o apóstolo Paulo nos ajuda a entender quais deveriam ser nossas prioridades. Em mais de uma ocasião ele usou metáforas esportivas para descrever a vida cristã. Nesta passagem, ele a compara ao ato de correr uma corrida, mas precisamos entender que esta não é uma corrida de 100m rasos. É uma corrida de longa distância. É por isso que temos que manter o ritmo.

Não importa se você manteve o primeiro lugar até a nona volta de uma corrida de dez voltas. O que importa é a 10ª volta. Quem cruzar a linha de chegada em primeiro lugar é o vencedor. O problema é que muita gente tem um relacionamento "iô-iô" com Deus: para cima e para baixo. Ou estão experimentando "o topo da montanha" ou estão espiritualmente no "fundo do poço". Precisamos de coerência espiritual. E precisamos da ajuda de Deus para ficar com ele. Se quisermos vencer a corrida da vida, então temos de aprender a manter o ritmo.

terça-feira, 17 de maio de 2011

O Motivo Certo para Correr

"Mais do que isso, considero tudo como perda, comparado com a suprema grandeza do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor..." (Filipenses 3:8)

Lembrando a época de colégio, eu corria na pista e no campo. Sempre que uma menina bonita estava olhando, eu corria mais rápido. Queria impressioná-la.

Se você é um cristão porque alguém é ou porque você quer impressionar alguém, então tenho más notícias para você: você não conseguirá vencer na corrida da vida. Você deve correr esta corrida para o Senhor. Isso é o que lhe dará a força para continuar.

O apóstolo Paulo deixou claro sua motivação para correr esta corrida quando disse: "Quero conhecer a Cristo, ao poder da sua ressurreição e à participação em seus sofrimentos..." (Filipenses 3:10). Observe que Paulo não disse: "Que eu saiba a respeito dele." Nós conhecemos um monte de coisas hoje. Nós sabemos coisas sobre algumas celebridades. Você pode ter lido artigos que descrevem tais pessoas. Você pode saber muito sobre elas, mas não as conhece realmente.

Da mesma forma, você pode dizer: "Eu sei tudo sobre Jesus. Eu sei tudo sobre a Bíblia". Mas Paulo não disse que queria saber sobre Jesus. Ele disse que queria conhecê-Lo. Há uma diferença. Você precisa saber sobre ele, mas também precisa conhecê-Lo. E isso vem através de um relacionamento com Jesus Cristo. 

Hebreus 12 diz: "(...) Corramos com perseverança a corrida que nos é proposta, tendo os olhos fitos em Jesus, autor e consumador da nossa fé..." (versos 1-2). Esse é o motivo certo para correr. Isso é o que irá ajudá-lo a terminar a corrida de forma brilhante.

segunda-feira, 16 de maio de 2011

Bônus ou Ônus?

"Portanto, também nós, uma vez que estamos rodeados por tão grande nuvem de testemunhas, livremo-nos de tudo o que nos atrapalha e do pecado que nos envolve, e corramos com perseverança a corrida que nos é proposta." (Hebreus 12:1)

Ouvi falar de uma grande violinista a quem perguntaram sobre o segredo de suas grandes performances. Ela respondeu: "Negligência planejada. Qualquer coisa que me impeça de praticar e tocar bem deve ser negligenciada."

Creio que alguns de nós poderiam utilizar da "negligência planejada" em suas vidas, porque nelas há muito mais coisas inúteis do que podemos imaginar. Se você não acredita em mim, tente se mudar. Não é impressionante a quantidade de coisas inúteis que acumulamos? Em nossas vidas isso também é verdade. Nós carregamos coisas que não precisamos. De tempos em tempos, precisamos abandonar esse excesso de peso.

Quando a corrida da vida se torna difícil, nós gostamos de colocar a culpa nas circunstâncias, em outras pessoas, ou às vezes mesmo em Deus. Mas precisamos lembrar que se tropeçamos ou caímos a culpa é nossa. A Bíblia diz que o poder de Jesus "nos deu todas as coisas de que necessitamos para a vida e para a piedade." (2 Pedro 1:3)

A Bíblia também nos ensina a deixar de lado tudo que nos atrapalha e o pecado que impede o nosso progresso (Hebreus 12:1). Perceba: não devemos deixar de lado apenas o pecado; devemos deixar de lado também o que nos atrapalha.

