segunda-feira, 15 de outubro de 2018

Guardadas no Depósito Celestial

"Ao recebê-lo, os quatro seres viventes e os vinte e quatro anciãos prostraram-se diante do Cordeiro. Cada um deles tinha uma harpa e taças de ouro cheias de incenso, que são as orações dos santos" (Apocalipse 5:8)

Há momentos em que a vida simplesmente não parece justa. Acontecem coisas que não fazem sentido e nos perguntamos por que Deus não respondeu à nossa oração.

Mas Ele responderá a sua oração - do Seu jeito, para a Sua glória, no Seu tempo.

Apocalipse 5:8 nos dá este detalhe interessante sobre o Céu: "[...] os vinte e quatro anciãos prostraram-se diante do Cordeiro, cada um com uma harpa e taças de ouro cheias de incenso, que são as orações dos santos." Quando estivermos no Céu diante do trono de Deus, e quando aquelas taças de ouro, cheias de orações, forem trazidas diante de nós, perceberemos que Deus ouviu cada pequena oração que fizemos. E acho que também entenderemos que Sua resposta foi muito melhor do que pedimos naquele momento.

Vamos perceber que Deus rejeitou algo que pedimos porque aquela não era a melhor oração. O que não percebemos hoje é que a dificuldade ou a tragédia ou um determinado evento inexplicável acabará levando àquela circunstância que tocará uma pessoa, que afetará o problema em jogo.

Será como uma longa reação em cadeia que produzirá isso, isso e aquilo, tudo para a glória de Deus. Então, a coisa que você queria tinha que ir embora, ou aquela circunstância tinha que surgir para produzir essas outras coisas e, finalmente, você daria a glória a Deus. Enquanto isso, você terá que confiar n'Ele, sabendo que tudo será revelado no Céu quando estivermos diante do Senhor.

Algumas orações são respondidas imediatamente, enquanto outras estão sendo mantidas num depósito celestial para uma resposta futura.

Deus não apenas mantém as nossas lágrimas em um odre (veja Salmos 56:8). Ele também mantém as nossas orações em uma taça. Deus nunca despreza as nossas orações. Ele as guarda para nós.

sexta-feira, 12 de outubro de 2018

Louvores na Madrugada

“Conceda-me o Senhor o seu fiel amor de dia; de noite esteja comigo a sua canção. É a minha oração ao Deus que me dá vida.” (Salmos 42:8)

Alguma vez você já acordou no meio da noite e uma música de louvor estava na sua cabeça? Se sim, isso me diz que você busca as coisas de Deus no seu coração. Ao invés de acordar com o último lançamento de música pop na sua cabeça, você pensa em uma música cristã, ou mesmo em algum verso das Escrituras. Essa é uma música que Deus lhe deu. 

Quando Paulo e Silas foram jogados na prisão em Filipos, Atos 16:25 nos diz que: “Por volta da meia-noite, Paulo e Silas estavam orando e cantando hinos a Deus; os outros presos os ouviam.” 

A palavra “ouviam” aqui é bem significativa. No original, significa ouvir com muito, muito cuidado. Outra forma de traduzir o trecho seria “E eles ouviam com prazer.” Há algumas coisas que não são prazerosas quando ouvimos – são dolorosas, como arranhões em um quadro negro. Mas aquelas foram coisas prazerosas, como quando sua música preferida toca no rádio e você aumenta o som. “Nossa, adoro essa música. Aumenta aí.” Foi assim que os prisioneiros ouviram quando Paulo e Silas oraram e cantaram. 

Duvido que eles já tivessem ouvido alguém cantar naquela masmorra antes. E acredito que apenas pelo fato de estarem cantando e orando em um lugar como aqueles, isso já era por si só um grande testemunho. Era uma ferramenta para evangelizar. Sabe, você pode falar sobre confiar em Deus na adversidade, mas quando alguém realmente vê isso em sua vida, há uma autenticidade inegável nisso. É um testemunho poderoso. O louvor pode ser uma ferramenta poderosa quando alguém que não é cristão o experimenta. 

Quando você não estiver bem, a meia-noite pode não ser o horário mais fácil para encontrar uma igreja aberta com louvores, mas Deus pode lhe dar canções em seu coração nessa hora. E nunca duvide: as pessoas estarão ouvindo.

quinta-feira, 11 de outubro de 2018

Ônus ou Bônus?

