quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Coisas Ruins Acontecem a Pessoas Boas

"Jesus respondeu: 'Vocês pensam que esses galileus eram mais pecadores que todos os outros, por terem sofrido dessa maneira? Eu lhes digo que não! Mas se não se arrependerem, todos vocês também perecerão'." (Lucas 13:2-3)

A morte vem para todos. Jesus tinha ouvido falar de uns galileus que Pilatos matara em Jerusalém quando estavam fazendo sacrifícios no templo. O pensamento comum entre algumas pessoas naqueles dias era que essa tragédia era decorrente de um julgamento de Deus sobre aquelas vítimas.

Jesus respondeu perguntando: "Vocês pensam que esses galileus eram mais pecadores que todos os outros, por terem sofrido dessa maneira? Eu lhes digo que não! Mas se não se arrependerem, todos vocês também perecerão" (Lucas 13:2-3).

A questão que Jesus abordou era a noção equivocada de que esse evento trágico se abatera sobre tais pessoas porque eram terríveis pecadoras. Em essência, a resposta de Jesus foi: "Não, eles não são nada piores que vocês. As pessoas morrem. Vocês também são pecadores e um dia também vão morrer."

Como o pecado existe no mundo, as pessoas morrem. A morte vai um dia acontecer a todos. As pessoas boas morrem e as más também. Os velhos morrem e os jovens também. A morte é o grande nivelador de todos os seres humanos.
Link para o texto original

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Deus Age em Todas as Circunstâncias

"Sabemos que Deus age em todas as coisas para o bem daqueles que O amam, dos que foram chamados de acordo com o Seu propósito." (Romanos 8:28)

Deus, em Sua misericórdia, também pode valer-se das tragédias da vida. Ele pode tornar uma ação mais difícil e mesmo assim, trabalhar em cima dela. 

O apóstolo Paulo tocou neste ponto em Romanos 8:28: "Sabemos que Deus age em todas as coisas para o bem daqueles que o amam, dos que foram chamados de acordo com o seu propósito." Paulo inclui o que percebemos como "coisas boas", mas também as coisas ruins. 

É difícil para nós compreendermos como uma coisa ruim pode vir a cooperar em conjunto para o bem. Não há nada de bom sobre o que aconteceu com as 150 mil pessoas que morreram no sudeste asiático durante o tsunami de 2004. Foi tragicamente inacreditável. 

Mas Deus, em Sua infinita sabedoria e amor, de alguma forma, pega todos os acontecimentos da nossa vida, bons ou maus, e os mistura para o bem. Ele pretende sempre o bem. É assim. 

Após a tragédia, as organizações cristãs se mobilizaram para enviar ajuda e recursos para as pessoas que estavam sofrendo do sudeste da Ásia. As pessoas receberam ajuda física e espiritual necessárias. Naquela época e hoje, Deus sempre trabalha nas coisas para um fim proveitoso.

terça-feira, 26 de agosto de 2014

A História D'Ele

"Mas, quando chegou a plenitude do tempo, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido debaixo da lei, a fim de redimir os que estavam sob a lei, para que recebêssemos a adoção de filhos." (Gálatas 4:4-5)

O  rei da Grécia Alexandre, o Grande, desejou dominar o mundo. Em somente 10 anos ele conquistou todo o mundo civilizado.

Enquanto unia todos os seus reinos, ele crescia preocupado com as várias línguas e culturas das pessoas que dominava. Alexandre resolveu seu dilema colonizando seus reinos. Em outras palavras, ele os trouxe para a cultura grega.

Mas Alexandre não percebeu que ele não estava construindo o reino para si mesmo; ele era, na verdade, apenas um peão no grande jogo de xadrez da vida. Ele era apenas um indivíduo que Deus estava movendo para cumprir Seus propósitos. 

