quinta-feira, 30 de julho de 2015

Construindo a Fé

"Pois pela graça que me foi dada digo a todos vocês: ninguém tenha de si mesmo um conceito mais elevado do que deve ter; mas, pelo contrário, tenha um conceito equilibrado, de acordo com a medida da fé que Deus lhe concedeu." (Romanos 12:3)

Muitas pessoas gostam de falar sobre sua fé. Gostam de cantar sobre ela. Inclusive costumam analisar a palavra "fé". Porém nunca usam sua fé realmente.

A fé é alinhar a nossa vontade àquilo que leva ao entendimento. Fé sempre implica na ideia de ação e movimento. Fé é algo vivo e que não se cansa. Não é algo inoperante. A fé se move, age e faz. Ela não fica parada. Ela avança.

A fé se desenvolve quando ouvimos, estudamos e imergimos na Palavra de Deus. Romanos 10:17 nos diz: "Consequentemente, a fé vem por ouvir a mensagem, e a mensagem é ouvida mediante a palavra de Cristo". Foi isso que Jesus disse em Mateus 11:15: "Aquele que tem ouvidos, ouça!". É como chamar a atenção, para que de fato ouçamos.

Se ouvirmos a Palavra de Deus, nossa fé irá crescer. E quando ouvimos a Palavra de Deus, ela coloca tudo no seu devido lugar, porque à luz das Escrituras vemos quem Deus de fato é. Consequentemente, também vemos os desafios da vida da maneira que são. Vemos tudo da forma que devemos ver. O apóstolo Paulo escreveu: "Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção e para a instrução na justiça" (2 Timóteo 3:16).

A fé também é desenvolvida pelo uso. Alguns de nós a tratam como algo frágil, mas ela não é. Ela é forte, é resiliente. A fé se torna mais forte à medida que a usamos. Ela é como um músculo que se desenvolve conforme é exigido e exercitado, tornando-se cada vez mais forte.

quarta-feira, 29 de julho de 2015

Vitória!

"E cancelou a escrita de dívida, que consistia em ordenanças, e que nos era contrária. Ele a removeu, pregando-a na cruz, e, tendo despojado os poderes e as autoridades, fez deles um espetáculo público, triunfando sobre eles na cruz." (Colossenses 2:14-15)

“Consumado” é a palavra que usamos para definir um trabalho que está concluído. É uma palavra que diz que não precisamos mais trabalhar, pois está terminado. “Consumado” é também a palavra utilizada por Jesus na cruz. Ele falou: “Está consumado!” (João 19:30). Em outras palavras: “Está concluído!”.

O diabo foi totalmente vencido na cruz do Calvário e isto é algo que ele não quer que saibamos. Referindo-se a Sua crucificação, Jesus falou: “Chegou a hora de ser julgado este mundo; agora será expulso o príncipe deste mundo” (João 12:31). Por Sua morte Jesus destruiu aquele que possuía o poder da morte, o diabo. Quando colocamos nossa fé em Jesus Cristo, o estrangulamento do diabo é quebrado. Ele não pode nos controlar. Podemos descansar no trabalho concluído de Cristo.

Isso significa que quando enfrentamos batalhas espirituais, não estamos lutando por vitória; estamos lutando a partir da vitória. Não lutamos para alcançar a vitória. Lutamos porque a vitória já foi obtida. Não precisamos orar: "Senhor, dê-me a vitória". Ao invés disso, deveríamos orar: "Senhor, eu tenho a vitória e vou viver de acordo com ela". Conforme Romanos 8:37 nos fala: "Mas, em todas estas coisas somos mais que vencedores, por meio daquele que nos amou."

Podemos vencer na batalha espiritual. Podemos superar o inimigo. Não estou falando que vamos vencer todo e qualquer conflito, mas que vamos vencer a batalha. Não estou falando que nunca vamos pecar e cair, pois todos nós iremos cair. Mas podemos vencer a batalha como um todo, pois estamos ao lado da verdade de Cristo.

Então, quando o inimigo tentar desferir aquele golpe mortal contra você, não há dúvida que será repelido, pois estamos ao lado de Deus.

terça-feira, 28 de julho de 2015

Força na Fraqueza

"Mas ele me disse: 'Minha graça é suficiente para você, pois o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza.' Portanto, eu me gloriarei ainda mais alegremente em minhas fraquezas, para que o poder de Cristo repouse em mim. Por isso, por amor de Cristo, regozijo-me nas fraquezas, nos insultos, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias. Pois, quando sou fraco é que sou forte." (2 Coríntios 12:9-10)

Por que Deus permite dificuldades? Por que Deus permite doenças? Por que Deus permite tragédias?

