quarta-feira, 23 de agosto de 2017

Dando Testemunho

"Nós lhes proclamamos o que vimos e ouvimos para que vocês também tenham comunhão conosco. Nossa comunhão é com o Pai e com seu Filho Jesus Cristo." (1 João 1:3)

Se você testemunhasse um acidente e depois fosse interrogado por um policial, esperar-se-ia que você relatasse os fatos que testemunhou fidedignamente. Você não deveria embelezar o seu testemunho ou torná-lo mais divertido ou mais interessante, nem adaptá-lo ao seu ponto-de-vista particular. Você deveria simplesmente dizer aquilo que viu ao oficial.

O apóstolo Paulo disse aos anciãos da igreja em Efésios:
"Vocês sabem como vivi todo o tempo em que estive com vocês, desde o primeiro dia em que cheguei à província da Ásia. Servi ao Senhor com toda a humildade e com lágrimas [...] não deixei de pregar-lhes nada que fosse proveitoso, mas ensinei-lhes tudo publicamente e de casa em casa. Testifiquei, tanto a judeus como a gregos, que eles precisam converter-se a Deus com arrependimento e fé em nosso Senhor Jesus" (Atos 20:18-21).

Como cristãos, também devemos testemunhar aquilo que vimos. O apóstolo João escreveu: "Nós lhes proclamamos o que vimos e ouvimos para que vocês também tenham comunhão conosco. Nossa comunhão é com o Pai e com seu Filho Jesus Cristo" (1 João 1:3).

Se você estiver caminhando com Deus como deveria, se estiver passando tempo lendo a Sua Palavra e se estiver crescendo espiritualmente, você é uma testemunha. O seu testemunho simplesmente irá transbordar de você, a partir de uma vida cheia de Cristo.

Mas se você acha difícil contar aos outros sobre Jesus, isso não faz sentido para mim. Como um seguidor de Cristo, isto deveria simplesmente transbordar de sua vida.

terça-feira, 22 de agosto de 2017

Fazendo o Nosso Trabalho

"Assim também vocês, quando tiverem feito tudo o que lhes for ordenado, devem dizer: ‘Somos servos inúteis; apenas cumprimos o nosso dever’" (Lucas 17:10)

Às vezes as pessoas se aproximam de mim e expressam o seu apreço pelo que eu faço. Agradeço-lhes por isso, mas também digo-lhes: "Sabe, estou apenas cumprindo o meu dever. Não mereço crédito extra ou aplausos especiais. Estou apenas fazendo o que devo fazer como cristão, porque um dia estaremos diante de Deus e seremos responsáveis ​​por quão fiéis fomos com o que Deus nos deu."

Jesus deu o exemplo de um homem cujos empregados contratados fizeram o trabalho conforme o esperado. Jesus perguntou: "Será que ele agradecerá ao servo por ter feito o que lhe foi ordenado? Assim também vocês, quando tiverem feito tudo o que lhes for ordenado, devem dizer: ‘Somos servos inúteis; apenas cumprimos o nosso dever’" (Lucas 17:9-10).

Éramos como escravos num mercado e então Jesus veio, viu-nos no leilão e pagou o maior lance. Agora somos servos d'Ele. Ele nos possui. A Bíblia diz: "Vocês foram comprados por alto preço. Portanto, glorifiquem a Deus com o corpo de vocês" (1 Coríntios 6:10).

Somos propriedade adquirida de Jesus Cristo. Consequentemente nos tornamos servos. O apóstolo Paulo chamou a si mesmo de servo do Senhor Jesus Cristo (ver Romanos 1:1). Um servo era alguém que foi comprado, mas que depois passou a servir voluntariamente o seu mestre. Ele fez isso porque queria, não porque tinha que fazer.

Tudo o que temos pertence a Deus. Nossas famílias pertencem a Deus. Nossas carreiras pertencem a Deus. Nossos bens pertencem a Deus. Tudo é d'Ele. E devemos lembrar disso em tudo o que dizemos e fazemos.

segunda-feira, 21 de agosto de 2017

Um final Difícil

"Todavia, não me importo, nem considero a minha vida de valor algum para mim mesmo, se tão-somente puder terminar a corrida e completar o ministério que o Senhor Jesus me confiou, de testemunhar do evangelho da graça de Deus." (Atos 20:24)

Quando os corredores da Grécia antiga competiam, havia uma recompensa de folhas de louro à espera dos vencedores. Eles estavam correndo pela recompensa, para serem "laureados". Corriam pelo ouro, por assim dizer.

