sexta-feira, 29 de maio de 2020

O Que Faz as Orações Serem Interrompidas?

"Mas as suas maldades separaram vocês do seu Deus; os seus pecados esconderam de vocês o rosto dele, e por isso ele não os ouvirá" (Isaías 59:2)

Sidlow Baxter disse: "Os homens podem rejeitar nossos pedidos e nossas mensagens, se opor aos nossos argumentos, nos desprezar, mas não há nada que possam fazer contra as nossas orações."

A oração é um privilégio incrível, mas uma coisa que pode interrompê-la é o pecado não confessado. Em Isaías 59:2 Deus diz: "as suas maldades separaram vocês do seu Deus; os seus pecados esconderam de vocês o rosto dele, e por isso ele não os ouvirá."

À medida que recebemos o perdão de Deus, precisamos perdoar os outros. Jesus disse: "Portanto, se você estiver apresentando a sua oferta diante do altar e ali se lembrar de que o seu irmão tem algo contra você, deixe a sua oferta ali, diante do altar, e vá primeiro reconciliar-se com o seu irmão; depois volte e apresente a sua oferta" (Mateus 5:23-24).

Há algumas pessoas com as quais você simplesmente não consegue se reconciliar, não importa o quanto tente. Chegará um momento em que você terá feito tudo o que é possível, e então dirá: "Eu tentei. Fiz o que Jesus me disse para fazer. Eu me aproximei daquela pessoa para me reconciliar, mas ela se negou."

A Bíblia diz: "Façam todo o possível para viver em paz com todos" (Romanos 12:18). E adivinha só? Nem sempre é possível. Algumas pessoas simplesmente não querem estar em paz. Mas pelo menos você tentou. Você pode voltar a seu Pai Celestial e dizer: "Eu tentei a reconciliação."

E quando alguém lhe ofender? Perdoe. Quando você armazena toda a mágoa e amargura dentro de si, aquilo lhe consome. Se recusar a perdoar alguém é como beber veneno de rato e esperar que o rato morra. Quando você não perdoa, você está se envenenado com raiz de amargura. Perdoe assim como Deus o perdoou em Cristo.

quinta-feira, 28 de maio de 2020

O Que o sofrimento Revela

"Disse então o Senhor a Satanás: 'Reparou em meu servo Jó? Não há ninguém na terra como ele, irrepreensível, íntegro, homem que teme a Deus e evita o mal'" (Jó 1:8)

Muitos de nós podemos aceitar a ideia de sofrimento em geral, principalmente quando se trata da consequência de um mau comportamento. Não temos problemas com isso.

O que temos problema é quando coisas ruins acontecem a pessoas boas. Não é o sofrimento que nos incomoda; é o sofrimento não merecido.

Jó não fizera nada de errado; ele fazia o que era certo. De fato, ele estava indo tão bem espiritualmente que Deus realmente estava se gabando dele no céu. Então, um dia, sem aviso, tudo entrou em colapso. O problema para o pobre Jó era que ele nunca havia lido o livro de Jó. Ele viveu em tempo real. Tudo o que sabia é que acordou um belo dia, acontecendo tudo de ruim que poderia lhe acontecer - e então, lhe sobreveio uma sequência de coisas ainda mais ruins.

Às vezes, Deus usa o pior para realizar o melhor. É exatamente aí que devemos confiar n'Ele. Quando a pior coisa imaginável aconteceu a Jó, ele caiu de joelhos e disse: "Saí nu do ventre da minha mãe, e nu partirei. O Senhor o deu, o Senhor o levou; louvado seja o nome do Senhor" (Jó 1:21).

Admiramos isso e temos que admirar muito mesmo. Se você tiver fé, a sua fé ficará mais forte quando as coisas ficarem mais difíceis. Se a sua fé não ficar mais forte, eu me pergunto: que tipo de fé você tem? Uma fé que não pode ser testada, é uma fé que não pode ser confiável. Se a sua fé não pode sobreviver à adversidade, a sua fé então não é real. É através da adversidade, que a verdadeira fé, a fé real se fortalece.

Jó mostrou que ele realmente era tudo o que Deus disse que ele era: um homem íntegro, um homem de quem Deus se gabava. Quando as piores coisas aconteceram, ele ficou de pé.

quarta-feira, 27 de maio de 2020

O Que é Prosperidade Para Deus?

"Por isso estou disposto a pregar o evangelho também a vocês que estão em Roma" (Romanos 1:15)

Prosperidade é uma palavra muito popular hoje em dia. Alguns pregadores falam muito sobre prosperidade, e, às vezes, nos referimos a ela como a "teologia da prosperidade". Essa é a ideia de que basicamente, Deus quer que todos estejam em perfeita saúde o tempo todo, que a doença seja algo sempre fora da vontade de Deus e que, se você ficar doente, deve apenas reivindicar saúde à Deus e ficará imediatamente bom. Também é a ideia de que Deus quer que você seja muito rico.
Mas, será que é isso mesmo? Então deixe-me dizer-lhe que não é isso que a Bíblia ensina.

