quinta-feira, 26 de março de 2015

A Bênção da Obediência

"Então Ananias foi, entrou na casa, impôs as mãos sobre Saulo e disse: 'Irmão Saulo, o Senhor Jesus, que lhe apareceu no caminho por onde você vinha, enviou-me para que você volte a ver e seja cheio do Espírito Santo'". (Atos 9:17)

Pode-se compreender a hesitação de Ananias, o seguidor de Cristo a quem Deus instruiu que fosse visitar Saulo alguns dias depois de sua conversão. Saulo de Tarso, afinal, era o caçador de crentes, o matador de cristãos.

Ananias até questionou a ideia: "Senhor, tenho ouvido muita coisa a respeito desse homem e de todo o mal que ele tem feito aos teus santos em Jerusalém. Ele chegou aqui com autorização dos chefes dos sacerdotes para prender todos os que invocam o teu nome" (Atos 9:13-14).

Mas Deus lhe disse: "Vá! Este homem é meu instrumento escolhido para levar o meu nome perante os gentios e seus reis e perante o povo de Israel. Mostrarei a ele o quanto deve sofrer pelo meu nome" (versículos 15-16).

Há vezes em que Deus coloca em seu coração, uma responsabilidade de aproximar-se de certa pessoa, dizer algo específico ou ir a determinado lugar. Você pode escolher. Pode ir, ou pode não ir. Quando Deus mandou Jonas a Nínive, ele prontificou-se e foi para o lado oposto. Ananias, porém, fez o que Deus mandou.

Você pode ser Jonas ou Ananias. Pode ir aonde Deus manda ou pode recusar-se. Pode ir e receber a bênção ou recusar-se e perdê-la.

Você hoje está onde está para um momento como esse (ver Ester 4:14). Deus pode pedir-lhe algo que você vai relutar em fazer. Mas se Ele manda-lhe ir, você deve ir. E se você decidir o contrário, Deus providenciará que o serviço seja feito mesmo assim - mas você ficará sem a bênção da obediência.

Link para ra o texto original

quarta-feira, 25 de março de 2015

Causando Perturbação

"A igreja passava por um período de paz em toda a Judéia, Galiléia e Samaria. Ela se edificava e, encorajada pelo Espírito Santo, crescia em número, vivendo no temor do Senhor." (Atos 9:31)

Atos 9 nos diz que, após a conversão de Saulo, a igreja teve paz. Por que eles poderiam dar um suspiro de alívio? Porque Saulo tinha parado de caçá-los, de prendê-los e de jogá-los na prisão. Mas durante o tempo em que ele viveu, o mundo nunca teve paz novamente, porque com o mesmo zelo com o qual ele caçava os cristãos, ele passou a pregar o evangelho.

Meu desejo é que os cristãos sirvam a Deus com tanto zelo quanto eles um dia serviram ao diabo. Muitos de nós fizemos tudo o que o diabo queria que fizéssemos. Ele nos dizia para saltar e nós apenas perguntávamos a que altura. Mas quando nos tornamos cristãos, de repente ficamos tímidos. Em vez de sermos homens e mulheres de Deus, que ousadamente fazem a diferença, pensamos: Bem, eu não quero ofender ninguém... Bem, eu não quero dizer isso... Bem, eu não tenho certeza se as pessoas iriam gostar disso.

O mundo não teve descanso, porque Paulo era o tipo de cara que fazia as coisas. Então quando ele ficou cheio do Espírito Santo e estava sendo guiado por Deus, ele saiu a pregar o evangelho e a fazer o que poderia ser descrito como uma perturbação santa.

Você tem causado uma perturbação no bom sentido no seu meio? Ou você está apenas se misturando à escultura Divina? Em vez disso, Deus pode ajudar-lhe a ser o homem ou a mulher que Ele chamou para ser.

Agradeço a Deus por heróis como Paulo, mas também agradeço pelos heróis anônimos. Se você é um herói anônimo, faça a sua contagem de vida, porque você não decide quando sua vida começa, nem quando termina. Mas você pode decidir o que vai fazer com os dias entre o início e o fim.
Link para o texto original

terça-feira, 24 de março de 2015

O Encorajador

"José, um levita de Chipre a quem os apóstolos deram o nome de Barnabé, que significa encorajador." (Atos 4:36)

Atos 9 nos relata que foi Barnabé quem trouxe o apóstolo Paulo, recém convertido, para os apóstolos em Jerusalém. O nome Barnabé significa "filho da exortação" e suas ações revelam que ele era um cara encorajador. Todos conhecemos um Barnabé - alguém que sempre tem uma palavra de encorajamento. Quando você está para baixo, essa é a pessoa a quem você deseja chamar, porque sabe que ela vai encorajá-lo.

