terça-feira, 23 de janeiro de 2018

Um Assunto Inevitável

"Da mesma forma, como o homem está destinado a morrer uma só vez e depois disso enfrentar o juízo, assim também Cristo foi oferecido em sacrifício uma única vez, para tirar os pecados de muitos; e aparecerá segunda vez, não para tirar o pecado, mas para trazer salvação aos que o aguardam." (Hebreus 9:27-28)

Jesus falou muito sobre o inferno. Na verdade, ele falou mais sobre o inferno do que qualquer outro pregador na Bíblia. Portanto, não devemos ignorar o assunto. Precisamos de um esclarecimento do que a Bíblia diz a esse respeito.

O apóstolo Paulo concluiu sua mensagem no Areópago com estas palavras: "No passado Deus não levou em conta essa ignorância, mas agora ordena que todos, em todo lugar, se arrependam. Pois estabeleceu um dia em que há de julgar o mundo com justiça, por meio do homem que designou. E deu provas disso a todos, ressuscitando-o dentre os mortos" (Atos 17:30-31).

Jesus falou sobre o julgamento. Paulo falou sobre o julgamento. Os apóstolos falaram sobre o julgamento. A Bíblia fala sobre o julgamento. E nós também precisamos falar sobre isso e ter uma compreensão adequada do que se trata.

Alguns diriam que não é amoroso falar sobre essas coisas, mas eu discordo totalmente. Acho que é a coisa mais amorosa que podemos fazer.

Digamos que havia uma casa em chamas com alguém preso dentro. E digamos que, por algum motivo, tal pessoa não sabia que a sua casa estava em chamas. Não seria uma coisa amorosa correr, chutar a porta, agarrá-la e fugir da casa em chamas com ela? Claro que sim.

Por outro lado, não seria uma coisa amorosa andar e dizer: "Veja! Aquela casa está em chamas! Muito interessante, não? Agora vamos embora!".

Se realmente acreditamos que há uma vida após a morte e, mais especificamente, um julgamento final. Se realmente acreditamos que seremos responsáveis ​​pelas coisas que dizemos e fazemos, isso afetará a maneira como vivemos.
Link para o texto original

segunda-feira, 22 de janeiro de 2018

Três Reações ao Evangelho

"Pois a mensagem da cruz é loucura para os que estão perecendo, mas para nós, que estamos sendo salvos, é o poder de Deus." (1 Coríntios 1:18)

Em minhas viagens descobri que algumas pessoas estão mais abertas ao evangelho do que outras. Eu nunca sei como a coisa vai acontecer, então eu apenas lanço a Palavra de Deus e convido as pessoas a virem a Cristo. E elas reagem de maneiras diferentes.

O apóstolo Paulo quando pregou,  recebeu três reações ao evangelho: "Quando ouviram sobre a ressurreição dos mortos, alguns deles zombaram, e outros disseram: 'A esse respeito nós o ouviremos outra vez'. [...] Alguns homens juntaram-se a ele e creram [...]" (Atos 17:32-34).

Encontramos as mesmas reações ao evangelho hoje. Alguns zombam. O termo "zombaram" usado em Atos 17 também poderia ser traduzido como "cair na gargalhada". Em outras palavras: "você está falando sério? Você realmente acredita nisso?"

Para esses tolos educados, tudo parecia bobo e inacreditável. Mas essa mesma zombaria era uma indicação de que eles iriam perecer, "pois a mensagem da cruz é loucura para os que estão perecendo" (1 Coríntios 1:18).

Alguns se esquecerão, enquanto outros se atrasarão: "Vamos ouvir você novamente sobre este assunto." Esta é uma reação muito comum. O que realmente significa é que "eu realmente não quero decidir agora". O diabo usa essa tática com grande habilidade. "Não se preocupe agora. Trate disso mais tarde."

Mas alguns acreditaram. Alguns se arrependeram e mudaram de opinião. E entre eles estava Dionísio, membro do Areópago, um dos juízes, intelectual e governante da cidade.

Eis o que tenho aprendido: a conversão é um trabalho de Deus, não nosso. É o trabalho do Espírito Santo na vida de um incrédulo. Deus nos responsabiliza por proclamar a verdade, mas o resto depende d'Ele.

sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

A Grande Igualadora

"Os anos de nossa vida chegam a setenta, ou a oitenta para os que têm mais vigor; entretanto, são anos difíceis e cheios de sofrimento, pois a vida passa depressa, e nós voamos!" (Salmo 90:10)

84% dos americanos acreditam em algum tipo de vida após a morte, e 82% acreditam no Paraíso. 70% acreditam em Inferno. Acreditando ou não, ele está lá.