Podemos passar horas perguntando por quê, mas nem sempre podemos responder a essas perguntas. No entanto, ouça o que o apóstolo Paulo disse enquanto ele explicava porque as dificuldades foram permitidas em sua vida:

Para impedir que eu me exaltasse por causa da grandeza dessas revelações, foi-me dado um espinho na carne, um mensageiro de Satanás, para me atormentar. Três vezes roguei ao Senhor que o tirasse de mim. (2 Coríntios 12:7-8).

Não sabemos o que o “espinho na carne” de Paulo era. A maioria dos teólogos acredita que era algum tipo de deficiência física que Paulo provavelmente adquiriu após um de seus vários espancamentos ou apedrejamentos. Qualquer que fosse o seu “espinho na carne”, o diabo queria usá-lo para desanimar Paulo. E deu certo. Só que Paulo ficou de joelhos e chamou por Deus.
O diabo queria dirigir Paulo para longe de Deus mas, em vez disso, o apóstolo se agarrou ainda mais em Deus.

Quando passamos por sofrimentos e dificuldades, podem ser momentos muito difíceis. Eu nunca tive uma época mais difícil em minha vida do que os últimos 19 meses. No entanto, a comunhão que tive com Deus nunca foi mais doce. Nunca tinha sido tão dependente d'Ele. Há momentos em que acho que não conseguirei lidar com isso e então, Deus me dá a força que preciso. Aprendi coisas que não teria aprendido em qualquer outro lugar. Não sei o “por que” de tudo isso, mas confio em Deus, agarro-me a Deus, e dependo d'Ele.

- Você está enfrentando dificuldades e sofrimentos hoje?
Derrame seu coração para Deus. Ele é digno de confiança.

segunda-feira, 27 de julho de 2015

A Espada do Espírito


 "Usem o capacete da salvação e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus." (Efésios 6:17)

Você já reparou que quando pretende passar algum tempo lendo a Bíblia, todo tipo de coisa começa a acontecer? Você pode se levantar de manhã e ler o jornal, cada seção dele e estará tudo bem. Não há telefonemas, nem perturbações. Nada acontece. Mas quando você diz: "Vou ler a Bíblia", o telefone começa a tocar; as crianças começam a gritar; você lembra que se esqueceu de recolher a roupa seca ou retornar uma chamada telefônica.
Essas não são necessariamente coisas más que estão lhe afastando da Palavra de Deus: são simplesmente coisas. São distrações. O diabo não quer que você leia a Bíblia. Você sabia disso? Ele quer distraí-lo, porque a Bíblia é uma arma crucial para a batalha espiritual.


Efésios 6:17 refere-se à Palavra de Deus como "a espada do Espírito". É a única peça de armamento ofensivo listada com a armadura de Deus em Efésios 6. A couraça e o capacete são para a proteção. Os sapatos ajudam o soldado a avançar no terreno de batalha. O escudo é algo para se proteger. Mas a espada é para atacar e causar danos.

Por isso devemos afiar a nossa espada. Devemos estudá-la e conhecer o seu peso. Devemos saber como ela funciona e como se deve manuseá-la. E o mais importante: devemos saber como usá-la.

Como está a sua espada? Está polida pelo uso diário? Tem sido afiada na bigorna da experiência à medida em que você aplica suas verdades e a obedece em sua vida diária? Ou está com um corte cego pela desobediência e enferrujada por falta de uso?

Há uma frase de Charles H. Spurgeon que diz: "A Bíblia que está caindo aos pedaços geralmente pertence a alguém que não está". Assim, a melhor forma de tratar a sua Bíblia é desgastá-la usando-a muito, lendo-a muito, manuseando-a muito. E na hora em que ela estiver caindo aos pedaços, agradeça a Deus porque você certamente não estará.

sexta-feira, 24 de julho de 2015

A Definição de Fé

"Por volta da meia-noite, Paulo e Silas estavam orando e cantando hinos a Deus; os outros presos os ouviam." (Atos 16:25)

A Bíblia define deste modo a fé: "Ora, a fé é a certeza daquilo que esperamos e a prova das coisas que não vemos" (Hebreus 11:1). Outra tradução disso é: "Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que se não vêem" (ACF).

A própria existência de nossa fé, apesar das nossas circunstâncias, é uma prova de Deus. Temos a certidão do cartório. Deus nos deu essa prova, essa certeza confiante. Ela foi instalada em nós pelo próprio Deus. E é poderosa testemunha para um mundo perdido sem fé.

Sabemos pelas histórias da igreja primitiva quantos daqueles valentes homens e mulheres, e às vezes até crianças, foram martirizados por sua fé. Mesmo quando estavam sendo executados, sofrendo mortes horríveis, lemos que chamavam pelo Senhor e pediam a Deus perdão pelas pessoas que lhes faziam aquelas maldades. E há muitos relatos acerca de carrascos deles que chegavam à fé, como resultado da fé que os cristãos tinham em Deus enquanto dirigiam-se à Sua presença.