Você pode não ter sido chamado para pregar e ensinar como Paulo, mas você pode ser um encorajador como Barnabé. Você pode fazer sua parte agora porque provavelmente conhece alguém que precisa de algum incentivo, alguém que falhou na vida, alguém que está sofrendo, ou alguém que é um crente novo. Eles precisam de você para essa função. Você não tem que saber cada versículo da Bíblia ou ter a resposta para cada questão teológica. Você só precisa ser um cristão de verdade, que pode mostrar-lhes o que é viver no mundo real.

Você pode ser um Barnabé, um encorajador, porque todos precisam de encorajamento e de ajuda. Todas as pessoas tropeçam e caem de alguma forma um dia. Todos têm seus dias ruins, mesmo os heróis da vida. Eles podem acordar do lado errado da cama, estar se sentindo um pouco mal-humorados, ou nem sempre ter a resposta perfeita para todas as perguntas. Eles são seres humanos como você. Só precisam de alguém para incentivá-los. Por isso, seja um incentivador.

Obrigado Deus pelos Barnabés do mundo que ajudam os necessitados - todos precisamos de um em algum momento da vida. Esses são os heróis anônimos que desempenham um importante papel na vida dos grandes homens e mulheres de Deus.

Quer Ser Um Barnabé?

"Então Barnabé o levou aos apóstolos e lhes contou como, no caminho, Saulo vira o Senhor, que lhe falara, e como em Damasco ele havia pregado corajosamente em nome de Jesus." (Atos 9:27)

Poderíamos pensar que ao retornar a Jerusalém depois de sua conversão, Paulo teria sido saudado como um herói. "Dá pra acreditar? Nosso pior inimigo agora tornou-se um seguidor de Jesus! Isso não é glorioso? Não é maravilhoso? Deus salvou o famoso Saulo e agora ele é um irmão!"
Mas não foi isso que aconteceu. De fato, quando Paulo voltou a Jerusalém, a igreja não acreditava que ele estava realmente convertido. Pensavam que fosse algum tipo de armadilha. Ali estava ele, um novo crente, mas não acreditavam que ele sequer tivesse se convertido.

Surge então um herói anônimo: Barnabé.
Os crentes diziam: "Você não pode vir para o nosso culto de adoração, Saulo. Não confiamos em você." Mas Barnabé disse: "Paulo, você vem comigo." Então ele o pegou e o levou até os apóstolos.

Isso é o que nós precisamos fazer com os novos crentes. Precisamos levá-los à igreja conosco, porque o maior perigo que um novo crente enfrenta depois de assumir um compromisso com Cristo é voltar para seus velhos amigos e velhos hábitos. Eles precisam de um irmão ou irmã em Cristo, um Ananias ou um Barnabé, que lhes diga: "Você vem comigo à igreja".

Alguém fez isso por mim. Seu nome era Mark. E depois que me tornei um cristão, ele me levou para a igreja e me acolheu sob sua asa. Eu precisava de alguém assim. Todo mundo quer ser um Paulo ou um Simão Pedro, mas quem será um Barnabé? Não importa se você é um herói ou um herói anônimo; apenas não seja um nada. Basta fazer algo e perceber que Deus tem um lugar para cada um de nós, para sermos utilizados para a Sua glória.
Link para o texto original

segunda-feira, 23 de março de 2015

Verdadeira Tolerância

"Não há salvação em nenhum outro, pois, debaixo do céu não há nenhum outro nome dado aos homens pelo qual devamos ser salvos". (Atos 4:12)

- Não é irônico que aqueles que pregam a tolerância, sejam eles próprios bastante intolerantes acerca do Evangelho? Na verdade, as pessoas mais intolerantes costumam ser aquelas que vivem dizendo para sermos tolerantes.

As vezes escuto reclamações de que os Cristãos são muito intolerantes. Mas, não acredito que isso seja verdade. Acho que os Cristãos são os mais tolerantes dentre todos, pois têm sempre que argumentar com aqueles que têm crenças diferentes, ou vivem de formas diferentes.
Sim, como cristãos acreditamos na verdade absoluta e assumimos isso. Mas noto que as pessoas que são mais intolerantes, são aquelas que dizem: “Eu não gosto do fato der você acreditar numa verdade absoluta. Por isso, sou tolerante com todos - menos com você. Fecha essa sua boca. Não quero que você declare as suas opiniões.”
- O que aconteceu com toda a tolerância dessas pessoas? Onde está o "amor" tão proferido?

