quinta-feira, 25 de abril de 2019

O Lado Positivo das Dificuldades

"Foi bom para mim ter sido castigado, para que aprendesse os teus decretos. Para mim vale mais a lei que decretaste do que milhares de peças de prata e ouro." (Salmos 119:71-72)

Eis o resumo do problema: a nossa definição do que é bom é aquilo que nos beneficia aqui e agora, não na vida eterna que virá. Em outras palavras: interessa-nos aquilo que nos beneficia temporariamente, mas interessa a Deus aquilo que nos beneficia eternamente. Interessa-nos aquilo que nos deixa felizes por um tempo, mas interessa muito mais a Deus aquilo que nos santifica.

Dificuldades nos igualam e nos mantêm humildes. Sucesso ou prosperidade têm a tendência de deixar as pessoas orgulhosas e egocêntricas. Podemos não sentir muita necessidade de Deus quando temos nosso salário, nossos investimentos, nossa carreira, nossa poupança, nossa saúde e nossa família. Mas quando a economia afunda ou o mercado cai ou a nossa casa pega fogo, temos a oportunidade de voltar para Deus de todo o coração, relembrados do que realmente importa na vida.

A verdade é que você e eu não devíamos ter tanto medo da dor. Há uma coisa pior do que a dor: a prosperidade que nos leva a esquecer de Deus.

Dificuldades ensinam verdades eternas que de outro modo talvez não aprendêssemos. Para a maior parte de nós, o objetivo na vida é evitar a dor a todo custo. No fundo, só queremos fugir da dor sempre que possível. Queremos ficar mais em forma e mais bonitos na roupinha da academia, mas não queremos penar nem suar.

Sem um pouco de dor não há resultado? Ai, ai: é verdade. E o que vale para a academia e para a ginástica também vale na vida. Nossa dor nos lembra de uma necessidade maior: a necessidade de Deus em nossas vidas. E Deus nos dá lições, no fundo desses vales, que não aprenderíamos no alto das montanhas.

quarta-feira, 24 de abril de 2019

Duas Casas, Duas Fundações

"Fortalecendo os discípulos e encorajando-os a permanecer na fé, dizendo: 'É necessário que passemos por muitas tribulações para entrarmos no Reino de Deus'." (Atos 14:22)

Nem sempre gostamos de ler um verso como esse. Preferiríamos a passagem que diz: "Através de muitos dias de felicidade perpétua, entramos no reino de Deus." Mas isso não é a Escritura, nem tampouco a vida. Provações e tribulações virão. Jó disse bem: "O homem nascido de mulher vive pouco tempo e passa por muitas dificuldades" (Jó 14:1).

Jesus contou certa vez uma história sobre dois homens que construíram duas casas. Elas podem ter sido construídas ao mesmo tempo, próximas uma da outra, e até com a mesma planta. Um dos construtores, no entanto, ergueu a sua casa na areia instável, enquanto o outro construiu sobre uma fundação de rocha firme.

Então as tempestades vieram, atingindo ambas as casas - duramente! A casa que havia sido construída na areia desabou e caiu sobre si mesma, enquanto a casa construída sobre a rocha permaneceu firme. A moral óbvia da história é construir sua vida em uma fundação que durará, como a que encontramos nas páginas da Palavra de Deus.

Mas aqui está uma aplicação que às vezes deixamos escapar: A tempestade chegou às duas vidas. O vento batia nas duas casas. A chuva caía em ambos os canteiros de obra. O homem, que era sábio e cuidadoso, que escolheu uma fundação estável, foi atingido pelos mesmos ventos fortes (como de um furacão) que atingiram o homem tolo, que seguiu atalhos e não se preocupou em se preparar com antecedência.

Todos nós vamos experimentar tempestades na vida. Coisas boas nos acontecerão, assim como coisas trágicas e inexplicáveis. Toda vida terá sua parcela de dor. Mesmo assim, temos um Deus que, apesar da pior tragédia, pode trazer o bem do mal. Isso não quer dizer que Deus fará do mal o bem porque o mal é ruim. Mas é para dizer que o bem pode sair do mal. Como Romanos 8:28 afirma: "Sabemos que Deus age em todas as coisas para o bem daqueles que o amam, dos que foram chamados de acordo com o seu propósito."

A vida é um processo e, como seres finitos que vivem momento a momento, não podemos enxergar além da curva. Não podemos discernir os propósitos finais de Deus. Mas podemos saber que o resultado final será bom... porque Ele é bom.

terça-feira, 23 de abril de 2019

Para Confortar os Outros

"Pois assim como os sofrimentos de Cristo transbordam sobre nós, também por meio de Cristo transborda a nossa consolação." (2 Coríntios 1:5)

Se alguém acaba de descobrir que está com câncer e se você for um sobrevivente de câncer, você não tem ideia de quanto encorajamento e perspectiva você pode trazer para essa pessoa, que está se sentindo como se condenada à morte.