Sugiro que, periodicamente, acerca das áreas incertas da sua vida, você se questione: isso é um bônus ou um ônus? Em outras palavras: é algo que aumenta sua velocidade na corrida na qual você se encontra? Ou isso é um peso, algo que lhe torna mais lento?

sexta-feira, 13 de maio de 2011

Excesso de Bagagem

"Portanto, também nós, uma vez que estamos rodeados por tão grande nuvem de testemunhas, livremo-nos de tudo o que nos atrapalha e do pecado que nos envolve, e corramos com perseverança a corrida que nos é proposta." (Hebreus 12:1)

Eu sou aquele tipo de pessoa que gosta de levar um monte de coisas quando viaja. Tenho viajado por muitos anos, mas ainda exagero. Quero levar tudo que tenho, mas o excesso de bagagem torna as viagens mais complicadas.

Da mesma forma, quando você corre a corrida da vida, você precisa estar leve. Às vezes nós carregamos muito peso, mas note que a Bíblia nos diz: "livremo-nos de tudo o que nos atrapalha e do pecado que nos envolve". Pecado é pecado, e há algumas situações inegociáveis ​​para as quais devemos nos render. Então pode haver algo que é um peso em sua vida e que pode não ser um peso na vida de outrem. Com isso quero dizer que pode haver algo que você faz que impeça seu progresso espiritual. Periodicamente eu preciso fazer um balanço da minha vida como cristão e olhar para o que faço com o meu tempo. Preciso perguntar a mim mesmo: "Isso é um ônus ou um bônus? Está acelerando meu caminho espiritual, ou está me atrasando? Faz crescer meu apetite espiritual, ou o diminui?"

Quantas vezes estamos muito ocupados fazendo um monte de coisas que não são tão importantes assim, mas que parecem importantes no momento. Devemos nos perguntar se precisamos fazer todas essas coisas. Elas estão te atrasando? Ponha de lado o peso do pecado que impede o seu progresso.

quinta-feira, 12 de maio de 2011

Chorar com os que Choram

"Levando consigo Pedro e os dois filhos de Zebedeu, começou a entristecer-se e a angustiar-se. Disse-lhes então: 'A minha alma está profundamente triste, numa tristeza mortal. Fiquem aqui e vigiem comigo'". (Mateus 26:37-38)

O triunfo final observado no Calvário foi primeiro realizado em oração sob as velhas oliveiras do Getsêmani. Assim como naquele lugar azeitonas eram prensadas para se fazer o azeite, também o Salvador lá foi esmagado para dar Sua vida por nós. Lá naquele jardim, Jesus disse a Pedro, Tiago e João: - "Fiquem aqui e vigiem comigo" (Mateus 26:38). Jesus quiz compartilhar com eles aquele momento sagrado de sua vida e lhes pediu para ficarem lá com ele. Cristo não disse: - "Fiquem aqui e me expliquem porque isso está acontecendo." Ele não precisava disso. Jesus não pediu qualquer explicação. Ele simplesmente pediu para seus amigos rezarem com ele.

Esse pedido de Cristo nos ensina que quando uma pessoa está sofrendo, uma das melhores coisas que podemos fazer por ela é simplesmente estar junto e orar com ela. Nós temos a mania de querer respostas para tudo. Porém, muitas vezes a melhor coisa que podemos fazer por alguém é apenas ficar junto. Precisamos seguir os ensinamentos do apóstolo Paulo e: "chorar com os que choram" (Romanos 12:15).

No livro de Jó, lê-se uma horrível seqüência de acontecimentos na vida de um homem de Deus. Jó perdeu sua família, seus bens e perdeu até a sua saúde. A Bíblia diz que vieram amigos para consolá-lo durante este período de grande dificuldade. Eles não disseram uma palavra sequer por sete dias. Eles só estavam lá, chorando com Jó. No Jardim do Getsêmani, Jesus deu o maior exemplo sobre como consolar um amigo que sofre: - "Fique aqui e vigie comigo".

quarta-feira, 11 de maio de 2011

Destruição Disfarçada

"O amor deve ser sincero. Odeiem o que é mau; apeguem-se ao que é bom." (Romanos 12:9)

Uma das primeiras coisas que me lembro que ocorreu quando entreguei minha vida a Jesus Cristo foi a erosão da amargura e do ódio e o crescimento de um amor que eu não tinha conhecido antes. Anos de amargura e raiva que tinham sido construídas começaram simplesmente a se dissolver. Se pretendemos ser seguidores de Cristo e damos refúgio em nossos corações ao rancor ou ódio em relação a alguém, há algo muito errado. João foi muito claro quando escreveu: "Se alguém afirmar: 'Eu amo a Deus', mas odiar seu irmão, é mentiroso, pois quem não ama seu irmão, a quem vê, não pode amar a Deus, a quem não vê." (1 João 4:20). João estava dizendo que, se tivermos ódio em nossos corações em relação a outros membros do corpo de Cristo, irmãos em Cristo, há algo errado em nossa vida espiritual.