"[...] uma vez que estamos rodeados por tão grande nuvem de testemunhas, livremo-nos de tudo o que nos atrapalha e do pecado que nos envolve [...]" (Hebreus 12:1)

Certa vez ouvi falar de uma grande violinista de concertos, a quem foi perguntado qual o segredo de suas grandes apresentações. Ela respondeu: "Desinteresse planejado! Qualquer coisa que possa me impedir de treinar e tocar bem deve ser rejeitada."

Acho que faria bem a alguns de nós um pouco de desinteresse planejado na vida, pois temos mais besteira nela do que conseguimos perceber. Se você não acredita, experimente mudar de casa. Não é impressionante quantas besteiras a gente junta? É a mesma coisa em nossas vidas. Juntamos um monte de coisas das quais não precisamos. Periodicamente temos de descarregar o excesso de peso e largar mão de algumas delas.

Quando a corrida da vida fica difícil, gostamos de culpar a situação, as outras pessoas ou, às vezes, até Deus. Mas precisamos nos lembrar que a culpa é somente nossa, se tropeçarmos ou cairmos. A Bíblia diz que Deus com "Seu divino poder nos deu todas as coisas de que necessitamos para a vida e para a piedade, por meio do pleno conhecimento daquele que nos chamou para a sua própria glória e virtude" (2 Pedro 1:3).

A Bíblia também manda nos livrarmos de tudo que nos atrapalhe e impeça nosso avanço (ver Hebreus 12:1). Note a diferença: não é só para nos livrarmos do pecado; é para nos livrarmos também do peso. Sugeri antes que você se perguntasse: "Esta preocupação ou atividade na minha vida é um bônus ou um ônus? Em outras palavras: ela me acelera nesta corrida que estou correndo? Ou é só um ônus — algo que me atrasa?"

Davi teve a noção certa quando orou assim: "Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração; prova-me, e conhece as minhas inquietações. Vê se em minha conduta algo que te ofende, e dirige-me pelo caminho eterno" (Salmo 139:23-24).

quarta-feira, 10 de outubro de 2018

Pela Fé

“Visto que andamos por fé e não pelo que vemos.” (2 Coríntios 5:7

Os autores inspirados das escrituras não usaram os termos “andamos por fé” aleatoriamente. Essas três palavras estão lá por um motivo. Perceba que a Bíblia não nos diz para correr por fé; mas sim para andar por fé. “Andar” refere-se a algo contínuo e regular. A Bíblia diz que Enoque andou com Deus. Muitos crentes têm suas explosões de energia e, por alguns meses, eles correm. E depois desanimam por um tempo. Eles precisam aprender o que é andar com Deus.

É claro que a maioria de nós gosta que as coisas aconteçam rapidamente. Preparamos o jantar no microondas, usamos e-mails, celulares e mensagens instantâneas. Temos muita tecnologia para facilitar as nossas vidas e, o mais importante, para tornar as coisas mais rápidas. Portanto, quando analisamos nossa vida com Cristo, dizemos: “Certo, qual é o caminho mais curto? Qual é o atalho?”

Mas, aqui está o que devemos fazer: “O justo viverá pela fé” (Romanos 1:17). É um processo diário. Estamos sempre procurando um caminho mais curto por dentro da trilha, mas o segredo é muito simples. A Bíblia declara que devemos viver pela fé – não pelo que sentimos, não pelas nossas emoções, por medo ou preocupações – mas pela fé.

Sei que, às vezes, pode parecer que nada está acontecendo em nossas vidas no quesito crescimento espiritual. Há momentos em que realmente não percebemos que estamos mudando, uma vez que, como convivemos com nós mesmos todos os dias, não necessariamente vemos tal mudança. Porém, na medida em que estamos andando pela fé dia após dia, mês após mês, e ano após ano, estamos sendo transformados.

Colossenses 2:6-7 nos diz: “Portanto, assim como vocês receberam a Cristo Jesus, o Senhor, continuem a viver nele, enraizados e edificados nele, firmados na fé, como foram ensinados, transbordando de gratidão.”

terça-feira, 9 de outubro de 2018

Moldados Pelo Sofrimento

"Por isso, por amor de Cristo, regozijo-me nas fraquezas, nos insultos, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias. Pois, quando sou fraco é que sou forte." (2 Coríntios 12:10)

Numa recente visita à Carolina do Norte - EUA, dirigi por uma cidade chamada Vila da Zombaria. Eu deveria ter nascido lá. Antes de me tornar cristão, sempre gostei de zombar de outras pessoas. Então, quando me tornei um seguidor de Jesus, fiquei chocado ao descobrir que era eu o sujeito que passara a ser ridicularizado. As pessoas riam de mim por causa da minha fé em Cristo.