Se você teve alcoolismo em seu passado e Deus graciosamente livrou-lhe dessa praga e impediu que você caísse nela novamente, sua vida pode trazer uma grande esperança para alguém que ainda está nas garras do vício.

Ou talvez um casal que você conheça tenha perdido uma criança devido a uma doença ou a um terrível acidente e eles estejam à beira do desespero, sentindo que não sobreviverão ao dia de amanhã. Mas, digamos que você também tenha perdido uma criança no passado e Deus lhe trouxe cura. Então você poderá lhes dizer: "Nós também perdemos uma criança e foi a coisa mais difícil pela qual já passamos. Mas, embora ainda choremos por nosso filho e sintamos a sua falta todos os dias, lidando ainda com muita dor, queremos que você saiba que Deus pode ajudá-lo em cada passo do caminho. A Sua Graça realmente será suficiente para você."

Você não tem ideia de quanto conforto isso pode trazer. E seria algo que só você poderia dizer. Ninguém mais poderia dizer essas palavras com tanta credibilidade. Só quem passa sabe realmente como é.

O apóstolo Paulo, que conheceu bem o que é o sofrimento, escreveu: "Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, Pai das misericórdias e Deus de toda a consolação, que nos consola em todas as nossas tribulações, para que, com a consolação que recebemos de Deus, possamos consolar os que estão passando por tribulações. Pois assim como os sofrimentos de Cristo transbordam sobre nós, também por meio de Cristo transborda a nossa consolação" (2 Coríntios 1:3-5).

Deus lhe dará esse conforto - muito além do que você possa imaginar - para que você possa confortar os outros.

segunda-feira, 22 de abril de 2019

Nuvem de Testemunhas

"Portanto, também nós, uma vez que estamos rodeados por tão grande nuvem de testemunhas, livremo-nos de tudo o que nos atrapalha e do pecado que nos envolve e corramos com perseverança a corrida que nos é proposta, tendo os olhos fitos em Jesus, autor e consumador da nossa fé [...]" (Hebreus 12:1-2)

O que é essa "grande nuvem de testemunhas" à qual a Bíblia se refere?

Uma boa dica é o fato de que Hebreus 12 vem logo depois de Hebreus 11. E o capítulo 11 é um registro dos grandes homens e mulheres de fé que morreram servindo a Deus. Às vezes nos referimos a este livro como o "Hall da Fé". Ali lemos sobre Abraão, Moisés, José, Gideão, Sansão, Davi, Raabe, Daniel... e a lista continua.

Então, quem são as testemunhas em Hebreus 12:1? Uma interpretação diz que elas são simplesmente pessoas de fé que viveram antes de nós, nos dando um modelo a seguir para que pudéssemos viver e exercer a nossa fé como elas também fizeram. Ler sobre a vida desses homens e mulheres que andaram com Deus, confiaram em Cristo (mesmo antes de sua vinda) e se mantiveram fortes diante das provações e perseguições pode tornar as nossas almas como verdadeiras fortalezas.

Estamos na corrida de nossas vidas na Terra e não sabemos quando ela vai terminar. Eu  só sei, com certeza, é que Jesus está nos observando, passo a passo, momento a momento.

sexta-feira, 19 de abril de 2019

Permeados

"Pois Deus não nos deu espírito de covardia, mas de poder, de amor e de equilíbrio." (2 Timóteo 1:7)

Às vezes, quando ouvimos que uma pessoa é "espiritual", pensamos nela como alguém que está "fora de área", não vivendo no mundo real ou (como posso dizer...) estranha. Mas nada poderia estar mais longe da verdade, porque alguém verdadeiramente espiritual também será uma pessoa muito prática.

Um crente cheio do Espírito viverá uma vida que honra e gloria a Deus. Efésios 5:18-19 nos diz: "[...] mas deixem-se encher pelo Espírito, falando entre si com salmos, hinos e cânticos espirituais, cantando e louvando de coração ao Senhor."

Quando pensamos em ser cheios do Espírito, podemos imaginar uma forte experiência emocional. E embora ser cheio do Espírito possa incluir emoções, não será necessariamente sempre assim. 