A história de Paulo e Silas, que cantaram louvores a Deus à meia-noite depois de surrados e jogados no cárcere, é outra prova de fé. Resultou na conversão dos carcereiros. Não foi uma vitória da mente sobre uma dificuldade material. Foi a vitória da fé contra as circunstâncias. Paulo e Silas não tinham certeza de que sequer sairiam daquela prisão, mas foram capazes de pôr tudo em uma perspectiva correta e tiveram fé - ainda que na mais amarga das situações.

- Então o que significa quando dizemos que devemos ter fé?
Significa que temos esperança. Confiamos em Deus.
- Em que circunstâncias você precisa ter fé hoje?

quinta-feira, 23 de julho de 2015

Tendo Fé

"Então Jesus lhe disse: 'Tomé porque me viu, você creu? Felizes os que não viram e creram'." (João 20:29)

Algumas pessoas dizem que não conseguem ter fé, porque são muito práticas. Elas precisam saber se alguma coisa é verdadeira antes que possam acreditar.

Mas todos nós vivenciamos a fé todos os dias. Quando você vai a um restaurante, pede uma refeição, e come o que eles trazem, isto é fé. Você não tem certeza se eles seguiram todas as orientações sanitárias que deveriam seguir. Você não tem certeza se o garçom jogou algumas pequenas surpresas no seu prato principal. Você não sabe. Então você usa a fé.

Quando você vai até com sua receita até a farmácia para comprar remédios, você aceita as pílulas que o farmacêutico lhe deu, sem saber se são realmente aquelas que você pediu ou se são apenas um placebo; ou, pior ainda, um outro tipo de medicamento que poderia fazer-lhe mal. Você aplica a fé.

Quando você faz uma cirurgia e recebe anestesia, tem que colocar fé completa no anestesiologista, nos cirurgiões e nos enfermeiros. E quando embarca em um avião 747? Você entende de aerodinâmica? A maioria de nós não entende coisa alguma. No entanto, temos fé que aqueles pilotos no cockpit não estejam embriagados ou distraídos. Temos fé que eles nos levem com segurança ao nosso destino.

A questão é: usamos somente a fé para muitas coisas no nosso dia a dia. Fé = crença + ação. É o que se aplica quando inicialmente viemos a Jesus Cristo. Agimos em algo que aceitamos como verdade. A Bíblia diz: "Porque pela graça sois salvos, mediante a fé" (Efésios 2:8).

Assim, quando alguém se recusa a colocar a sua fé em Deus, fico pensando: como é que eles podem depositar fé num garçom, num farmacêutico, num cirurgião e num piloto, mas não conseguem ter fé no Deus Todo-Poderoso?

quarta-feira, 22 de julho de 2015

Uma Muralha de Proteção

"E não nos deixes cair em tentação, mas livra-nos do mal. [...]" (Mateus 6:13)

Deus é onisciente, o que significa que Ele sabe todas as coisas. Deus é onipotente, o que significa que Ele pode todas as coisas. E Deus é onipresente, o que significa que Ele está presente em todos os lugares.

Em nítido e direto contraste a isso, o diabo não reflete os atributos divinos de Deus. Ele não é onipotente. Embora tenha grande poder, seu poder é claramente limitado. Ele não está nem perto de ser igual a Deus. Ele não é o onisciente. Sabe muitas coisas, mas não sabe todas as coisas. E ele não é onipresente. Ele só pode estar em um lugar ao mesmo tempo.

O que o diabo não quer que você saiba é que ele não pode fazer nada na vida de um cristão sem a permissão de Deus. O diabo se queixou que Deus tinha posto uma cerca de proteção em torno de Jó (ver Jó 1:10). Assim, vemos, a partir disso, que mesmo Satanás tendo um objetivo perverso, ele tem que pedir permissão para tocar num filho de Deus.

Há um muro impenetrável que Deus colocou ao seu redor que Satanás não pode violar. Isso não significa que você não possa ser tentado, incomodado ou atacado, mas Deus nunca vai lhe dar mais do que você pode suportar. Então, quando o diabo vier bater à sua porta, sugiro que você diga: "Jesus, você se importa de atender esta?" Fico muito feliz por Ele estar lá, porque não sou páreo para o diabo. E nem você.

A tentação entrará em sua vida. Jesus mesmo nos ensinou a orar: "E não nos deixes cair em tentação, mas livra-nos do mal [...]" (Mateus 6:13). Então, da próxima vez que você enfrentar tentação, lembre-se que Deus nunca vai lhe dar demais para suportar. E Ele lhe dará uma saída.