sábado, 19 de abril de 2014

Uma Segunda Chance

"'Não tenham medo', disse ele. 'Vocês estão procurando Jesus, o Nazareno, que foi crucificado. Ele ressuscitou! Não está aqui. Vejam o lugar onde o haviam posto. Vão e digam aos discípulos dele e a Pedro: Ele está indo adiante de vocês para a Galiléia. Lá vocês o verão, como ele lhes disse’". (Marcos 16:6-7)

Você está precisando de uma segunda chance? Na primeira manhã de Páscoa, Pedro precisava muito de uma segunda chance. Lá, no local da última ceia, ele insistiu que nunca iria negar a Cristo. Mas, assim como Jesus havia predito, Pedro negou o Senhor... e, por três vezes. A última visão que Pedro teve de Jesus antes de sua crucificação foi no pátio do sumo sacerdote, onde ele fez contato visual com Jesus. E então ele saiu e chorou amargamente.

Que tipo de olhar você acha que Jesus deu a Pedro, quando seus olhos se cruzaram? Você acha que foi um daqueles olhares “eu te avisei”? Ou que foi um olhar de desprezo, como querendo dizer: "Como você pode me trair?" Não acho que tenha sido qualquer um desses. Acho que foi um olhar de amor, um olhar de compaixão, que disse: "Eu ainda te amo, Pedro." E acredito que é por isso que Pedro saiu e chorou amargamente. Ele tinha falhado tão feio com o Senhor. Provavelmente pensou que não havia esperanças para ele.

Mas, então, uma mensagem saiu do túmulo vazio que Jesus tinha ressuscitado, seguida por estas instruções: "Vá, diga aos discípulos e a Pedro..." Não foi: "Vá dizer aos discípulos, incluindo Pedro, Tiago e João..." Era apenas Pedro, porque Pedro precisava de uma palavra especial de encorajamento.

Você está precisando de encorajamento hoje? Talvez você tenha fracassado. Você não planejou isso, mas aconteceu. E, assim como Pedro, talvez você tenha ficado com pessoas erradas, no lugar errado, na hora errada e acabou fazendo a coisa errada. Deus deu a Pedro uma segunda chance. E Ele vai lhe dar uma também, porque a Páscoa é para pessoas que precisam de uma segunda chance.

sexta-feira, 18 de abril de 2014

Do Comum ao Extraordinário

"Pois os olhos do Senhor estão atentos sobre toda a terra para fortalecer aqueles que lhe dedicam totalmente o coração. [...]" (2 Crônicas 16:9)

Há muitos anos atrás ocorreu uma conversa entre D. L. Moody (antes que ele se tornasse um grande evangelista) e um outro homem. Este homem disse a Moody: "O mundo ainda não viu o que Deus pode fazer com e através de uma pessoa que seja totalmente comprometida com Ele".

Essas palavras penetraram profundamente no coração de Moody e ele orou: "Senhor, eu quero ser esse homem." E, com certeza, ele foi.

O livro de Atos é uma história de homens e mulheres comuns que fizeram coisas extraordinárias porque permitiram que Deus agisse à Sua maneira nas vidas deles. Da mesma forma Deus quer usar você para transformar o mundo para Cristo.

Tudo começa com você dizendo: "Senhor, eu quero fazer a diferença. Eu não quero que esse mundo me transforme. Eu é que quero transformá-lo-lo. Usa-me." (ver Romanos 12:2).

O mundo ainda não viu o que Deus pode fazer com uma pessoa que seja totalmente comprometida com Ele. Será que Deus vai encontrar tais pessoas hoje em dia?
Seria surpreendente se, como Moody, você dissesse: "Eu quero ser esta pessoa."

Se você fizer isso, a sua vida pode fazer toda a diferença. Será emocionante ver o que Deus fará com e através de você. Mas, para isso, é necessário que você esteja totalmente disponível para Ele.

Qualquer dia desses a sua vida vai chegar ao fim. Nesse dia então, o que você diria da sua vida? O que os outros vão dizer?

Como seria bom dizer, como Paulo: "Combati o bom combate, terminei a corrida, guardei a fé" (2 Timóteo 4:7).

- E você, o que você diria?

quinta-feira, 17 de abril de 2014

Uma Fé Inabalável

"O Senhor me livrará de toda obra maligna e me levará a salvo para o seu Reino celestial. A ele seja a glória para todo o sempre. Amém." (2 Timóteo 4:18)

Uma das coisas que mais me impressionam no apóstolo Paulo é que parece que ele sempre conseguia erguer-se acima de qualquer situação e aproveitar todas as oportunidades para pregar o evangelho.