A Bíblia não diz que todos devemos viver em extrema pobreza e não ter nada. Mas a Bíblia diz que a definição de prosperidade para Deus pode ser diferente da nossa definição. Prosperidade não significa necessariamente que tudo vá bem. Prosperidade significa que você está debaixo da vontade de Deus.

Cerca de cinco anos antes de viajar para Roma, o apóstolo Paulo escreveu aos crentes de lá e disse: "Em minhas orações peço que agora, finalmente, pela vontade de Deus, seja-me aberto o caminho para que eu possa visitá-los" (Romanos 1:10). A versão Almeida traduz "[...] se me ofereça boa ocasião de ir ter convosco."

Ou Seja, Paulo estava dizendo aos crentes em Roma: "Eu quero ir vê-los e estou orando por uma jornada próspera."

Paulo orou por uma jornada próspera para visitar os crentes em Roma, e ele conseguiu exatamente isso. Alguns podem dizer: "Como assim? Houve um naufrágio e uma tempestade."

Exatamente. Mas ele estava debaixo da vontade de Deus.

terça-feira, 26 de maio de 2020

Ore Com Expectativa

“Mas Pedro continuou batendo e, quando abriram a porta e o viram, ficaram perplexos” (Atos 12:16)

Os Cristãos do primeiro século eram pessoas como nós. Tinham falhas também. Sim, oravam fervorosamente. Sim, oravam juntos. Mas também oravam com certa porção de dúvida.

Isso fica evidente em Atos 12, guando oravam por Pedro, o qual havia sido posto em uma cela prisional pelo rei Herodes. Herodes tinha acabado de executar (à espada) Tiago. Sem dúvida, tinham muito receio que Pedro fosse o próximo. Por isso, enquanto Pedro estava na prisão, “[...] a igreja orava intensamente a Deus por ele” (Atos 12:5).

Então, algo incrível aconteceu. Deus enviou um anjo a cela de Pedro. Suas correntes caíram soltas, a porta se abriu e o anjo o guiou para fora da prisão. Pedro foi então à casa de Maria, onde muitos cristãos estavam reunidos. Bateu na porta. Uma serva veio atender. Atordoada ao ouvir a voz de Pedro, voltou correndo, sem abrir a porta, para falar aos irmãos que Pedro estava batendo na porta. Mas eles se recusaram a acreditar nela.

Deus pode tirar Pedro da prisão, mas Pedro não conseguiu entrar numa reunião de oração. Na porta, pelo lado de fora, estava a resposta para a oração deles, mas eles não acreditaram.

Muito embora as orações deles parecessem sem muita convicção, ainda assim, foram mais fortes que Herodes e mais fortes que o inferno. Certamente existe uma boa parcela das nossas orações que dependem de fé. Sem dúvida, em muitas ocasiões, nossas orações ficam ofuscadas porque oramos sem um pingo de fé.

Diante disso, não concordo com os que professam a chamada “Palavra-de-Fé”, na qual se acredita que a fé trabalha como uma força, pela qual podemos obter qualquer coisa (saúde, riqueza, sucesso etc) – e esta força é liberada através da palavra dita. Enquanto falamos essas palavras de fé, poder seria liberado para a realização dos nossos desejos. Contrariamente a isso, Jesus nos ensinou a orar: “Venha o teu Reino; seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu” (Mateus 6:10)

A fé tem seu lugar! Mesmo se a sua fé for fraca, venha com toda fé que você tiver disponível.

segunda-feira, 25 de maio de 2020

Eu Creio em Deus

"Assim, tenham ânimo, senhores! Creio em Deus que acontecerá do modo como me foi dito" (Atos 27:25)

Uma noite, em um navio agitado no Mediterrâneo, o apóstolo Paulo estava indo em direção a Roma. Ele havia sido perseguido e encarcerado, e iria comparecer perante César para julgamento. No caminho, uma tempestade horrenda apareceu. Era tão ruim que os marinheiros do navio pensaram que iam morrer. Eles não viram o sol ou as estrelas por dias; eles não sabiam onde estavam.

Mas Paulo conseguiu se levantar no convés daquele navio agitado pela tempestade e dizer àquela tripulação temerosa:

"Mas agora recomendo-lhes que tenham coragem, pois nenhum de vocês perderá a vida; apenas o navio será destruído. Pois ontem à noite apareceu-me um anjo do Deus a quem pertenço e a quem adoro, dizendo-me: ‘Paulo, não tenha medo. É preciso que você compareça perante César; Deus, por sua graça, deu-lhe as vidas de todos os que estão navegando com você’. Assim, tenham ânimo, senhores! Creio em Deus que acontecerá do modo como me foi dito" (Atos 27:22–25).