Uma das maneiras que Alexandre colonizou seus reinos foi fazendo seus súditos aprenderem a língua grega. Desta forma, não importa onde ele fosse, ele poderia falar a língua local. Alexandre também construiu vastas rodovias e estradas ao longo de todas as suas províncias para que pudesse ter acesso a todas as partes do seu reino, em constante expansão.

No momento em que Alexandre morreu, aos 33 anos, ele tinha realmente concebido um mundo perfeito para pregar a Boa Nova de Jesus Cristo. As estradas pavimentadas eram ideais para os missionários do primeiro século levarem o evangelho ao mundo. E com a universalidade da língua grega, foi possível compartilhar o evangelho com pessoas de várias culturas, de várias terras. 

Sem que soubesse, Alexandre estabeleceu a linguagem e as estradas que fizeram com que a disseminação do evangelho de Jesus Cristo às massas fosse uma realidade.

O apóstolo Paulo disse: "quando chegou a plenitude do tempo, Deus enviou seu Filho [...]" (Gálatas 4:4). Deus usou a colonização do mundo de Alexandre para ajudar a inaugurar a plenitude do tempo. 

Perceba: as impressões digitais de Deus estão por toda a história. Alexandre não percebeu que a história é a história dEle. Deus está no controle de tudo.

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Anjos na Vida do Crente

"Os anjos não são, todos eles, espíritos ministradores enviados para servir aqueles que hão de herdar a salvação?" (Hebreus 1:14)

Deixe-me compartilhar com vocês a história real de um missionário chamado John Patton. Ele estava nas Ilhas Novas Hébridas (Polinésia) com sua esposa e filhos. Eles tinham um complexo missionário em uma pequena vila.

Certa noite, nativos hostis cercaram o posto missionário com a intenção de matar este missionário e sua família. Primeiro, eles iriam queimá-los e matá-los.

Naquela noite cheia de terror, Patton e sua esposa oraram para que Deus os livrasse daquele momento horrível. Ao amanhecer foram surpreendidos ao descobrir que os seus atacantes haviam ido embora.

Um ano mais tarde, o chefe da tribo que ia atacar Patton, tornou-se um cristão. Curioso sobre aquela noite horrível de um ano atrás, John Patton disse para o chefe: "Desculpe-me, mas você tem que me dizer o que aconteceu naquela noite. Você estava pronto para queimar-nos e matar-nos. Porque vocês foram embora?"

O chefe respondeu: "Bem, quem eram todos aqueles homens que estavam lá com você?"

Patton não sabia nada de homens que estariam com ele e respondeu: "Do que você está falando?"

"Bem, estávamos com medo de atacar porque vimos centenas de homens grandes com vestes resplandecentes e espadas em punho. Então voltamos."

Esse é um exemplo moderno da proteção angelical na vida de um cristão. A Bíblia ensina que os anjos sempre estiveram envolvidos na vida do povo de Deus e continuam envolvidos ainda hoje.

sexta-feira, 22 de agosto de 2014

A Necessidade do Evangelho

"Pois o que primeiramente lhes transmiti foi o que recebi: que Cristo morreu pelos nossos pecados, segundo as Escrituras" (1 Coríntios 15:3)

Algumas das pessoas mais difíceis de se alcançar são aquelas que estão satisfeitas com a vida. Essas pessoas não podem enxergar a sua verdadeira condição espiritual, porque têm tudo em ordem.

É por isso que é equivocado compartilharmos o evangelho apenas com os solitários, com as pessoas vazias, com os infelizes. Nem todo mundo é infeliz, vazio ou solitário o tempo todo.

As pessoas terão momentos de explosões de felicidade e suas vidas estarão indo bem. Então, se chegarmos e dissermos nesses momentos:
- "Jesus pode ajudá-lo a ser feliz", elas responderão: "Mas eu já estou feliz."
- "Mas, Jesus pode tirar o seu vazio." 
- "Eu não sinto qualquer vazio". 
- "Não sente?"
- "Não." 
- "Tudo bem, deixa pra lá então."