O que exatamente o apóstolo Paulo quis dizer quando usou o termo cheio? Uma tradução da palavra retrata um vento constante enchendo as velas de um navio. Então a ideia é que o vento de Deus quer encher as velas do seu navio enquanto você se move pelo mar da vida. Em outro lugar nas Escrituras, a mesma palavra é traduzida como "permeada", retratando a verdade que Deus quer absorver e rechear tudo o que dizemos, pensamos ou fazemos.

Ser cheio do Espírito significa que o Espírito Santo faz parte de tudo o que você está envolvido. Ele faz parte da sua vida de oração. Ele faz parte da sua vida de adoração. Ele faz parte da sua vida comercial. Ele faz parte das suas férias. Ele faz parte de tudo o que toca a sua vida de alguma forma. É isso que é ser um crente cheio do Espírito e liderado pelo Espírito.

Trata-se de uma experiência grande e única, que raramente se repete?
Claro que não. Na linguagem original implica em algo que você deveria receber continuadamente. Seja continuamente cheio do Espírito.

quinta-feira, 18 de abril de 2019

Onde o Poder Está?

"Pois a mensagem da cruz é loucura para os que estão perecendo, mas para nós, que estamos sendo salvos, é o poder de Deus." (1 Coríntios 1:18)

Certa vez perguntei a Billy Graham: "Se você tivesse que fazer tudo de novo, quando era um pregador mais jovem, há coisas que você enfatizaria naquela época e que esteja enfatizando somente agora?"
Sua resposta me surpreendeu. Sem qualquer hesitação, ele disse:
-"A cruz de Cristo e o Seu sangue. É aí que está o poder."

Lembrei-me disso. Tomei nota disso como pregador: a cruz de Cristo e o Seu sangue. Isso é o que ele enfatizaria mais. É aí que está o poder.

Tudo converge para a cruz. Qualquer apresentação eficaz do evangelho irá convergir para a cruz. Você pode falar sobre a solidão, sobre esperança e sobre vida além da morte. Mas tudo se resume à cruz.

Paulo disse: "Irmãos, quero lembrar-lhes o evangelho que lhes preguei, o qual vocês receberam [...] Cristo morreu pelos nossos pecados, segundo as Escrituras, foi sepultado e ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras" (1 Coríntios 15:1,3-4).

Precisamos nos lembrar disso como cristãos. Talvez você não se considere um teólogo ou o maior intelectual de todos os tempos, mas você pode contar a história do que Jesus fez na cruz e como Ele morreu e derramou o Seu sangue por nós. Há poder nessa mensagem simples. Eu observei isso transformar várias vidas porque Deus unge, abençoa e usa isto para penetrar nas defesas que as pessoas podem ter.

Jesus morreu na cruz por nós. É aí que está o poder.

quarta-feira, 17 de abril de 2019

Além do Que os Olhos Podem Ver

"Eles servem num santuário que é cópia e sombra daquele que está nos céus, já que Moisés foi avisado quando estava para construir o tabernáculo: 'Tenha o cuidado de fazer tudo segundo o modelo que lhe foi mostrado no monte'." (Hebreus 8:5)

Frequentemente temos a tendência a pensar sobre o Céu como um lugar surreal e a Terra como real. Em outras palavras, nosso ponto de referência é a Terra. Essa é a Terra. É real. E o céu? Bom, quem sabe ao certo?

Na verdade, é o oposto:  o Céu é que é real e a Terra, temporária. Ela é apenas uma pálida versão do Céu, e não o oposto.

Deus ordenou Moisés a construir um tabernáculo como o que existe no Céu. E, em Hebreus 8:5, lemos que os sacerdotes no tempo do Novo Testamento serviam e adoravam a Deus em um lugar que era apenas uma cópia, uma réplica do verdadeiro local que estava no Céu. De fato, quando Moisés se preparava para construir o tabernáculo, Deus lhe deu um aviso. Ele disse: "Tenha o cuidado de fazer tudo segundo o modelo que lhe foi mostrado no monte" (Hebreus 8:5).

Deus quis deixar claro a Moisés que o original estava no Céu e a cópia estava na Terra. Citando C. S. Lewis: "Os montes e vales do Céu serão, para aqueles que hoje vocês vivenciam na Terra, não como a cópia do original, mas como a raiz para a flor, como o carbono para o diamante."

Como seres terrenos, temos a tendência a refletir sobre o Céu com base na Terra. O que deveríamos fazer é o contrário. A partir do Céu, refletir sobre a Terra. O Céu é o lugar pra valer, o local para a habitação eterna. A terra é a cópia, a habitação temporária.

Quando você vir aquele por do sol ou aquela vista panorâmica, que expressa Deus na natureza, aquela beleza de tirar o fôlego, lembre que isso é apenas uma fração daquilo que lhe aguarda no Céu.