Talvez alguém tenha ofendido ou magoado você. No entanto, você deve amar. Você deve perdoar. Você não deve se vingar. Aqui está o porquê: a amargura e o ódio farão mais mal a você do que a pessoa a quem você direciona isto. Isso vai devorar você por dentro, vai destruir sua vida. Irá atrapalhar o seu tempo de oração com Deus, vai dificultar a sua adoração. Irá, para todos os efeitos práticos, atuar como um obstáculo no relacionamento que Deus quer ter com você.

Não há espaço para o ódio no coração de um filho de Deus. Não há espaço para aamargura. Não há espaço para preconceito. Deus quer que nosso amor seja honesto, e Ele o quer sem hipocrisia.

terça-feira, 10 de maio de 2011

Por que Jesus Veio?

"Eu vim para que tenham vida, e a tenham plenamente." (João 10:10)

Enquanto era pequeno, morei com minha avó por alguns anos. Gostava de folhear sua grande Bíblia de família e olhar para as imagens de Jesus. Ela também tinha uma imagem de Jesus pendurada na parede. Eu olhava para ele e pensava: "Eu queria ter conhecido esse homem, Jesus."

A única coisa que eu não gostava sobre a vida de Jesus era como ela terminava. Eu pensava que ela deveria ser reescrita com um final mais feliz. A parte sobre ele ser crucificado arruinou tudo... Ele estava indo tão bem, curando e ensinando pessoas, mas então tudo chegou ao fim. Por que eles tiveram que colocá-lo em uma cruz e matá-lo?

Foi só depois que me tornei um cristão que percebi que a crucificação de Jesus realmente foi a principal razão pela qual Ele veio para a Terra.

Jesus veio para morrer. Ele falava sobre isso com frequência e em detalhes. Sua prisão e crucificação não o pegaram de surpresa. Jesus resumiu bem quando disse a seus discípulos: "Pois nem mesmo o Filho do homem veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate por muitos" (Marcos 10:45).

Veja: Jesus nasceu para morrer, para que pudéssemos viver. Você aceitou o dom da vida eterna que Jesus comprou com Sua morte? Se ainda não, você pode aceitar esse grande presente hoje.

segunda-feira, 9 de maio de 2011

Conformado ou Transformado?

"Não se amoldem ao padrão deste mundo, mas transformem-se pela renovação da sua mente, para que sejam capazes de experimentar e comprovar a boa, agradável e perfeita vontade de Deus." (Romanos 12:2)

 Um bando de gansos selvagens estava voando em direção ao sul, no inverno (hemisfério norte), quando um deles olhou para baixo e notou um bando de gansos domésticos em um pequeno lago perto de uma fazenda. Ele percebeu que eles tinham uma grande fartura de grãos para comer. A vida deles parecia suficientemente boa. Então ele desceu e ficou com aqueles gansos até a primavera, aproveitando a comida que havia lá. Ele decidiu que iria retornar ao seu grupo quando eles voassem para o norte novamente. Quando a primavera chegou, ele os ouviu do alto e voou na direção deles, mas ele havia se tornado um pouco obeso por causa de toda aquela comida. Estava difícil voar, então ele decidiu ficar mais uma temporada na fazenda e retornar ao seu grupo na próxima migração de inverno. Quando os gansos voaram para o sul no outono seguinte, ele bateu as asas só algumas vezes e logo continuou comendo seus grãos. Ele perdera o interesse.

É isso que acontece no sutil processo de influência que o mundo exerce sobre nossas vidas. Não é algo necessariamente dramático. E não acontece da noite para o dia. É algo gradual, que causa erosão em nossas vidas à medida que relativizamos nossos padrões. Logo as coisas de Deus se tornam menos atraentes e as do mundo mais. Após um tempo, não temos mais interesse nas assuntos de Deus.