Lemos no livro de Atos que quando Paulo e Silas foram jogados na prisão, começaram a cantar louvores a Deus à meia-noite. Sobreveio um terremoto, caíram os muros e, de uma hora para outra, o carcereiro que era responsável por acorrentá-los e açoitá-los estava perguntando: "Que devo fazer para ser salvo?"

Depois, quando Paulo foi levado a diversos dignatários de Roma, dominou todas as situações. Por exemplo, quando estava perante Félix, argumentou acerca da justiça, do domínio próprio e do julgamento por vir. Quando esteve diante de Festo e de Herodes Agripa II, disse: "Por que vocês haveriam de achar inacreditável que Deus ressuscite os mortos?" Fez esta pergunta a Herodes Agripa II: "Você acredita nos profetas? Sei que acredita".
Ele foi ainda prisioneiro num navio, e logo a tripulação, o capitão, os soldados e o centurião romano recebiam ordens suas - e todos lhe davam ouvidos!

Paulo era ousado. Não parecia ter medo de nada. Nunca parecia abater-se. E a sua vida nem sempre era fácil. Na verdade, foi muito difícil. Mas as palavras que ele escreveu aos crentes de Filipos pareciam sempre verdadeiras: "[...] aprendi a adaptar-me a toda e qualquer circunstância" (Filipenses 4:11).

Ele estava inteiramente convicto da fidelidade de Deus e era sustentado por essa convicção.

quarta-feira, 16 de abril de 2014

Nunca Sozinhos

"Pois ontem à noite apareceu-me um anjo do Deus a quem pertenço e a quem adoro, dizendo-me: ‘Paulo, não tenha medo. É preciso que você compareça perante César; Deus, por sua graça, deu-lhe as vidas de todos os que estão navegando com você'." (Atos 27:23-24)

E outra vez, Deus lembrou Paulo da Sua presença, sem dúvida, quando ele mais precisava. Deus sabe do que precisamos e quando precisamos dEle.

Ele sabia quando Paulo poderia usar essa garantia extra. Quando ele estava na cela da prisão em Jerusalém, o Senhor apareceu e disse-lhe para ser corajoso (veja Atos 23:11). Depois da prisão em Roma, ele escreveu a Timóteo: "Mas o Senhor permaneceu ao meu lado e me deu forças..." (2 Timóteo 4:17).

De algum modo especial, Deus assegurou Paulo de Sua presença. Atos 27 nos fala que o Senhor enviou um anjo para tranquilizá-lo.

Você pode fazer um exame do coração em meio a perigos ou incertezas, mas com a consciência da presença de Deus em sua vida. Quando o seu coração adoece, quando parece que a sua vida está desmoronando, é importante lembrar que o Senhor está com você. Você nunca está sozinho.

Não, nem sempre há respostas fáceis. Mas podemos ter certeza: Ele estará conosco no meio da tempestade.

Deus estava de pé ao lado de Paulo e Deus está conosco também em nossas tempestades. Isto não quer dizer necessariamente que Ele enviará um anjo, ou que ouviremos uma voz audível. Mas, se prestarmos atenção, podemos ouvir a voz mansa e suave de Deus. E, certamente, Ele falará a nós através da Sua Palavra. Então, como Paulo, poderemos tranquilizar os outros de que o Senhor está no controle.

terça-feira, 15 de abril de 2014

Atravessando Tempestades

"Assim, tenham ânimo, senhores! Creio em Deus que acontecerá do modo como me foi dito." (Atos 27:25)

Às vezes podemos pensar que, se estamos sob a vontade de Deus, navegaremos sempre por águas tranquilas. Mas muitas vezes é exatamente o oposto. Portas batem na nossa cara, obstáculos aparecem em nossos caminhos e tempestades surgem para nos colocar fora de rumo.

É por isso que precisamos nos lembrar que há um inimigo que quer que paremos de fazer as coisas que Deus quer que façamos.

Mesmo quando o apóstolo Paulo percorria o seu caminho fazendo a vontade de Deus, ele passou por momentos difíceis. Uma incrível tempestade atingiu o barco em que ele e outras pessoas estavam, fazendo-as temer por suas vidas. Mas não havia obstáculo grande o bastante para deter Paulo. Ele sempre conseguia se sobrepor às circunstâncias.

À medida em que atrevessava a tempestade, Paulo sabia que Deus havia lhe mostrado o que fazer, e que Ele não deixaria que nada o desviasse desse objetivo.

Quando um momento difícil chega, quando uma crise aparece, quando uma tragédia acontece, frequentemente queremos sair delas. Pedimos a Deus por um alívio e solução aos nossos problemas.