Como cristãos, também corremos uma corrida e devemos corre-la pra vencer. Enquanto corremos, o livro de Hebreus nos diz: "[...] livremo-nos de tudo o que nos atrapalha e do pecado que nos envolve, e corramos com perseverança a corrida que nos é proposta, tendo os olhos fitos em Jesus, autor e consumador da nossa fé[...]" (Hebreus 12:1-2)

Olhar para Jesus nos mantém na vida cristã. Há coisas que nos desencorajarão, coisas que nos derrubarão.
Como Corrie Ten Boom bem disse: "Olhe para fora e fique angustiado. Olhe para dentro e fique deprimido. Olhe para Jesus e fique descansado". Se pudermos manter os olhos no Senhor, podemos correr bem esta corrida.

No entanto, na corrida da vida, nossa competição não é um contra o outro. Não devemos tentar superar os outros cristãos. Nossa competição é contra o mundo, contra a carne e contra o diabo (veja Tiago 4:1; 1 Pedro 2:11; 5:8). Queremos correr para ganhar. Queremos jogar de acordo com as regras. E queremos manter os nossos olhos em Jesus, que nos dá o motivo certo para correr.

O apóstolo Paulo falou sobre o que Deus lhe deu para fazer (veja Atos 20:24). E essa é a chave: terminar a corrida.

De nada adianta estar em primeiro lugar faltando 10% para o fim da corrida e cair no final. Precisamos pensar sobre como vamos terminar a corrida que começamos.

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Uma Sociedade Sem Cristo

"Agora, eu os entrego a Deus e à palavra da sua graça, que pode edificá-los e dar-lhes herança entre todos os que são santificados." (Atos 20:32)

Penso que nossa sociedade de hoje pode ser descrita como "Cultura TEC": Tudo, Exceto Cristo. Não era diferente de Éfeso antigamente, que acreditava basicamente em toda e qualquer coisa. As pessoas vinham a Éfeso de várias partes do mundo para seguir falsas pregações que não levavam a lugar algum.

Quando Paulo se encontrou com os anciãos de Éfeso pela última vez, ele os advertiu para serem vigilantes. Ele disse: "Cuidem de vocês mesmos e de todo o rebanho sobre o qual o Espírito Santo os colocou como bispos, para pastorearem a igreja de Deus, que ele comprou com o seu próprio sangue. Sei que, depois da minha partida, lobos ferozes penetrarão no meio de vocês e não pouparão o rebanho. E dentre vocês mesmos se levantarão homens que torcerão a verdade, a fim de atrair os discípulos. Por isso, vigiem! Lembrem-se de que durante três anos jamais cessei de advertir a cada um de vocês disso, noite e dia, com lágrimas." (Atos 20:28-31).

Paulo estava dizendo: "Temos que ser vigilantes. Temos que estar alertas, porque a única forma de afastar as trevas é deixar a radiante luz do Evangelho brilhar."

É incrível que, mais de 2000 anos após Paulo levar o Evangelho aos efésios, as coisas não tenham mudado muito. As pessoas ainda acreditam em falsos deuses, ainda colocam todas as coisas no lugar do verdadeiro Deus vivo, e querem achar um modelo de adoração que possa acomodar o estilo de vida que escolheram.

Mas, como Cristãos, não podemos baixar a guarda. Somos os vigias. Somos os guardiões da mensagem. Somos as testemunhas. E precisamos levar a mensagem do evangelho à nossa cultura, porque é a única coisa que pode mudá-la.

Por causa da pregação de Paulo, Éfeso virou de cabeça pra baixo. Mas, uma vez que as pessoas de lá se esqueceram de sua pregação, hoje a cidade está em ruínas.

Tem sido dito que aqueles que não se lembram do passado estão condenados a repeti-lo. Por isso, vamos lembrar de levar o Evangelho à nossa sociedade de hoje.
Link para o texto original

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Um Arauto do Rei

"Pois não deixei de proclamar-lhes toda a vontade de Deus." (Atos 20:27)

Quando prego o evangelho nos eventos da Harvest Crusade, sinto que tenho uma solene responsabilidade de passar o evangelho com exatidão — não distorcê-lo, não tirar nada dele e não acrescentar nada a ele.

Pessoas já me disseram: "Sabe, a mensagem que você passa é tão simples".

Exato. Eu me esforço para isso, pois quero deixar de fora as coisas não essenciais e manter no lugar as coisas centrais à mensagem do evangelho.

A palavra "proclamar" originalmente tinha o significado de declarar uma mensagem como arauto do rei. Um arauto declara o que o rei manda que ele declare. Como o apóstolo Paulo contou aos anciãos efésios: "Pois não deixei de proclamar-lhes toda a vontade de Deus" (Atos 20:27). Como arauto, preciso passar a mensagem toda. Meu trabalho de arauto é anunciá-la, proclamá-la.