Nós temos uma escolha: Ficarmos conformados com esse mundo ou sermos transformados pela renovação da nossa mente. É uma coisa ou outra. A única questão é: qual caminho você vai seguir?

sexta-feira, 6 de maio de 2011

Dar o Nosso Melhor

"Como posso retribuir ao Senhor toda a sua bondade para comigo?" (Salmo 116:12)

Um agricultor conhecido por sua economia era dono de uma vaca, a qual deu à luz duas crias. Ele disse à esposa: "Vou dedicar um destes animais ao Senhor." Conhecendo sua avareza, ela estava muito surpresa e perguntou qual delas ele estava planejando dar ao Senhor. "Eu ainda não decidi, mas te farei saber", disse ele. Alguns dias se passaram e, novamente, ela perguntou se ele já tinha dado um bezerro ao Senhor. "Eu ainda estou pensando sobre isso", disse ele. Então um dia, um dos bezerros adoeceu. Ficou cada vez pior, até que uma noite o fazendeiro foi até a varanda com o bezerro em seus braços e disse à esposa: "Querida, eu tenho más notícias. O bezerro do Senhor morreu."

Muitas vezes tendemos a dar para Deus o que realmente não queremos para nós mesmos. Pense em um dia típico. Que lugar nós damos às coisas de Deus? Talvez proferimos uma oração rápida quando acordamos ou oferecemos algumas palavras apressadas de agradecimento nas refeições? Em seguida, corremos para as nossas responsabilidades. No final do dia, dizemos: "Ah, certo. Vou dar a Deus estes últimos quatro minutos, antes de eu descansar." Se Deus é importante, então por que devemos dar a ele as nossas sobras? Deus não quer nossas sobras. Em Malaquias 1:7, Deus disse a Israel: "São vocês que desprezam o meu nome!" "Mas vocês perguntam: ‘De que maneira temos desprezado o teu nome?’" "Trazendo comida impura ao meu altar! "E mesmo assim ainda perguntam: ‘De que maneira te desonramos?’" "Ao dizerem que a mesa do Senhor é desprezível."(v. 7). Deus nos deu o melhor dele. Vamos Lhe dar o nosso.

quinta-feira, 5 de maio de 2011

Dar com Alegria

"Cada um dê conforme determinou em seu coração, não com pesar ou por obrigação, pois Deus ama quem dá com alegria." (2 Coríntios 9:7)

Eu não sei quanto a você, mas quando chega o Natal, sempre há alguém para quem me sinto obrigado a comprar um presente. Embora eu não seja fã do processo comercial envolvido no Natal, acabo comprando por obrigação. Por outro lado, é prazeroso comprar um presente para alguém que se ame, não é? Pois assim é também com Deus.

É assim que Deus quer que demos a Ele. Não por obrigação, do tipo: - "Oh, é certo dar para Deus e ajudá-lo." Ou, - "Eu acho que devo ajudar na Escola Dominical, pois, afinal, Deus precisa da minha ajuda para com as crianças." Ou, - "Eu deveria falar sobre Jesus para alguém, porque Deus precisa da minha ajuda para levar o evangelho mundo afora." Se é assim que você pensa, então deveria economizar o seu dinheiro, poupar o seu tempo e não se aplicar à toa em seu serviço, porque Deus simplesmente não os quer, se forem dados dessa maneira. Nosso coração e nossas atitudes são mais importantes para Deus do que os nossos "dons".

Se você der o seu dinheiro, o seu tempo ou qualquer outra coisa somente por obrigação, ou pela expectativa de receber algo em troca, então a sua motivação está errada e não vai contar coisa alguma perante Deus. Seu coração deve estar em primeiro lugar. Dar é uma ação voluntária. Você não tem que fazê-lo, a menos que o queira.

Talvez você ache que não tem muito a oferecer para Deus, mas lembre-se que Ele pode fazer muito com pouco. Basta apresentar-lhe o que você tem e dizer: - "Senhor, isso que eu lhe ofereço não é muito, mas aqui está: é tudo Seu." Então você verá o que Deus pode fazer com a sua oferta e o quanto Ele pode abençoar a vida, por ter se dedicado a Ele com um coração sincero.

quarta-feira, 4 de maio de 2011

A Coisa Inteligente a ser Feita

"Não sabem que, quando vocês se oferecem a alguém para lhe obedecer como escravos, tornam-se escravos daquele a quem obedecem: escravos do pecado que leva à morte, ou da obediência que leva à justiça?" (Romanos 6:16)

Escravo de quem você é? Talvez você acredite ser dono de si mesmo, o mestre de seu próprio destino. Mas, na realidade, cada um de nós produz ou se doa a algo ou alguém. Somos todos escravos de algo ou alguém.  