Mas muitas vezes Deus quer que aprendamos enquanto estamos vivendo esses problemas. Romanos 8:35-37 diz: "Quem nos separará do amor de Cristo? Será tribulação, ou angústia, ou perseguição, ou fome, ou nudez, ou perigo, ou espada? Como está escrito: 'Por amor de ti enfrentamos a morte todos os dias; somos considerados como ovelhas destinadas ao matadouro'. Mas, em todas estas coisas somos mais que vencedores, por meio daquele que nos amou." Observe a frase "Em todas estas coisas". Não está dizendo que não passaremos por essas coisas. Está dizendo que nessas coisas somos mais que vencedores.

Se você quer obedecer a Deus, então espere por oposição. Espere por obstáculos e por dificuldades.
Mas espere  também  pelo auxílio de Deus para passar por tudo isso.

segunda-feira, 14 de abril de 2014

A Raiz do Problema

"Pois decidi nada saber entre vocês, a não ser Jesus Cristo, e este, crucificado." (1 Coríntios 2:2)

Tenho recebido ao longo dos anos muitas cartas convidando a me envolver com alguma causa, para participar de um boicote ou de uma marcha. Admiro as pessoas que saem a defender o que é certo e acho que, como cristãos, precisamos marcar presença nessa cultura e sociedade tão problemática.

Mas, pessoalmente, tenho escolhido atacar a raiz do problema, que é o pecado. Escolhi tentar ajudar essa sociedade pela pregação do evangelho, porque descobri que uma mudança no estilo de vida não traz salvação. Mas a verdadeira salvação sempre trará uma mudança no estilo de vida.

Quando o apóstolo Paulo foi a Roma, havia muitos problemas sociais que ele poderia ter abordado. Em vez disso, ele optou por atacar a raiz do problema. Roma era uma cidade cheia de escravos, mas Paulo não centrou sua pregação na escravidão. Roma era uma cidade de imoralidade desenfreada, mas Paulo não centrou sua mensagem sobre uma reforma moral. Roma era uma cidade de corrupção financeira, mas Paulo não centrou a sua pregação sobre os problemas do presente.

Sua mensagem era simples. Ele atacou a raiz. Deu-lhes o evangelho.

Eu posso trabalhar para trazer reforma e moralidade à minha cultura e sociedade. Posso até trabalhar para ajudar a obter leis aprovadas que irão diminuir a propagação do pecado e da corrupção. Mas se eu puder levar outros a Cristo, sua moral e seus estilos de vida mudarão radicalmente. Não só eles terão a esperança do céu, como também serão pessoas diferentes na sociedade em que vivvem.

sexta-feira, 11 de abril de 2014

Quando Deus Parece Distante

"João, ao ouvir na prisão o que Cristo estava fazendo, enviou seus discípulos para lhe perguntarem: 'És tu aquele que haveria de vir ou devemos esperar algum outro?'" (Mateus 11:2-3)

- Já aconteceu alguma coisa na sua vida que o tenha levado a perguntar: "Onde está Deus?"
Nada menos do que o maior profeta de todos os tempos, João Batista, enfrentou esta luta.

João Batista tinha posto tudo em ordem para Jesus Cristo. Ele O batizou no rio Jordão. Ele indicou seus próprios discípulos para Jesus, o qual ele acreditava ser o Messias. João Batista claramente havia prometido sua lealdade completa a Jesus.

No entanto, uma série de estranhos eventos ocorreram depois disso. Num momento, ele estava pregando às multidões e batizando as pessoas e, no momento seguinte, estava na prisão prestes a ser executado.

O grande João Batista começou a ter algumas dúvidas. Assim, ele enviou seus discípulos a Jesus com esta pergunta: "És tu aquele que haveria de vir ou devemos esperar algum outro?"

Os discípulos de Jesus e João comumente acreditavam que Jesus iria estabelecer o Seu reino imediatamente. Mas eles falharam em reconhecer que, antes de Cristo estabelecer o Seu reino, Ele primeiro teria que sofrer e morrer pelos pecados de toda a humanidade. João Batista interpretou mal as profecias das Escrituras; e, portanto, pensou que Jesus não estava fazendo o que deveria fazer.

Às vezes, também não compreendemos Deus e a Sua Palavra, quando Ele não faz o que pensamos que deveria fazer, ou quando Ele não age tão rápido quanto gostaríamos. Mas, mesmo quando não podemos compreender os caminhos de Deus, Seus métodos ou o Seu tempo, Ele ainda nos convida a confiar n'Ele.
E Ele é absolutamente fiel e digno de confiança.