terça-feira, 4 de janeiro de 2011

A Virtude da Misericórdia

"Bem-aventurados os misericordiosos, pois obterão misericórdia." (Mateus 5:7)

Quando nós, como crentes, nos vemos como realmente somos, quando lamentamos a nossa condição, quando andamos com humildade diante de Deus e temos fome e sede de justiça, a misericórdia se produz em nós. Passamos a ser misericordiosos quando reconhecemos a grande misericórdia que nos foi concedida.

Jesus disse: "Bem-aventurados os misericordiosos, pois obterão misericórdia" (Mateus 5:7). Na cultura da época de Jesus a misericórdia não era muito considerada. Na verdade, os romanos não se importavam nem um pouco com misericórdia. Viam-na como uma fraqueza, não uma virtude. Um filósofo romano dizia que a misericórdia é "uma doença da alma." Os romanos glorificavam justiça, coragem, disciplina e poder. Misericórdia não tinha valor na cultura deles, assim como também não tem na nossa hoje.

No entanto, Jesus disse: "Bem-aventurados os misericordiosos...." A Misericórdia é algo que fazemos, não apenas algo que sentimos. Significa ajudar uma pessoa em necessidade, resgatar alguém da miséria. Misericórdia significa um sentimento de pena, acrescido de um desejo de fazer algo para parar com o sofrimento. Somente dizer: "Eu sinto a sua dor" não é ter misericórdia. Misericórdia é satisfazer a necessidade, não apenas senti-la. A verdadeira misericórdia é piedade mais ação.

Quanto mais justa uma pessoa for, mais misericordiosa ela será. E quanto mais pecaminosa uma pessoa for, mais dura e crítica ela será. Às vezes cometemos o erro de pensar que as pessoas que são rápidas para condenar são muito espiritualizadas. Mas na verdade é exatamente o oposto. Quando se é realmente  espiritualizado, "santo", se é misericordioso, alguém que não crítica ou condena.

Nenhum comentário:

Postar um comentário