Eu quero ser um escravo de Deus. O apóstolo Paulo escreveu aos crentes: "Mas agora que vocês foram libertados do pecado e se tornaram escravos de Deus, o fruto que colhem leva à santidade, e o seu fim é a vida eterna." (Romanos 6:22). Esta palavra "escravo" foi traduzida de uma palavra grega que teria sido facilmente compreendida naquela cultura. Referia-se a um escravo que havia sido comprado fora do bloco de leilão e depois recebeu a liberdade. Em outras palavras, o mestre teria que comprar o escravo e, em seguida, declará-lo livre. Os escravos que fossem de tal forma agradecidos a seus mestres por tamanho gesto de compaixão e quisessem voluntariamente servi-los seriam designados como "escravos por vínculo", significando um escravo por opção. O servo agradecido não era um escravo comprado ou um escravo do medo, mas um escravo por escolha - um servo amoroso. Isso é o que Paulo disse ser, e também o que nós devemos ser.

Você é escravo de quem? Ou você é um servo de Deus ou você é um escravo do pecado. A escolha é sua. Você pode ceder ao pecado, pagar o preço e viver uma vida miserável, ou você pode se render a Deus, dando-Lhe seus dons, seu tempo e seu futuro, e viver a vida em sua plenitude. Esta é a única coisa inteligente a ser feita.

terça-feira, 3 de maio de 2011

Lembrando-se de Agradecer

"Que eles dêem graças ao Senhor por seu amor leal e por suas maravilhas em favor dos homens" (Salmos 107:8)

No Antigo Testamento encontramos uma história interessante sobre como o rei Josafá teve um comportamento pouco comum quando seus inimigos travaram uma guerra contra ele. Em vez de enviar seu exército em primeiro lugar, ele enviou o coro e os músicos.

Imagine a cena: "Tudo bem pessoal, este é o plano de hoje: um exército está lá fora, armado até os dentes. Então, estamos enviando nosso coral e nossos músicos". Se eu tivesse sido um membro do coro ou dos músicos, eu me perguntaria se de fato o rei gostava da nossa música. Porém Deus havia guiado Josafá nesta tática de batalha incomum. Lemos em 2 Crônicas 20:21 que Josafá nomeou pessoas para cantarem ao Senhor e louvarem pelo esplendor de sua santidade, indo à frente do exército, cantando: "Graças damos ao Senhor, pois o seu amor dura para sempre". E foi exatamente isso que eles fizeram. A Bíblia nos diz que quando começaram a cantar e louvar, Deus enviou uma emboscada contra o inimigo e eles foram destruídos. O povo de Deus foi capaz de ir para tal situação dando graças, porque Ele estava no controle.

Ao nos aproximarmos de Deus para pedir novas bênçãos, nunca devemos esquecer de agradecer pelas bênçãos que Ele já nos deu. Você recentemente clamou a Deus por Sua ajuda e Ele o atendeu? E você voltou para Lhe dizer "obrigado"? Se parássemos e pensássemos quantas orações oferecidas a Deus foram respondidas, e como raramente voltamos a Ele para agradecer, ficaríamos surpresos. Nós devemos ser tão deliberados para dar graças a Deus como somos para pedir sua ajuda.

segunda-feira, 2 de maio de 2011

Invicto

"E eu lhe digo que você é Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do Hades não poderão vencê-la." (Mateus 16:18)

Com o passar dos anos, existiram pessoas que se puseram contra a igreja e tentaram destruí-la. O imperador romano Diocleciano ergueu uma coluna de pedra com as seguintes palavras inscritas: "Por ter exterminado o nome cristão da terra." Eu me pergunto como ele se sentiria se pudesse ver o monumento hoje. Ele não funcionou.

Houve aqueles que tentaram impedir a obra de Deus, como os países comunistas, por exemplo. Um líder romano fez um caixão para simbolizar sua intenção. Em suas palavras: para "enterrar Galileus", matando Seus seguidores. Mas ele logo percebeu que não podia colocar Jesus naquele caixão. Finalmente, o líder romano acabou acreditando em quem tentara destruir, o Cristo. Nada nem ninguém jamais foi capaz de parar a igreja estabelecida por Jesus, porque Ele disse: "As portas do inferno não prevalecerão contra ela".

Agora, o diabo não vai cooperar com a nossa tentativa de espalhar o evangelho. Ele vai se opor usando tudo o que tem. "As portas do inferno" se refere às forças do diabo, e quando Jesus diz que as portas do inferno não prevalecerão contra a igreja, Ele não está dizendo que essas forças não irão tentar nos atacar. Ao contrário, o que ele está dizendo, basicamente, é que à medida que avançamos como soldados em seu exército, a oposição do diabo não prevalecerá. A verdade é que ele vai perder no final.

Podemos perder uma batalha aqui, outra ali, mas certamente venceremos a guerra no final.