A Bíblia é muito clara ao apontar que chegará um ponto em que a vida na terra acabará. As Escrituras nos dizem em Eclesiastes 3:1-2: "Para tudo há uma ocasião, e um tempo para cada propósito debaixo do céu: tempo de nascer e tempo de morrer."

Em Hebreus 9:27, lemos: "o homem está destinado a morrer uma só vez e depois disso enfrentar o juízo."

Essa hora pode vir muito mais tarde do que se espera. Por outro lado, pode vir muito mais cedo. Os estatísticos nos dizem que morrem 3 pessoas a cada segundo. Morrem 1.800 pessoas por minuto. Morrem 11.000 pessoas a cada hora. Eis por que os salmos nos lembram para contar nossos dias e reconhecer como são poucos (ver Salmos 90:12 e 144:4).

A história nos conta que Filipe da Macedônia condicionou seu servo a comparecer diante dele todo dia e repetir: "Filipe, morrerás". Ele queria que o lembrassem de sua mortalidade.

Ao fazer um discurso de abertura do ano letivo na Universidade de Stanford, Steve Jobs disse: "Ninguém quer morrer. Mesmo as pessoas que querem ir para o Céu não querem morrer para chegar lá. Entretanto, a morte é o destino que todos compartilhamos. Ninguém nunca escapou dela."

A morte é a grande igualadora. Não respeita ninguém. Vem para todos. E, de acordo com a Bíblia, após a morte há dois destinos. Você decide agora — e não depois, após a morte — qual será o seu destino. Você decide onde vai passar a eternidade.

quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

Simplicidade Profunda

"Não me envergonho do evangelho, porque é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê: primeiro do judeu, depois do grego." (Romanos 1:16)

Minha neta Rafaela ouviu uma história na escola dominical sobre um menino que fugiu de casa. Então eu disse: "Bem, conte-me a história".

Ela me contou toda a história do filho pródigo: "Este menino fugiu de seu pai, e ele fez coisas ruins. E aí ele percebeu que o que fez estava errado e voltou para casa de seu pai."

- O que seu pai fez? Bateu nele?

- Não. Seu pai o abraçou, amou e beijou.

- Exato! E então, o que você acha que essa história significa? Quem é o pai?

- Bem, o pai é como Deus.

Ela entendeu. Jesus disse verdades tão profundas que as maiores mentes podem passar horas, até anos, discutindo-as, mas ao mesmo tempo tão simples que uma criança pode compreendê-las.

Um argumento filosófico tem seu lugar. No entanto, há poder na mensagem da vida, morte e ressurreição de Jesus Cristo. E tenho aprendido que, se eu simplesmente proclamar essa mensagem, Deus fará coisas incríveis - não porque sou um grande pregador, mas porque tenho uma ótima mensagem e tenho confiança nela. Creio também que, quando eu proclamar, as pessoas responderão. E elas responderão porque trata-se do poder de Deus para a salvação de todos os que creem.

Podemos todos proclamar essa mensagem simples - tão simples que uma criança pode compreendê-la - porque é aí que está o poder. É isso que move as pessoas.

O apóstolo Paulo escreveu à igreja em Corinto: "Pois decidi nada saber entre vocês, a não ser Jesus Cristo, e este, crucificado" (1 Coríntios 2:2).

Uma mensagem evangelística sincera aponta para a cruz.

quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

Alegria em Lugares Improváveis

"Por volta da meia-noite, Paulo e Silas estavam orando e cantando hinos a Deus; os outros presos os ouviam. De repente, houve um terremoto tão violento que os alicerces da prisão foram abalados. Imediatamente todas as portas se abriram, e as correntes de todos se soltaram." (Atos 16:25-26)

Quando Paulo e Silas foram jogados na prisão em Filipos, oraram e cantaram hinos a Deus à meia-noite. E puseram o lugar abaixo — literalmente. Um terremoto sacudiu tanto a prisão que as paredes desabaram.

O carcereiro estava prestes a se matar, pois naquela época a morte era a pena para os guardas e suas famílias quando um prisioneiro fugisse. Mas Paulo gritou: "Não faça isso! Estamos todos aqui!"

No fim, o carcereiro veio a crer em Jesus Cristo, junto com toda sua casa. E no dia seguinte as autoridades da cidade mandaram soltar da cadeia Paulo e Silas.

A história de Atos 16 nos lembra que um filho de Deus pode alegrar-se nas mais exigentes circunstâncias. Mas, às vezes, não há um terremoto no meio da noite. Às vezes não vem a solução para os nossos problemas.

Paulo e Silas tiveram de aguentar uma surra, serem jogados na cadeia e terem os seus pés algemados antes que fossem libertados. E embora Deus tenha livrado Daniel dos leões famintos, ele ainda teve de passar a noite na toca dos leões.