Espere aí! Há algo mais aqui em jogo do que simplesmente a mera felicidade.
Não quero dizer com isso que não existam pessoas infelizes, vazias e solitárias. Mas nem todas as pessoas estão insatisfeitas com as suas vidas.

Portanto, temos que ir além da mera mensagem de felicidade e atacar a necessidade mais profunda de todos os seres humanos: a necessidade do perdão dos pecados. Jesus não morreu na cruz para nos fazer felizes. Ele morreu para nos salvar do pecado e da morte. A necessidade de salvação e vida eterna é verdadeira para todas as pessoas, o tempo todo.

O que precisamos lembrar é que não há nenhuma pessoa, independente da fama ou do poder, que esteja imune à necessidade da mensagem do evangelho.

quinta-feira, 21 de agosto de 2014

Construindo Pontes

"[...] Uma coisa sei: eu era cego e agora vejo!" (João 9:25)

Poucos cristãos são grandes teólogos e nenhum de nós sabe todos os versículos da Bíblia de cor. Mas todos nós temos algum testemunho para dar. Todos nós temos para contar a história de como Cristo entrou em nossas vidas.

Podemos não ser especialistas, mas assim como falou o cego a quem Jesus curou, podemos todos também dizer: "Uma coisa eu sei: eu era cego e agora vejo!" (João 9:25).

Todo cristão pode dizer: "Eis o que Jesus fez por mim."
E sabe de uma coisa? O seu testemunho é uma ótima maneira de começar a apresentar Cristo para alguém.

O apóstolo Paulo (que foi um grande intelectual e um brilhante orador) muitas vezes começava com o seu testemunho pessoal, antes de apresentar o Evangelho para alguém. Por que Paulo começava com o seu testemunho? Ele construia assim uma ponte entre ele e as pessoas para as quais pregava.

Quando você compartilha a história de como chegou a Cristo, você está de uma certa forma dizendo: "eu estive onde você está. E deixe-me falar sobre a maneira que eu costumava pensar, a forma como eu costumava ser, como era a minha vida. Agora, deixe-me dizer-lhe sobre o que Cristo fez por mim."

Um testemunho ajuda as pessoas a entenderem que você não nasceu cristão. Ajuda a ver que há uma ponte, uma maneira pela qual se chega a Cristo.

Testemunhos provam que qualquer um pode mudar através do poder transformador de Jesus Cristo.

quarta-feira, 20 de agosto de 2014

O Objetivo de Um Testemunho

"Mas Deus demonstra seu amor por nós: Cristo morreu em nosso favor quando ainda éramos pecadores." (Romanos 5:8)

Quando você conta para outras pessoas o que Deus lhe fez, você está dando um testemunho. Testemunhar é compartilhar a história de como você chegou à fé. Todo cristão tem um testemunho para dar.

Alguns cristãos têm testemunhos dramáticos em que contam como foram libertados de uma vida de vício em drogas, ou de crimes, ou de algum outro comportamento sórdido. Outros não têm testemunhos tão dramáticos, mas são igualmente significativos.

Gosto de ouvir como as pessoas chegaram a Cristo, mas não gosto quando elas entram nos detalhes mais sujos de seu passado. Tampouco gosto dos testemunhos em que as pessoas contam tudo de que abriram mão por Jesus, comentando coisas tipo: "Larguei isto e aquilo por Jesus. Fiz tanto sacrifícios pelo Senhor. Fiz tudo isso por Ele!"

Testemunho não é falar daquilo que você abriu mão por Cristo. Mas sim, falar daquilo de que Ele abriu mão por você. Não compartilhe o que você fez por Jesus. Compartilhe o que Jesus fez por você. Jesus é quem fez o trabalho. É Jesus que proclamamos.

Testemunho bom e forte é o que põe em relevo o que Jesus realizou. A questão central é que todos nós éramos pecadores irremediavelmente separados de Deus, navegando no mesmo barco para o inferno; e um mesmo evangelho veio e nos salvou. Esse é o testemunho que todos nós temos que dar.