É uma coisa maravilhosa quando nós, como cristãos, podemos dizer essas palavras: "Eu acredito em Deus."

É especialmente bom poder dizer isso nesse mundo louco que parece ficar à cada dia mais sombrio, tempestuoso e ainda mais perverso. De fato, estamos vivendo um tempo em que o errado parece estar certo e o certo parece estar errado. Tudo mudou.

Mas Deus é eterno, Ele nunca muda. Ele disse ao profeta Malaquias: "De fato, eu, o Senhor, não mudo" (Malaquias 3:6). Podemos confiar n'Ele. Como o apóstolo Paulo, podemos dizer: "Eu creio em Deus".

sexta-feira, 22 de maio de 2020

O Que Precisamos e Na Hora em Que Precisamos

"Não sobreveio a vocês tentação que não fosse comum aos homens. E Deus é fiel; ele não permitirá que vocês sejam tentados além do que podem suportar. Mas, quando forem tentados, ele lhes providenciará um escape, para que o possam suportar" (1 Coríntios 10:13)

Talvez você conheça alguém que estava passando por uma dificuldade e você pensou: Eu jamais aguentaria algo assim. Nesse momento você não aguentaria. Mas se Deus permitisse que você enfrentasse algo assim, Ele lhe daria então a força que você precisaria, na hora em que você a precisasse.

Ou talvez você tenha pensado: Eu jamais resistiria a essa tentação. Mas se o Senhor permitir que você seja tentado, Ele não lhe dará mais do que você possa aguentar. Como 1 Coríntios 10:13 nos diz, "Não sobreveio a vocês tentação que não fosse comum aos homens. E Deus é fiel; ele não permitirá que vocês sejam tentados além do que podem suportar. Mas, quando forem tentados, ele lhes providenciará um escape, para que o possam suportar."

O apóstolo Paulo tinha seu espinho na carne. Não sabemos o que era, mas era algum tipo de enfermidade física que ele teve depois que foi arrebatado e viu as glórias do Céu (ver 2 Coríntios 12:7). Alguns acreditam que fosse algo decorrente de alguma das surras ou dos apedrejamentos ou dos açoites que ele sofreu. Outros acreditam que fosse alguma deficiência física. Fosse o que fosse, ele pediu a Deus três vezes que o tirasse, e Deus de fato disse: não. E a cada vez que ele pediu, Deus lhe disse: "Minha graça é suficiente para você, pois o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza" (versículo 9).

Quando encaramos adversidade em nossas vidas e pedimos a Deus que a remova, às vezes Ele diz sim. Mas também há ocasiões em que Ele diz: "Não, mas estou aqui contigo, e vou andar contigo até o fim disso."

Deus sempre nos dá aquilo de que precisamos, e quando precisamos. Então não se preocupe com o que vem depois.

quinta-feira, 21 de maio de 2020

A Promessa de Uma Travessia Segura

"Certo dia Jesus disse aos seus discípulos: 'Vamos para o outro lado do lago'. Eles entraram num barco e partiram." (Lucas 8:22)

Nos Evangelhos do Novo Testamento, encontramos a história de Jesus dizendo a seus discípulos: "Vamos para o outro lado do lago" (Lucas 8:22). Então eles entraram em um barquinho e os marinheiros experientes se puseram a remar, atravessando o mar da Galileia. Começou uma grande tempestade e os discípulos entraram em pânico. Enquanto isso Jesus estava no convés, dormindo. Então eles o acordaram e gritaram, em um tom acusatório: "Mestre, não te importas que morramos?" (Marcos 4:38)

Isso parece algo como: Alô! Senhor? Você está prestando atenção agora? Parece que você não está se importando!

Em seguida Jesus se levantou e repreendeu a tempestade - e também repreendeu os discípulos. Ele perguntou: "Por que vocês estão com tanto medo? Ainda não tem fé?" (versículo 40). Em outras palavras, seria como se Jesus estivesse dizendo: "Vocês ouviram o que eu disse? Eu disse: 'Vamos para o outro lado'. Se eu tivesse dito que nos afogaríamos no meio do mar de Galileia, vocês teriam motivo para entrar em pânico."

Jesus não prometeu a eles uma travessia suave. Mas Ele prometeu uma travessia segura.

O mesmo é verdade para nós: Deus não nos promete uma vida sem problemas. Mas Ele nos promete segurança. Muitas vezes queremos evitar a tempestade, mas às vezes há lições que só aprendemos nas tempestades da vida e que não aprenderíamos de outra maneira.

Creio que é melhor estar em uma tempestade com Jesus do que em qualquer outro lugar sem Ele.