Por sua recusa a ajoelhar-se ante a imagem de ouro do rei, Sadraque, Mesaque e Abede-Nego foram jogados numa fornalha ardente, aquecida sete vezes mais que do que de costume. Mas lemos que enquanto caminhavam na fornalha havia com eles alguém que era "como um filho dos deuses". Muitos creem que tenha sido o próprio Cristo andando com eles.

Às vezes quando oramos pelo auxílio de Deus, Ele nos livra e nos cura. Ele provê. Ele resolve os nossos problemas. Mas outras vezes Ele diz: "Estarei com você, então confie em Mim."

terça-feira, 16 de janeiro de 2018

Culturalmente Relevantes

"Deus fez isso para que os homens o buscassem e talvez, tateando, pudessem encontrá-lo, embora não esteja longe de cada um de nós. 'Pois nele vivemos, nos movemos e existimos', como disseram alguns dos poetas de vocês: 'Também somos descendência dele'." (Atos 17:27-28)

Para alcançar pessoas com o evangelho, temos de ser culturalmente relevantes. Às vezes nós, cristãos, podemos ser paranoicos no que se refere à nossa sociedade. Não queremos ouvir música que não seja de louvor. Não queremos ver filmes que não sejam cristãos. Mas para alcançar pessoas, temos de saber algo sobre elas.

Quando o apóstolo Paulo falou no Areópago de Atenas, ele fez uma ponte com sua plateia antes de trazer a mensagem do evangelho: "'Pois nele vivemos, nos movemos e existimos', como disseram alguns dos poetas de vocês: 'Também somos descendência dele'" (Atos 17:28). Paulo começou citando um poeta dos gregos. Prendeu a atenção deles. Falou numa linguagem que eles entendessem.

Não estou sugerindo que devamos fazer concessões para compartilhar o evangelho com as pessoas. Nem estou sugerindo que façamos coisas que violem o que as Escrituras dizem. Mas estou dizendo que devemos ir aonde o povo está, falar em linguagem que as pessoas entendam e saber um pouco da cultura à nossa volta para que possamos nos relacionar de modo compreensível. Se Paulo fez isso, devemos fazê-lo também.

Muitas igrejas de hoje estão sem contato com sua cultura. Respondem a perguntas que ninguém faz e não respondem àquelas que são feitas. Não podemos esperar que uma sociedade que saiba pouquíssimo da Bíblia entenda a terminologia que usamos. Na verdade, podemos acabar uma conversa antes mesmo dela começar, por insultarmos as pessoas com quem falamos. Usamos linguagem que elas não entendem. Parecemos arrogantes ou até esnobes.

Quando Paulo compartilhava o Evangelho, ele buscava construir uma ponte, não uma muralha. E devemos fazer o mesmo.

segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

A Palavra Esquecida da Igreja

"No passado Deus não levou em conta essa ignorância, mas agora ordena que todos, em todo lugar, se arrependam." (Atos 17:30)

Quando o apóstolo Paulo proclamou o evangelho aos homens de Atenas, ele usou uma palavra que raramente ouvimos hoje: arrepender-se. Ele disse: "No passado Deus não levou em conta essa ignorância, mas agora ordena que todos, em todo lugar, se arrependam. Pois estabeleceu um dia em que há de julgar o mundo com justiça, por meio do homem que designou. E deu provas disso a todos, ressuscitando-o dentre os mortos" (Atos 17:30-31).

Observe que Paulo não disse: "Sugiro que você se arrependa", ou "Eu aconselho você a se arrepender", ou ainda "Espero que você se arrependa". Paulo estava dizendo que Deus ordena às pessoas em todos os lugares que se arrependam. E "arrepender-se" significa mudar a sua direção. Em vez de fugir de Deus, você deve correr para Deus.

Mas por que devemos nos arrepender? Paulo dá a resposta no versículo 31: "Pois estabeleceu um dia em que há de julgar o mundo com justiça". O dia do julgamento está chegando. Chegará um dia em que Deus irá "julgar o mundo com justiça, por meio do homem que designou."

Houve um momento em que a igreja foi criticada pela sua pregação do inferno de fogo e enxofre. Mas quando foi a última vez em que você ouviu um pregador desses? Eu me arrisco a dizer que já faz um bom tempo.

Na verdade, existem alguns pregadores que estão questionando se o inferno sequer exista, embora Jesus tenha falado sobre isso mais do que todos os outros pregadores da Bíblia juntos.

Ouvi muito poucos bons pregadores. Ouvi muitos pregadores que dizem que Deus me quer ver rico. E ouvi muitos pregadores me contarem muitas coisas loucas.

Mas a Bíblia diz que há de fato um julgamento futuro. E não há como evitá-lo.