E foi exatamente isso o que aconteceu com Paulo - só que de uma maneira muito mais intensa. Logo após a sua conversão, Paulo começou a pregar o evangelho em Damasco. Só que ele era tão poderoso e persuasivo, que os líderes religiosos o queriam morto.

Os cristãos, sabendo disso, articularam um plano para ajudar Paulo a escapar. Eles o colocaram em uma cesta e a abaixaram pela muralha da cidade à noite. Pense na ironia! Pouco tempo antes, ele era Saulo de Tarso, o notório perseguidor de cristãos. Mas então o caçador tornou-se a caça. Ele estava sentindo o gosto de seu próprio veneno.

A mudança de nome de Saulo para Paulo dá uma ideia da verdadeira transformação que ocorreu. O primeiro rei de Israel foi chamado Saul(o). Em contraste, Paulo significa "pequeno". Obviamente, Deus havia transformado Paulo em um homem humilde.

Às vezes, queremos que Deus tire certas coisas de nossas vidas que nos causam dor. Oramos repetidas vezes para que essas coisas sejam removidas. Mas, será que paramos para pensar que Deus está usando essas coisas em nossas vidas para nos transformar e nos tornar mais semelhantes a Ele?

segunda-feira, 8 de outubro de 2018

A Mãe Que Orou

"Jesus respondeu: 'Mulher, grande é a sua fé! Seja conforme você deseja'. E naquele mesmo instante a sua filha foi curada" (Mateus 15:28)

Quando oramos por algo que acreditamos ser a vontade de Deus, não devemos desistir. Continue perguntando, continue procurando e continue batendo à porta - foi o que Jesus nos disse para fazer. De fato, quando Jesus viu a grande fé de uma mãe de Canaã, que fazia exatamente isso, Ele lhe deu carta branca, por assim dizer: "Seja conforme você deseja".

Aquela mãe acreditava que o que ela estava pedindo era a vontade de Deus e ela não desistiria. Talvez você, como aquela mãe, tenha um filho que está sob a influência do diabo hoje. Ele ou ela rejeitou a sua influência, pelo menos por enquanto. É difícil porque você criou essa criança nos caminhos do Senhor. E a mesma coisa para a qual você preparou o seu filho - para se tornar independente - acabou acontecendo. Meu conselho é: espere. Você vai passar também por isso.

Aquilo em que você pode acreditar ser o pior cenário possível, pode ser o passo para levar o seu filho a uma verdadeira e sincera fé. A revolta pode ser difícil de suportar agora, mas também pode ser de curta duração. E, pode ser necessária para levar o seu filho ao ponto de perceber a sua necessidade de Jesus Cristo. Nossos filhos precisam ter essas convicções em seus corações como suas e não apenas como convicções de sua mãe ou pai. Isso pode até significar um desvio para a terra dos pródigos ou chegar ao fundo do poço, mas não desista.

sexta-feira, 5 de outubro de 2018

Deus de Pele e Osso

"Aquele que é a Palavra tornou-se carne e viveu entre nós. Vimos a sua glória, glória como do Unigênito vindo do Pai, cheio de graça e de verdade." (João 1:14)

Certa vez ouvi a história de um garoto que estava com medo numa noite, durante uma grande tempestade. Aterrorizado, ele gritou do seu quarto: "Papai, estou com medo!"

Seu pai, não querendo sair da cama, gritou "Não se preocupe, meu filho. Deus ama você e vai cuidar de você".

Houve um momento de silêncio. E o menino respondeu "Eu sei que Deus me ama, mas neste momento preciso de alguém de pele e osso".

Às vezes nosso grande e maravilhoso Deus parece intocável. Mas é aí que entra a pessoa de Jesus. Ele é Deus em pele e osso, caminhando entre nós e demonstrando como Deus é. Creio que C. S. Lewis fez uma ótima colocação: "O Filho de Deus se tornou um homem, para que os homens pudessem se tornar filhos de Deus".

Deus se tornou humano, para que você pudesse se tornar um filho Dele. Você não nasceu na condição de filho de Deus; a Bíblia diz que você precisa nascer de novo (veja João 3:3). Precisa haver um momento em sua vida no qual você rejeita o seu pecado e convida Jesus Cristo para ser o seu Salvador e Senhor.

Você já fez isso? Gostaria de ter certeza de que, se morresse hoje, você iria para o Paraíso? Você pode. Ele caminhou entre nós por um curto período nesta terra. Mas você pode caminhar com Ele para sempre. A escolha é sua.