Proclamar que Jesus Cristo é o único caminho para Deus, irá ofender algumas pessoas. Mas proclamamos isso porque a Bíblia claramente assim nos ensina. Isto é o que chamamos de algo essencial, não negociável. Jesus declarou isso de forma sucinta quando falou: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai, a não ser por mim” (João 14:6). Quando declaramos isso como um fato, ofendemos algumas pessoas.

Quando um médico descobre um problema com a saúde de um paciente, deve dizer a verdade, mesmo que isso possa incomodá-lo. Como Cristãos, devemos dizer a verdade a respeito da condição de uma pessoa, que - de acordo com a Bíblia - é pecadora. Devemos explicar o problema e depois oferecer a solução através de Jesus Cristo.
E isso certamente ofenderá algumas pessoas.

quinta-feira, 19 de março de 2015

Aproveitando as Oportunidades

"Mas não podiam resistir à sabedoria e ao Espírito com que ele [Estevão] falava." (Atos 6:10)

Estevão era um jovem cheio de sonhos. Escolhido para ser um diácono da igreja, ele logo foi pregar o evangelho e as pessoas estavam vindo para a fé. Ocorre que ele começou a ter problemas quando foi levado perante o Sinédrio. No primeiro século, o Sinédrio era como a Suprema Corte de Israel e poderia decidir sobre a vida e morte de qualquer pessoa. Se Estevão fosse mais diplomático, ele poderia simplesmente ter ficado em casa naquela noite. Mas ele viu uma oportunidade - a oportunidade de pregar o evangelho.

Tenho convicção de que Estevão possa mesmo ter dirigido alguns de seus comentários para um deles em específico: Saulo de Tarso. Mas, como sabemos, eles gritaram e correram atrás de Estevão e o apedrejaram até a morte, tornando-o o primeiro mártir da igreja cristã. A vida de Estevão foi curta, mas teve um papel fundamental na conversão de Saulo, que conhecemos hoje como Paulo.

Quando uma vida jovem é abreviada, quando a vida não atingiu todo o seu potencial, temos a tendência de pensar em como é trágico, porque todos queremos viver uma vida longa. Mas quem pode dizer quanto tempo você ou eu vamos viver? Não temos nenhum controle sobre duas datas em nossa vida: a do nosso nascimento e a de nossa morte. Há pouco espaço de tempo entre estas datas e muito a fazer. Mas o resto, bem, isso é com Deus.

Você pode viver muito mais tempo ou não. Só Deus sabe. Você não decide quando sua vida começa ou termina. Mas você decide o que fazer com aquele pequeno intervalo no meio.
- O que você tem feito com o seu intervalo de tempo?

quarta-feira, 18 de março de 2015

Heróis Anônimos

"André, irmão de Simão Pedro, era um dos dois que tinham ouvido o que João dissera e que haviam seguido a Jesus. O primeiro que ele encontrou foi Simão, seu irmão, e lhe disse: 'Achamos o Messias' (isto é, o Cristo)." (João 1:40-41)

Lemos muito sobre Pedro, Tiago e João no Evangelho, mas não sabemos muito sobre André. Sobre  André, o irmão de Pedro, não há muitas passagens no Novo Testamento. Mas o que lemos sobre ele é significativo. André é conhecido sobretudo como aquele que levou outros a Jesus. Na verdade, quando ele descobriu que Jesus era o Messias há muito tempo esperado por Israel, ele foi e encontrou seu irmão mais velho e o levou a Jesus.

Acho isso interessante, por causa do tipo de pessoa que Pedro era. Ele era o tipo de pessoa que entra em um lugar e todo mundo sabe que ele entrou. Ele sempre tinha algo a dizer e era um líder natural. É muito provável que André tenha passado a maior parte de sua vida na sombra de seu irmão. Simplesmente ele poderia ter mantido o conhecimento de Jesus para si e dizer: "Eu não quero que Pedro participe disto. Ele provavelmente vai tentar assumir tudo." Em vez disso, ele foi e trouxe Pedro a Jesus.

Na verdade, cada vez que lemos algo sobre André, ele está trazendo alguém para Jesus. Há o menino com os pães e os peixes que ele trouxe para Jesus, que então multiplicou esses mantimentos para alimentar milhares de pessoas (João 6:8). Em seguida, houve alguns homens gregos que vieram em busca da verdade e André, junto com Filipe, os trouxe a Jesus (João 12:22). Podemos dizer que André foi um herói anônimo. O tipo de pessoa que está disposta a fazer o que precisa ser feito, enquanto voa por baixo do alcance do radar. Esse tipo de pessoa não se importa se você sabe sobre ela. Ela só quer que a Deus seja dada toda a glória.
E é disto que precisamos lembrar: Se tivéssemos mais Andrés, nós provavelmente teríamos mais Pedros.