E qual é essa mensagem que fomos chamados a trazer à nossa cultura hoje? É a mensagem do evangelho. A palavra evangelho significa "boa nova". É notícia boa num mundo mau. A má notícia é que todos pecamos e quebramos os mandamentos de Deus, e ficamos aquém de Sua glória. Não há nada que possamos fazer para endireitar isso com nossas próprias forças. Mas a boa notícia é que Deus nos amou tanto que mandou Seu próprio Filho Jesus Cristo para morrer na cruz em nosso lugar. E se deixarmos o nosso pecado e crermos em Jesus, podemos ser perdoados.

Algumas vezes há para um pregador a tentação de só falar dos tópicos que pessoalmente lhe interessem. Mas a realidade é que devemos passar tudo o que a Palavra de Deus tem a dizer.

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Vá em Busca do Ouro

"Vocês não sabem que dentre todos os que correm no estádio, apenas um ganha o prêmio? Corram de tal modo que alcancem o prêmio." (1 Coríntios 9:24)

Durante a escola primária, participei de muitas corridas. Eu nunca ganhei nenhuma delas, mas eu tinha muitas dessas medalhas honorárias na parede. As medalhas honorárias são basicamente um reconhecimento de que você existe.

Escrevendo aos crentes que viviam na antiga cidade de Éfeso, o apóstolo Paulo comparou a caminhada de um crente com Cristo com a de um corredor em uma corrida. Paulo gostava de usar analogias de corridas. Ele as usou muitas vezes. Ele escreveu: "Vocês não sabem que dentre todos os que correm no estádio, apenas um ganha o prêmio? Corram de tal modo que alcancem o prêmio." (1 Coríntios 9:24). Esse é o objetivo: ganhar. Não ganhar uma menção honrosa ou ficar em último lugar.

Paulo prosseguiu dizendo: "Mas esmurro o meu corpo e faço dele meu escravo, para que, depois de ter pregado aos outros, eu mesmo não venha a ser reprovado" (1 Coríntios 9:27). Em outras palavras, Paulo estava dizendo que ele tinha que jogar de acordo com as regras. Não podemos apenas criar as regras à medida que avançamos. Temos que correr a corrida do jeito que Deus nos diz para executá-la. E o livro de regras, por assim dizer, é a Bíblia. A Bíblia é muito mais do que um mero livro de regras, é claro. Mas nos diz o que não fazer, bem como o que devemos fazer.

Basicamente, precisamos fazer o que Deus diz em Sua Palavra. E Ele nos deu seus parâmetros para o nosso próprio bem, para nos impedir de danos e do perigo.

Então devemos correr para ganhar. Não há lugar para a mediocridade como um seguidor de Jesus Cristo. Devemos fazer o melhor que podemos fazer e dar o melhor que podemos dar a Deus. Vamos em busca do ouro.

terça-feira, 15 de agosto de 2017

Vara e Cajado

"A tua vara e o teu cajado me protegem." (Salmos 23:4)

A Bíblia fala muito sobre ovelhas, e menciona o fato de que nós mesmos somos como ovelhas. Ela também diz: "Todos nós, tal qual ovelhas, nos desviamos, cada um de nós se voltou para o seu próprio caminho [...]" (Isaías 53:6). A questão com as ovelhas é que elas precisam de pastores ao redor delas o tempo todo, guiando-as, protegendo-as e ajudando-as.

Uma das passagens mais conhecidas da Bíblia sobre as ovelhas é o Salmo 23, escrito por Davi, um pastor. Começa: "O Senhor é o meu pastor, nada me faltará. Deitar-me faz em verdes pastos, guia-me mansamente a águas tranquilas. Refrigera a minha alma; guia-me pelas veredas da justiça, por amor do seu nome." (Salmos 23:1-3).

As ovelhas precisam ser orientadas sobre quando é a hora de comer. E precisam ser informadas sobre quando é hora de se deitar e sobre quando beber um pouco de água. Elas não têm como se defender. Precisam do pastor para protegê-las, assim como nós também precisamos do nosso Pastor para nos proteger.

Mas Davi continua dizendo: "Ainda que eu andasse pelo vale da sombra da morte, não temeria mal algum, porque tu estás comigo; a tua vara e o teu cajado me consolam." (Salmos 23:4)" 

Um pastor usaria um cajado para manter as ovelhas onde elas deveriam estar, para guiá-las. Da mesma forma, às vezes, quando nos desviamos, Deus deve usar um cajado para nos trazer de volta.

Se o cajado não funcionasse, no entanto, o pastor tinha em mãos outro instrumento: uma vara. Um pastor usaria uma vara quando a situação fosse séria.

Às vezes, Deus usará um cajado em nossas vidas. Mas às vezes Ele terá que usar uma vara.
Link para o texto original